Dorama: Cherry Magic! (30-sai Made Doutei da to Mahou Tsukai ni Nareru Rashii) #8 à #12 – Impressões Finais

Terminando os comentários do dorama quase 1 ano depois…

Olá meus queridos. Espero que estejam todos bem na medida do possível ^^. Hoje venho “terminar” os comentários da adaptação em dorama de “Cherry Magic!”, ou o nome enorme que também está no título, rs. Muita gente passou a acompanhar o blog só em 2021. Aos que não sabem, eu comecei a falar sobre os primeiros 7 episódios de “Cherry” (nessa e nessa postagem), só que por N motivos, acabei não comentando os últimos episódios, nem fazendo a review da série. No dia 9 de Outubro, estreia o dorama de “Kieta Hatsukoi” (shoujo gay) e eu prometi para uma amiga (beijos Paminha) que terminaria os comentários de Cherry Magic! antes da estreia de Kieta (que eu devo comentar no blog). Por isso, estou desenterrando a obra, rs. A review deverá estar sendo lançada no dia 11 ou 12 de Outubro ^^

Eta homem bonito…

Bom, para falar dos episódios finais, eu tive que rever eles e nossa, como Cherry Magic! é bom! Tinha me esquecido o quão gostoso, divertido (e às vezes triste) era assistir e acompanhar os personagens da série. No fim das contas, foi muito bom estar finalizando meus comentários agora 🙂

Antes de sair para meus elogios da série, preciso comentar logo da parte que menos gostei dela, sendo esta a do casal secundário. Eu não consigo curtir tanto o núcleo deles. Eles me deixam constrangidos (de uma forma não tão positiva), principalmente pelo Tsuge. Eles são um casal ruim? Não. Definitivamente não. Eu só acho que eles não vendem tanto carisma quanto o Adachi e o Kurosawa, mas até esse ponto, acho que é meio consenso geral. O episódio 8 em especial me deixa um pouco triste, porque o encontro era para ter sido entre o Adachi e o Kurosawa e o Tsuge ‘atrapalhou’ :’) – muito embora o encontro seja compensado futuramente. O senso de humor que gira em torno do Tsuge não funciona comigo. Eu acho toda a parte que envolve ele e o Minato “ok” no máximo e é isso. Felizmente eles não tem muito destaque e venham aparecer mais no episódio 8 e 9, e felizmente também, o relacionamento deles desenrola mais rápido. As pendências são solucionadas logo e o centro das atenções volta a ser Adachi e Kurosawa. Acredito que a função do casal seja mais para que o Adachi tivesse alguém com quem conversar e que estivesse no mesmo barco que ele. Cherry Magic! fala justamente dessa dificuldade dele de se expressar e o Tsuge cumpre uma função para o personagem conseguir conversar com alguém mais abertamente, então faz sentido darem um ponto no outro casal o quanto antes e voltar a trabalhar com os principais. Não é atoa que o Tsuge/Minato mal aparece no mangá pelo que parece. Eu não acompanho, mas pelo que vejo do que a autora posta no Twitter, a presença desses 2 parece ser bem momentânea e pontual. Vale dizer que a forma que colocam ambos os casais e como eles intercalam entre uma cena e outra, muito boa.

Agora sim focando no casal principal, eu gosto muito desse arco final, principalmente pelo todo que ele forma e a importância que tem para o Adachi. Assim, toda a proposta e ideia por de trás da magia, era basicamente para falar de comunicação e a dificuldade do personagem em se expressar, para além disso, ainda ter a questão de tentar corresponder as expectativas. O começo da obra trabalhava isso com o ar de comédia, focava principalmente no lado mais cômico nas situações (às vezes) constrangedoras que o Adachi se metia e no descobrir que o Kurosawa gostava dele, e claro, como ele viria a se sentir sobre o Kurosawa. Porém quando chegamos na reta final, a autora confronta a questão da comunicação. No momento, o Adachi tinha se acostumado com a magia, chegando ao ponto de ter medo de ter que dar adeus para ela (o que eventualmente viria a acontecer), ocasionando em momentos dramáticos na reta final.

Eu acho esse conflito muito bom, porque são diferentes “poréns” que aparecem na mente do Adachi e todos são muito palpáveis. Ele não quer perder a magia, porque de certa forma, isso facilitou a vida dele. Ele conseguiu ‘se localizar’ melhor, se comunicar e entender o que precisa fazer, mas também se dá conta de que a magia é nada mais, nada menos, que uma invasão para as pessoas que ele toca. Há também a questão dele não ter controle sobre a magia e escuta pensamentos que ele não deveria saber – o que acaba sendo um dos fatores para o término dele com o Kurosawa.

É muito interessante ele pensar nisso e estar muito confuso com tudo o que está acontecendo com ele. Doeu o término deles? Sim, um pouquinho, muito… Felizmente, a separação dura pouco. Fica mais como um espaço/tempo que o personagem precisava para pensar o que era uma prioridade para ele e o que realmente importa para o protagonista. Comunicação e laços se constroem, mesmo com dificuldades. O importante é conseguir transmitir o que você sente e o que vem a ser um complemento, por assim dizer, dessa linha de pensamento, tendo o projeto do Adachi para o concurso da empresa serem clipes com expressões. São detalhes bem legais 🙂


A sensação ao terminar a série é muito satisfatória, mas fica aquela sentimento de: “Puts, quero mais, PRECISO de mais!”. Pelo que vejo falando (de quem está acompanhando a mídia há mais tempo), é bem raro doramas terem novas temporadas. Então fica aquela esperança com um leve gosto de ilusão. Também é pouco provável, mas não custa sonhar com uma futura adaptação em anime, afinal, o dorama deu MUITO certo, começando com uma transmissão tímida nas madrugadas de quinta-feira no Japão, para um completo estouro logo depois. Quem sabe a editora japonesa não queira se aproveitar disso para tentar emplacar a obra em mais uma mídia… POR FAVOR FAÇAM MAIS!!!! Quero ter a esperança de, algum dia, ter o mangá sendo publicado no Brasil. Eu preciso muito 😥

Tão fofos~~

Enfim, foram 12 semanas de exibição, sendo que dessas doze, eu acompanhei por 9 ou 10 semanas, numa ansiedade infernal. Lembro perfeitamente que toda quinta-feira (passado 6 episódios), “Cherry Magic!” entrava nos assuntos mais comentados do Twitter. Quinta-feira é dia de live da NewPOP e eu faço coberturas no Twitter do blog. Então era eu cobrindo e vendo o povo surtando pelo episódio da semana, ao mesmo tempo que eu não podia ver naquele momento e tinha que esperar acabar a live. Era muito legal ver isso semanalmente, além dos surtos semanais em decorrência do episódio, sejam de felicidade, vergonha alheia ou tristeza. Uma coisa é fato: Cherry consegue te conectar aos seus personagens. Você torce, sofre quando estão tristes e fica feliz quando eles estão alegres. Eram sensações tão boas de se ter. Passou-se 1 ano e “30-sai Made Doutei da to Mahou Tsukai ni Nareru Rashii” segue sendo meu dorama favorito! E com isso, encerro as minhas impressões da obra! Em seguida deve ter primeiras impressões de “Kieta Hatsukoi” aqui no blog ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s