Platinum End #2 – Impressões Semanais

Diretor, você prometeu!

Como combinado anteriormente, iremos comentar “Platinum End” semanalmente (ou pelo menos tentar). O episódio dessa semana só reforçou os problemas que apontamos na semana passada e com o acréscimo de ser ainda pior que o episódio de estreia. Vamos lá falar desse capítulo e senta que lá vem bomba… NOTA DO REVISOR: terá um comentário com spoiler perto do final dessa postagem. No momento que lerem uma tag [SPOILER], saiba que terá comentários a seguir sobre o que virá na história dessa obra. Caso não queiram saber, só pular o trecho específico.


RUB: Alê, bora lá nessa nova tentativa de entendermos o não compreensível roteiro de Platinum End. E o dessa semana decidi seguir o que eu disse no post sobre o primeiro episódio, em que não farei esforço algum de tentar interpretar ou fazer conexões sobre o que é mostrado no anime com o conhecimento geral. Tentarei focar apenas nos temas que a obra quer mostrar e entender a ideia geral somente usando o que os autores desse treco disponibilizam nessa história. Até porque a droga do episódio começa com o Deus daquele mundo que vivia na cracolândia (não parece ser alguém saudável), decide sair em aposentaria, porque abstinência de droga foi pesada nele. Inclusive, como é possível um Deus ficar cansado? Tipo, ele literalmente É UM DEUS. Cansaço é tão limitação física de seres vivos, que acho bizarro um ser com imenso poder e etéreo, decidi tirar o cochilo da tarde, pois a feijoada não bateu bem. São ideias tão soltas, que aparentam que o roteirista dessa história escreveu a primeira coisa que veio na mente. “Vou fazer um battle royale que irá DURAR 999 DIAS”. Por que esse número? Por que são 13 anjos? Número da sorte? Jogou no jogo do bicho essa combinação de números na cabeça? (fui bem específico nessa referência que a maioria nem vai entender xP) São coisas que parecem muito soltas com o que foi apresentado junto com o que está sendo falado com a futura construção de mundo que eles querem fazer. Tanto que temos anjos participando dessa competição e que o ÚNICO prêmio que eles vão receber é de se aposentarem também junto com o Deus de lá. Tipo, essa aposentadoria é boa? O que fazem? Que hierarquia maluca de classes são essas que explicam superficialmente? Se são OS 13 ANJOS MAIS FODAS, porque só alguns só podem dar ou flecha ou asa? Como a explicação é pífia ou não faz sentido, resulta em mais indagações por parte de quem está vendo. Se essas regras fossem melhores explicadas e construídas, muitas dessas dúvidas sequer passariam pela minha cabeça. Inclusive, acho que a produção notou que o roteirista original fez merda, que eles incluem notas no meio do episódio PARA MELHOR explicarem essas tais regras que tem nessa competição do próximo Deus. Em seguida temos a OP que eu pulei, música genérica do caramba, e que só vi o último verso dizendo para AVANÇAR e temos na cena o protagonista pulando de um prédio. SHOW DEMAIS em dar aquela glorificada em algo tão sério.

ALÊ: Eu desisto no momento que o anime começa, porque já sei que é ruim demais e não tem sentido mesmo, mas não consigo não achar impressionante a forma que o autor consegue se contradizer a cada duas frases. É algo muito incrível, ainda mais quando você considera que o autor já tem anos de experiência (evidência também que ele não aprendeu nada. Pelo contrário, regrediu). Mas enfim, acho muito estranho DEUS estar cansado e ainda quererem passar essa ideia representando ele como um velho. É como você disse. É um DEUS, sabe? Como isso? Ainda que fosse como “Tenchi Souzou Design-bu” (anime excelente por sinal), que Deus se cansa de ter que criar os animais e terceiriza o trabalho dos designs para uma equipe contratada (amo essa proposta), mas o autor quer um tom mais “sério” (pff) e é muito estranho mesmo… Isso de parecer ideias soltas e o autor ter escrito a primeira coisa que veio a mente é bem real, porque assim, lendo o volume 1 do mangá, é exatamente essa a impressão que passa, um amontoado de ideias que não encaixam e que soam como se o autor tivesse pensado: “Ah, isso daqui é legal (cool). Vou colocar!”. Eu ainda acho muito estranha a questão dos anjos, tanto por tudo que você apontou, como pela escolha dos participantes. Parece algo muito aleatório o que não faz exatamente sentido, considerando o porte do cargo. Tipo, qual a vantagem de escolher um cara como o ‘comedor de idols’??? Para além de que os anjos são super suspeitos e até um pouco mal intencionados, eu diria. Eu pulei boa parte da OP (música ruim, animação ruim), mas vi logo o finalzinho que termina com o protagonista se jogando do prédio e a música dizendo: “AVANCE SEM HISITAR, vai!”. Mano, na hora que vi isso não tive como não pensar na nossa conversa sobre o autor parecer dar um tom de glória no suicídio. Pode não ter sido intencional no caso da OP, mas meu deus, foi um close muito errado…

RUB: Sim. Tanto que agora o protagonista está em uma vibe oposta ao de tirar a vida, apesar de ainda manter um comportamento totalmente apático, sendo mais uma contradição isso. Pensa comigo. Se você agora está SUPER animado para ser alegre (graças ao ensinamento torto da mãe sobre o conceito de ser feliz) e trazer felicidade/paz para toda humanidade, a última coisa que você estaria é DESANIMADO. “Ganhei poderes e posso ajudar todo mundo, MAS SERÁ SOMENTE AMANHÃ.” WTF!? Tipo, quando a Nasse fala para ele ir logo fazer o bem para geral, era exatamente algo que eu esperaria de alguém com um objetivo TÃO altruísta assim e que tem a possibilidade de realizar algo de bom de fato. Não bate o discurso e ação do personagem, sacas? Caralho, me irrita profundamente a cara de paspalho do Mirai. Aí temos toda a sequência do comedor de idols DE NOVO. Eu tinha elogiado a direção por decidirem ter cortado toda essa sequência no episódio passado, mas agora foi para o ralo qualquer mérito que eu dei para a produção. QUE MERDA ESSA PARTE. TOTALMENTE DESNECESSÁRIA. E como você comentou, por que caralhos o anjo escolheu esse maluco pervertido? Ele não quer ganhar? BIZARRO, para não dizer outra coisa. Até para complementar, uma das idols nessa cena foi dublada por uma guria, que é uma seiyuu que faz o tipinho Kawaii para agradar os fãs, e que também se envolveu em uma treta de traição. A guria namorava um outro famoso, mas tinha um caso com o seu empresário e esse maluco tinha outros relacionamentos com garotas diferentes. Não sei se a cena foi gravada antes ou se a produção fez de proposito essa escolha para fazer um paralelo com a realidade. Não importando as alternativas, parece que tudo de maluquice vai acontecer aqui nessa produção. Tem todos os sinais da desgraça. Voltando ao anime, temos toda a cena de fanservice, culminando em um Kamen Rider prateado matando o maluco. Agora vendo esse episódio, me pergunto qual a intenção dos autores ter esse personagem ali. Se era para ter um tom mais sóbrio, por que colocar algo tão deslocado como um maluco fantasiado de herói de tokusatsu nesse roteiro? Novamente, não parece se conectar com nada mostrado ali. É muito jogado.

ALÊ: Exato! Não tem o menor cabimento. O anime tenta te vender a ideia de que o protagonista quer “fazer o bem” (esse conceito na visão do autor é um tanto distorcido) ou até mesmo ser feliz, mas não é o que é mostrado pelas expressões do personagem. “Ah, mas ele tem depressão”. Então isso entra num ponto de que o autor não explora isso de uma maneira decente para você comprar essa ideia. Oscilações de humor são muito comuns em quadros depressivos (falo por experiência própria), mas mesmo nos momentos que eram para ser surpreendentes para o personagem ou que ele diz estar com uma meta, empolgado/entusiasmado com alguma coisa, isso não é refletido nele. Ele segue com aquela mesma cara de peixe morto e é só… Vazio e só isso. Sobre o diretor, eu retiro o que disse dele semana passada. Porra, tinha elogiado o cara por cortar a cena do mangá, aí ele vai e coloca essa parte nesse episódio, POR QUÊ??? Eles voltam no tempo só para gastar UM MINUTO nisso, sem qualquer necessidade. Porra velho, aí não caralho. Já sobre o Metropoliman (nome horroroso) bem… Eu achei muito vergonha alheia. Estava rindo do quão bizarro era ter um personagem daquele dentro da história e minha nossa, frases de efeito e toda a cena é muito ruim, principalmente porque tentam passar uma tensão com o Mirai todo preocupado (e eles enfiando explicações sem necessidade), e enquanto isso eu só estava rindo. Se me lembro bem, na época que o Gabriel Sau comentava o mangá no canal dele, ele falava que o Metropoliman era o pior personagem da série. Ele é ruim e deslocado. E até onde sei, ele ainda vai durar bastante. Vamos nos preparando para o que vem aí. A gente está conversando e penso que talvez, o autor queira atirar para todos os lados mesmo. Pensa assim, a proposta é ser um Battle Royale, algo que é muito famoso. O combate tem um período de tempo muito longo e que faz render mais o mangá. E os personagens são dos mais aleatórios possíveis. Tem o cara tarado por idols, tem o protagonista apático/”depressivo”, tem o cara do tokusatsu e apresentaram nesse episódio a guria que o Mirai gosta… É uma série de fatores que me fazem pensar que o autor pegou um amontoado de coisas e arquétipos que são ou foram populares no Japão, juntou tudo e lançou o mangá para ver se rendia. Parece muito algo com o intuito de arrancar dinheiro de otaku (de mal gosto).

RUB: Toda essa ideia de misturar ideias e conceitos é muito merda. Outra parada que detestei foi que o autor coloca algum número arbitrário para alguma regra. “Depois de 33 dias, a flecha vermelha perde o poder.” Agora flecha vermelha tem prazo de validade, igual perecível fora da geladeira. É um bagulho que FORÇA o alvo a gostar de quem atirou, porém o efeito é que nem placebo. Literalmente funciona quando o roteiro quer. Inclusive, a anja falar: “Você pode usar a flecha na garota que gosta para ela te amar e depois, você tem algumas dezenas de dias para CONQUISTAR sua amada.” Antes era uma flecha que coloca um amor avassalador no alvo, mas agora pode ser usada para “despertar” interesse na amada para ela te notar. Que bosta. O poder agora é variável de acordo com a conveniência e da necessidade do autor chegar em algum ponto. Ainda no assunto de flechas. o Kamen Rider Prateado fez com que a flecha virasse uma lança DO NADA. E ainda socam um limitador de 14 flechas, mas que 2 minutos depois, ele está atirando centenas de flechas e todas estão ativas. Caralho, o roteiro não consegue manter uma simples ideia estabelecida antes, sem cagar completamente essa parada no momento seguinte. E toda essa parte do assalto ao banco é um negócio tão ruim, mas tão ruim, que parecia que eu estava assistindo Os Trapalhões, só que sem piadas sendo contadas. Não tinha graça e só restava uma vergonha alheia com as frases de efeito que o maluco soltava a cada 10 segundos. E esse maluco ligou o foda-se, porque saiu contando tudo na TV sobre esse Battle Royale divino e tudo bem. As reações dos repórteres também é uma outra parada sem sentido algum. “Nossa, será que é seriado de TV???”. Meu filho, você estava vendo UM ASSALTO há um minuto atrás. Que tal você se perguntar porque tem um maluco voando em vez de pensar que é uma novela caralho. As reações desse pessoal não tem nada a ver com o que deveria ter sido. Era para a imprensa estar maluca em vez de descrença, porra. E para completar o pacote, o maluco Kamen Rider estuda na mesma escola que o Mirai. NOSSA, QUE CONVENIENTE.

ALÊ: É muito absurdo essa visão de ter uma flecha do amor que TE OBRIGA a gostar de alguém, mas que ao mesmo tempo se vocês acabarem se gostando até o fim do período de duração da flecha, o amor se concretiza. Eu estou sendo obrigado a gostar daquela peste, como que eu vou amar o ser de verdade??? EU NEM TENHO ESCOLHA. E até me incomoda essa flecha é quase como você estar com uma pessoa bêbada que não está em plena consciência de seus atos. O cara tarado lá, ele fica com as gurias sem elas terem um consentimento (entramos na visão de estupro). Está certo que ali eles ainda colocam o cara como um taradão filho da puta (com ressalvas), mas sei lá, a Nasse ficar incentivando o uso daquilo. O roteiro às vezes usas essas flechas como se quisesse tornar aquilo romântico, muito embora o protagonista recuse usar. O anime/os personagens chegam em umas conclusões muito “????” das ideias, por exemplo, a Nasse falando que “Ser escolhido como candidato a Deus significa que o humano perdeu a esperança de viver.” (18:15 no episódio). É O QUÊ? Qual o sentido disso??? Partindo da ideia de que Deus cuida da gente, qual o sentido de você ter um Deus sem esperança na vida?? Vai matar todo mundo? Fora algumas tentativas de filosofar e que não tem o menor cabimento. Não chegam a lugar algum e/ou que só contradizem o que foi dito anteriormente. E ainda falando da cena do assalto, é dito que precisa acertar uma flecha de cada vez. Logo em seguida ele atira e acerta várias de uma vez. Isso sem contar que o cara matou o bandido lá e não acontece absolutamente NADA. Mesmo que os policiais e repórteres do local estivessem com a flecha, não teve nenhuma reação alvoroçada dos demais em volta. Sei lá, uma reportagem, uma investigação… nada. Aquilo foi assistido e está tudo certo, porque no fim, “o mal foi eliminado”. Parece muito a conversa de “Bandido bom é bandido morto”, que inclusive, é um discurso muito presente em Death Note (mesmos autores) e que eu estava até falando com uma amiga, que Platinum End e Death Note tem ideias que no fim das contas são bem parecidas. Conseguem conversar bastante entre si nesse sentido. [SPOILER] E se já não bastasse o Kamen Rider estudar na mesma escola que o Mirai, a guria que o protagonista gosta também é uma das escolhidas para a candidatura. 3 dos candidatos a Deus estudam na mesma escola… Uau. [FIM DO SPOILER]

RUB: Platinum End vai se caminhando para uma das piores adaptações de mangá que tivemos nesses últimos anos. Fazia um tempo que não aparecia algo vindo do mangá ter uma história tão ruim assim. Vamos ver como se prossegue essa narrativa, pois tem de tudo para ser uma das piores experiências que iremos ter nesse anos. Agora que estamos aqui, torço para piorar ainda mais até o seu final. Se vamos nos afundar, que seja no mais profundo possível.

ALÊ: Sim. E ainda fico um pouco surpreso por a animação estar tão ruim. Tipo, é um trabalho de autores muito famosos e está desse jeito. Pelo menos esse episódio confirmou o que supus no nosso post anterior. Vão ir adaptando, mais ou menos, meio volume do mangá por episódio. Esperem por algo bem corrido. Também fico na expectativa para piorar mais. Pelo menos fica engraçado hahaha.

Finalizamos o post com esse LINDO quadro do anime (sarcasmo), até a próxima semana ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s