Platinum End #6 – Impressões Semanais

Depois de machismo e misoginia, vem aí a homofobia…

“Platinum End” segue descendo bem fundo nesse buraco e nesse episódio, a garota psicopata (apresentada no finalzinho do episódio passado) é uma lésbica estupradora. Já não bastava a obra ser machista e misógina, o autor agora foi homofóbico. Enfim, fiquem com as impressões desse episódio tenebroso.


RUB: Alê, o episódio de Platinum End dessa semana foi HORROROSO, além de ofensivo, em todos os sentidos da palavra. A começar que a garota Mimimi (que nome pavoroso. O Ohba não se esforçou em nada em nomear os personagens), aquela que apareceu nos pós créditos de semana passada, que era uma “escrava” do Metropoliman, e como se já não bastasse, ELA É UMA LÉSBICA PSICOPATA QUE PREFERE MULHERES POR ACHAR OS HOMENS SUJOS (menos o Metropoliman, POR ALGUM MOTIVO QUE NÃO FAZ SENTIDO, porque se ela tem esse estereotipo, era para odiar todos os garotos, mas né… o Ohba escrevendo essa merda). Olha, eu não sei o que é pior. Se é a cena dela estuprando a outra garota (flecha vermelha faz a pessoa realizarem coisas a contra vontade. Visto dessa forma, é violência sexual) EXTREMAMENTE desnecessária, pois só está lá por fanservice. E esse comentário da personagem sobre os homens, naquela roupagem de que todas as mulheres que gostam de mulheres são assim porque ou odeiam homens, ou foram violentadas (não existe amor entre pessoas do mesmo gênero para o Ohba); ou do comentário do Kanade: “Você não pode escolher as mais bonitas para matar. Escolha só as feias.”. Sério Alê que aquela conversa dele com um amigo sobre o que fazer quando virasse Deus, em que deve rolar uma inquisição de mulheres feias, foi levada ao extremo dessa forma? Meu Deus, eu pensei que era só um comentário solto para mostrar a futilidade do amigo em acabar com as “mulheres feias”, mas aqui é levado como LEMA Alê. CARALHO, QUE PORRA É ESSA!? Pessoal, parem e reflitam esse cena, pelo amor de Deus. Se isso não é misoginia, eu não o que é mais nada. Gente, ele ataca TODAS AS MULHERES NESSA CENA. Com a objetificação delas e INFERIORIZAÇÃO, o Ohba atinge as lésbicas, as heteros, as bissexuais, pansexuais… TODAS, SEM EXCEÇÃO. Em menos de 3 minutos, e se eu só visse somente essa cena e pudesse descrever o autor dessa merda em um resumo de uma linha, eu diria que ELE ODEIA AS MULHERES. Não posso esquecer que ele marginaliza também o pessoal do BDSM. Ele coloca todo mundo na lista de PSICOPATAS MALUCOS QUE MATAM PESSOAS EM BUSCA DE PRAZER, e que eu sei que não é isso, nem ferrando.

ALÊ: Olha, quando comecei “Platinum End”, eu definitivamente não esperava que fosse chegar NESSE NÍVEL!!! Eu fiquei abismado durante metade desse episódio com o quão LIXO foi essa representação. Podre e ofensiva em todos os níveis. Que ódio dessa merda. Quando a guria apareceu no final do episódio passado, imaginei que fosse ‘só’ ser uma Yandere seguindo os moldes que já vimos em outras obras, mas não, o Ohba tinha que “inovar”. Ela tinha que ser lésbica, porque sim. Lésbicas não gostam de homens porque acham eles sujos. É um endosso de que a gente ESCOLHE quem vai gostar, que puta que pariu. E só piora essa questão pela garota ser uma psicopata e ESTUPRADORA. Essas coisas me deixam num ódio, que não consigo nem expressar o quão puto que eu fiquei. E não vou nem entrar na questão de que esse mangá foi publicado numa revista Shounen para uma porrada de adolescentes, e que essa mentalidade ajuda a perpetuar essa visão completamente distorcida. A guria ter um aval para matar e estuprar garotas feias, implica diretamente em querer dizer que essas garotas consideradas esteticamente abaixo das demais, são merecedoras de serem estupradas e mortas. E as cenas são puro fanservice. Mostram closes nos peitos da criança (porque duvido muito que aquela garota que aparece na cena inicial tenha mais de 13 anos), e destacam até os mamilos dela. PARA QUÊ???? Porra Ohba, se foder. Eu não consigo dizer o que é pior sinceramente, porque o conjunto disso é a forma da catástrofe completa. Tudo é absolutamente ruim, mas ter tudo no mesmo episódio e EM SEQUÊNCIA que faz ser o pior momento até o momento do anime. E sim, é um puta discurso misógino do caralho, o que não é novidade vindo do autor, mas se a gente pensar por esse lado, o Ohba deve achar mulheres trans (serve para homem trans também) aberrações, já que elas não vão seguir a “designação natural” (entre muitas aspas nesses termos).

RUB: Esse negocio de designação natural é um padrão nessa história. Mulher a indefesa e o homem o salvador/forte. Nada foge dessa regra. E teve uma outra coisa que odiei, porque VOLTAMOS DE NOVO naquele tema do protagonista não matar. O problema desse arco não é ele não querer tirar as vidas alheias e sim a forma que a narrativa traz esse arco a EXAUSTÃO. É tão chato isso, que eu tomei um ódio desse protagonista e eu quero ele morra da pior maneira possível, porque ele é MUITO CHATO com essa merda de: “Não posso matar, porque prefiro morrer.” Esse desenvolvimento não progride, porque não tem discussões sobre a visão do personagem. É sempre da maneira mais extrema que os personagens defendem seus ideais. “Se você estivesse sendo ameaçado, o que você faria?” Gente, que discussão maluca foi aquela daqueles 3 personagens sobre matar a guria aleatória e o Metropoliman? Eu não consigo comprar esses diálogos. Ainda tem aquela cena deprimente do protagonista passando mal cogitando a Saki morrer. Aliás, a Saki não participa ou contribui para discussão. Novamente evoca aquela sensação que negócios ou assuntos sérios, somente homens podem discutir sobre os temas. Muito absurdo tudo isso, porque a personagem nem como SUPORTE ela está fazendo. Ela virou figuração e como “modelo” de motivação para o Mirai. SÓ. E Alê, que investigação criminal é essa? Testemunhas e pistas não levam a deduções lógicas. Aparece uma cena do crime e ninguém pensa em investigar a PORRA DA TORRE no dia da primeira guria ter aparecido morta. Parece que somente dois personagens são inteligentes. O Metropoliman e a anja dele. Os demais personagens não pensam mais nesse arco. Tanto que claramente aquilo era uma armadilha para pegar os outros candidatos e os protagonistas sequer veem como ideia MERDA ir de encontro ao Metropoliman, sendo que foi o mesmo personagem que planejou TUDO naquele lance do estádio. Eles pensam em salvar geral, mas que ninguém planeja nada. É no foda-se. O protagonista mesmo não analisa o que está fazendo, dando sugestões merdas para soluções. “Não matem o Metropoliman, porém você pode velho com câncer.” Além de medroso, ele faz outras pessoas fazerem coisas para ele. É um merda completo esse cara.

ALÊ: A Saki é literalmente uma planta e fica de enfeite. Ela não faz nada, não fala nada, não opina sobre NADA. Só existe praticamente. Entra muito naquilo que já comentamos. O papel dela ali é ser a mocinha a ser salva pelo personagem masculino. Não é atoa que ela não tem poder algum. As asas são compartilhadas com o Mirai e suas flechas, ela só usou uma única vez no próprio Mirai (que não serviu de nada, vale dizer) e acabou. O restante é figuração, tempo de tela e terminou sua participação. Nem personalidade ela tem. Mudando de assunto, eu quase chorei de rir com o Mirai se ‘auto traumatizando’. Foi tão ruim, mas tão ruim, que ficou maravilhoso demais!! A produção não se ajudou. Os rostos caricatos e considerar que tudo aquilo era fruto da própria imaginação dele tornou tudo melhor. Ele gritando para parar é OURO. Eu amei. E sabe, queria que Platinum End fosse ruim mais para esse lado, de ser tão absurdo de ruim, que fica bom. Eu genuinamente rio quando ele vai para ser extravagante. É um entretenimento muito bom. Porém a obra não é somente isso, o que me gera mais desgosto e raiva do que diversão por momentos como esses do inicio. Enfim, não gosto do Mirai, acho ele insuportável. Todo aquele discurso dele não matar não é nem um pouco convincente, principalmente pela parte de não desejar mal a ninguém, o que meio que já aconteceu no primeiro episódio dessa bagaça. Na verdade, quando você pega o episódio 1 e vê ele falando agora, as coisas meio que não batem. E claro, a Saki que tinha que ser usada como forma de demonstração. Pelo que parece, ainda vão ficar dando mais algumas voltas nessa história dele não querer matar ninguém. Ou talvez não, já que o Mukaido morreu, então pode ser que agora tenhamos um ponto de virada e o protagonista vire frio, dark, edgy (não me surpreenderia nem um pouco) e vai ir sedento atrás do Metropoliman. O que acho impressionante é que a Torre está aberta. Não tem nada tampando lá em cima e meio que ninguém percebeu. Não tinha um helicóptero passando ou algo do tipo? Não entra na minha cabeça ninguém ter visto aquilo antes. Me irrita profundamente que ninguém pensa o mínimo. Para fazer o Metropoliman soar como inteligente, o autor deixa todos os demais personagens BURROS. Mesmo o Mukaido que teve boas sacadas para evitar ir ao estádio, teve uma ideia idiota nesse episódio. Por fim, a guria que é lésbica e psicopata, também morre na explosão ao atender os desejos do seu mestre. Claro, esse é o destino dessas pessoas, é o que elas merecem…

RUB: Alê, essa parte do plano é muito idiota. Primeiro começa pelos absurdos do Nanato conseguir umas paradas high-techs de defesa, que muitas delas, nem os poucos militares japoneses tem acesso a tal arsenal. O maluco me consegue armas e juggernaut blindado com facilidade. Argumentam que usou flechas, mas não sei como, porque ele tinha usado as 14 flechas antes no estádio, mas vamos relevar esse furo, porque em seguida ele comenta que muitas dessas tecnologias são da empresa que ele trabalha, não fazendo menos sentido, porque DO NADA, um maluco que volta a trabalhar e que está morrendo, e ninguém ver ele pegando essas coisas. Mas ok, vamos considerar que POR MILAGRE, eles conseguiram burlar toda a segurança desses locais e conseguiu armamentos de guerra com toda essa facilidade no Japão. Vamos dizer que isso aconteceu. Para o Mirai, o Ohba me manda uma roupa toda estilosa, igual ao pessoal que faz esporte radical na neve, só para ter o protagonista com um visual cool. Outra parada que não encaixa, porque o Nanato está armado e blindado ao extremo, possivelmente que o protege de explosão também (vai por mim Alê, esse maluco não morreu na torre, porque aquela roupa deve suportar impactos de explosões), enquanto o Mirai, no máximo, deve se proteger de alguns tiros de armas de baixo calibre. Foi dito no episódio passado que o Metropoliman está usando geral para procurar outros candidatos para matá-lo. Facas, armas e explosão agora no final (como ele conseguiu isso no Japão, mais uma dúvida). O Mirai está com a roupa menos tática, só para aparecer mais descolado porque o autor é burro demais e não pensa no que escreve. E como era de se imaginar, era uma armadilha. A Mimimi MORRE e, literalmente, sua participação é resumida em fazer estereótipo de lésbica que não gosta de homens e que gosta de meninas menores de idade para matá-las em cenas deprimentes sem justificativa. Nem para fazer algo de relevante, tanto narrativamente ou servir de construção dos outros personagens, mas não. Apareceu e morreu no mesmo episódio, sem importância alguma.

ALÊ: Sim, é completamente absurdo. E como disse, isso só melhora (ironia) considerando que os personagens estão se achando super inteligentes. A roupa do Mirai não é nenhum pouco funcional para o que está propondo, mas né, tem que deixar o personagem com uma aparência ‘descolada’. E olhando as capas do mangá, parece que a Saki vai ganhar uma roupa parecida com a do Mirai, só que a dela vai destacar os peitos dela. Surpresas? Nenhuma. Eu não tinha considerado a possibilidade do Mukaido estar vivo, mas realmente faz sentido ele aguentar o impacto da explosão. Agora quem com certeza não sobreviveu foi a Mimimi. Quando ela apareceu, achei que ela iria render pelo menos uns 2 episódios, já que a ideia (ao que aparentava) era ter alguém para fazer os personagens se moverem, mas não foi o que aconteceu. Ela começou e terminou aqui. Um simples estereótipo, misógino e homofóbico. Parabéns autor.

RUB: O que nos aguarda semana que vem? Mais coisas ofensivas? Espero que não, porque aturar mais episódios iguais a esses será bem difícil. Quero a ruindade, mas em sua forma mais simples, vindo da incapacidade do Ohba em escrever boas histórias. Tomara que semana que vem retornemos com a programação normal de Platinum End.

ALÊ: Exato! Torcemos pelo pior, mas por um pior que não seja ofensivo da forma que foi nesse episódio. Aguardaremos pelo próximo episódio e ver o que nos espera.

O que nos aguarda no próximo episódio?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s