Yuukoku no Moriarty (Moriarty the Patriot) #16 – Impressões Semanais

Louis finalmente entrou em ação!!!

O 16º episódio do anime apresentou uma narrativa bem linear nos seus eventos, então não tenho tanta coisa para comentar sobre os acontecimentos, dado que boa parte dele foi focado na resolução dos assassinatos. MAS tentarei fazer algumas suposições sobre os destinos da obra a partir daqui e realizar reflexões sobre coisas que percebi enquanto assistia o episódio ^^


Apesar de o miolo principal do episódio ser como eu havia dito, sendo voltado principalmente na resolução de quem estava por trás dos crimes praticados, não quer dizer que não há coisas aqui e ali para serem comentadas e que acabaram sendo as principais pontas do episódio. Vamos começar pelo menos importante nesse corre todo: estou adorando os tons cômicos que o anime está colocando nessa parte da temporada. Está sendo um bom acréscimo ao meu ver. Inclusive, gosto de como usaram o teatro de fantoches do Lestrade para brincar com cores e estilo visual. De início achei que era apenas algo para compor visualmente, igual fizeram antes no episódio #6, mas acabou sendo uma boa sacada para a comédia. E tenho uma pergunta: para quem só viu o anime, o que vocês estão achando desses momentos de comédia? Para mim são bons, mas fico me perguntando se soa estranho para quem só está vendo o anime, vide que quase não tínhamos momentos como esse nos primeiros 11 episódios. Fico curioso para saber como está sendo a experiência de quem só está acompanhando ao anime… Sem esquecer também do Sherlock que recusou o pedido de ajuda do Lestrade. O anime não desenvolve a continuidade dessa cena. Pode ser mostrado no próximo episódio, mas fico me questionando sobre o porquê disso,. Parte de mim acredita que dali não sairia algo que o entretenha realmente, por isso a recusa. No fim do episódio o Sherlock está lá na cena dos crimes para “desvendar” o que houve (ele mente, mas ok), então o que poderia ter acontecido para ele mudar de ideia? Tudo bem que ele está com uma cara de quem não queria estar ali, mas ainda assim ele não tem essa obrigação de ir até lá. Será que o John pressionou ele a ir? Alguém o convenceu? Talvez ele tenha percebido que tinha dedo do Lorde do Crime e resolveu ir… Não sei e ainda não temos como saber. Entretanto quero que mostrem o porquê dessa mudança ‘repentina’.

Agora outros aspectos do episódio que chamam atenção nesse miolo: essa foi a primeira missão da equipe que exigiu muito esforço deles. Os planos do Moriarty tendem a ser complexos, mas tudo parecia ser feito com certa facilidade pelo grupo. Por exemplo, o caso do Conde Enders nos episódios #6 e #7, o plano era complexo, porém os passos da execução eram até simples. Aqui você vê e sente que eles estão tendo trabalho. O Jack mesmo, ele comenta que aguentava segurar o povo por meia-hora e o Moriarty vai e diz “Opa meu querido, segura a barra por PELO MENOS 1 hora”. E no final, ele fica muito cansado, sendo quase flagrado pelos policiais, quase é fuzilado e o Fred tem que assumir o lugar para completar a missão. Aproveitando, a cena da metralhadora é MA-RA-VI-LHO-SA!!! Moriarty sempre brinca com alguns exageros, mas esse em especial foi excelente, porque traz muito dos exageros dos filmes antigos do 007 (não assisti, mas sei a fama que tem). James jogando a moeda e o Moran acertando a bala no ângulo perfeito para destruir a metralhadora é algo simplesmente fabuloso! E me encontro extremamente feliz que os dois realmente viraram parceiros (ao menos é o que dá a entender). Depois do episódio #15, eles aparentavam ser dois personagens que se dariam bem para gerar uma dupla e olha só, realmente parece que teremos isso daqui para frente ^^

Shippo muito!!!

Uma das coisas mais importantes desse episódio é sem dúvida alguma o LOUIS ASSASSINO!!! Finalmente o Louis entrou em cena para fazer algo realmente. Assim, eu falo que o Louis é uma planta, entretanto, mesmo antes de eu ler o mangá, eu já gostava dele. Simpatizo muito com o personagem e acho ele muito bebezinho. Bebezinho perigoso? Sim, mas adoro ele. Como sempre repito, os meios dos personagens não são os mais apropriados, MAS fazer o quê? Ryousuke Takeuchi escreveu eles dessa forma. Não defendo, porém os adoro. Acho que isso uma questão muito importante, porque há aqueles que acham que você gostar de vilão ou de personagens ruins, automaticamente faz com que você esteja passando pano para eles (nesse caso, pode acontecer mesmo, rs), porém eu GOSTAR do personagem, não quer dizer que eu concorde com suas falas/ações. A forma como ele é trabalhado e desenvolvido, fazem eu achar dele um bom personagem e isso não tem nada a ver com eu concordar ou não com o que está sendo praticado por ele(s). Enfim, até então o Louis era basicamente uma planta, com pouquíssimos momentos relevantes até o momento, porque a produção teve que cortar o desenvolvimento dele para a adaptação conseguir chegar em momentos chaves da narrativa. E eu quero MUUUITO que tenham mais cenas dele, mostrando mais do personagem, entretanto também do Louis contracenando momentos de ação com seu irmão. A dinâmica dele com o William me lembrou muito os Androides 17 e 18 (Dragon Ball). Uma sensação meio nostálgica. Ele tomando a frente e partir para atacar e matar os caras, literalmente com o sangue nos olhos, foi um momento muito bom. Infelizmente foi muito rápido (30 segundos mais ou menos), mas wow, que maravilhoso! Fiquei empolgado com esse momento do capítulo hahaha.

Gosto muito desse print aqui, porque é basicamente o que o Louis sempre quis: ajudar efetivamente seu irmão na execução dos planos

Além disso, tem outros três pontos principais nessa parte do episódio. A 1ª delas foi que tivemos a aparição de Helder (o cara da venda). O personagem não foi trabalhado nesse episódio, tendo aparecido apenas em momentos chaves, mas sabemos que ele mexe com armas, entende muito do assunto e consegue arranjar ou até desenvolver diferentes tipos de armamento (além de ser um homem 2D muito lindo). Pela prévia do episódio #17, aparentemente será bastante voltado ao Helder, Peterson (policial infiltrado), no James e no Moran. Podemos esperar desenvolvimento, principalmente para o Helder e o policial. Quero ver como que os dois chegaram ao Moriarty. Não sei se vão mostrar de fato, mas estou torcendo para ter algo do tipo. Quero muito saber o que irá sair dessa combinação de personagens interagindo entre si, principalmente porque teremos alguns atritos?! Ou seria melhor dizer, provocações vindas do Paterson? Não sei o que vai acontecer. Como de costume, estou bem animado.

Outro ponto é que trouxeram novamente a questão de revoltas populares para a rodinha. Porém, nesse caso aqui, acredito que quem estava orquestrando essa cena queria meio enfraquecer os dois lados, para que um “terceiro” aparecesse e meio que controlasse o outro, com a finalidade de usar eles para conseguir algum benefício próprio. Eu acho isso bem interessante, mas sinto que o anime teve que enxugar o desenvolvimento do que estava acontecendo para conseguir adaptar, deixando apenas as bases principais para que fizesse sentido. Não fica muito claro essa parte e qual seria o objetivo com a possível rebelião dos moradores da localidade, mas ok. O ponto principal consegue ser estabelecido ali. E o que acho legal também é a ideia do Moriarty para tentar acalmar os ânimos dos dois lados da história, criando um inimigo em comum a ser combatido e derrotado. É uma estratégia muito boa que realmente faz sentido. É bem aquela frase: “O que nos une é o ódio”. É exatamente isso hahahaha.

E por fim, alguém conseguiu descobrir a identidade do Moriarty e… Fodeu. Fodeu, fodeu, fodeu. Só consigo pensar nisso. Cara, tu olha pro mano e já sente o cheiro de podre. O Moriarty não vai conseguir prever (ainda) que tem alguém que arquitetou esse plano, mas acima de tudo, que alguém sabe qual a real identidade dele e o que está fazendo debaixo das cortinas. E o complicado disso tudo é que esse tal Charles não está só. Parece que ele também tem sua organização. O que eles querem exatamente é o X da questão. Suponho é que ele também queira mudar o sistema? Ele estava ligado aos caras que cometiam assassinatos sob o nome de “Jack, o Estripador” e também parece ser um “Consultor do Crime”, assim como o William é. Só que os objetivos dele parecem ser mais voltados à benefícios próprios ou algo que beneficie principalmente a classe dele. Os objetivos ainda são bem obscuros. Não temos muitos indícios do que ele quer fazer, mas de certo vai render problema (irei filosofar mais sobre logo abaixo).


Uma coisa que eu pensei sobre o que a narrativa quer trabalhar é a relação Moriarty x Sherlock. Estava muito atado ao pensamento de que Moriarty é o antagonista do Sherlock, então eventualmente eles vão se encontrar e isso vai dar merda para o Moriarty e de certa forma, é o caminho mais “certo” a se pensar diante do que temos até aqui. Porém quando o Sherlock mente sobre o que seria a causa das mortes dos verdadeiros organizadores dos assassinatos e o Moriarty se questiona sobre o que o Sherlock escolheria, sobre “A verdade inconveniente ou a mentira conveniente.”, o Sherlock parece ver os Lordes do Crime (William) como inimigo e nem o William parece ver ele como uma ameaça (isso já evidenciado por todo o andamento da história até aqui). Diante da fala dele no episódio “Mas ele está bancando o Robin Hood!”, ele demonstra começar entender qual a real intenção do Lorde com esses crimes, mas não sabe o que ele de fato está pensando construindo tudo. Percebam que não parece ser a intenção da narrativa colocar os dois como inimigos. Eu tenho a impressão de que na verdade eles vão se ajudar (em partes) em algum momento da história. Você tem o plano do William em colocar o Sherlock como a luz em meio às trevas, aquele que irá mostrar a verdade por trás dos assassinatos cometidos pelo Lorde do Crime, porém é só isso. Assim como o Sherlock vê nele uma oportunidade de conseguir entretenimento ao tentar desvendar os crimes mais complexos gerados por ele. E agora com a aparição desse cara no final do episódio, ele sim aparenta ser o grande vilão da história. Agora que esse tal Charles sabe qual a identidade do Lorde do Crime, fodeu. Apenas isso. Tu olha para o cara e já vem merda por aí. Não sei como se dará, quando vai acontecer e em que proporção. Vou cravar que esse cara vai render muitos problemas. Isso me preocupa? Me preocupa sim. Ai dele se fizer algo com meus bebês…


Antes de partir para o último assunto, preciso falar das cenas de ação do episódio que estavam muito boas. Não tem nada extremamente bem coreografado e tal, mas é evidente que tem animação sendo movimentada com muita constância nesse episódio. Em algumas postagens eu comentei que Moriarty priorizava principalmente os designs de seus personagens, tentando sempre manter eles consistentes (e bonitos). Por ser uma narrativa de suspense, a direção consegue trabalhar excepcionalmente bem as expressões faciais para passar sentimentos. Mesmo sendo mais estático, esse conjunto combina bem com a obra. E ter uma animação mais estática (que não se move muito), permitiu os personagens terem designs mais detalhados. Nós temos uma produção que é “contida” na maior parte do tempo, mas que consegue se virar muito bem no estilo narrativo, focando em olhos, boca e partes do corpo para expressar como os personagens se sentem em determinada situação. E quando necessário, eles entregam animação quando ela é mais necessária. Esse episódio foi muito movimentado e tinha animação sendo entregue. Personagem correndo, coisas estourando, explosões, fumaça… tudo que tem mais movimento estava excelente e nada torto, com muita consistência. Eu fico muito feliz por “Yuukoku no Moriarty” estar tendo uma produção tão boa, como também uma staff excelente ❤

Quero muito mais dessa dupla (cof casal cof) perfeita!

Por fim, eu queria dedicar o fim dessa postagem para retomar algo que comentei no post do episódio #15: a transexualidade (ou não) do James. Na postagem mencionada, eu comentei sobre James ser um homem trans. Porém, posteriormente ao lançamento da postagem, algumas pessoas discordaram do apontamento e também vi essa questão sendo debatida em alguns lugares. Logo, por que não debater sobre o assunto? Adendo que não sou uma pessoa trans, então não vou afirmar nada, apenas irei tentar considerar algumas vertentes e expor a forma como interpretei com a ajuda de alguns amigos. O @Azulzin10 comentou comigo que viu em um fórum o comentário de um homem trans não ache a Irene/James como sendo trans. A argumentação dele foi a de basicamente que Irene estava apenas interpretando o papel, no caso homem (James), que lhe foi dado a partir daquele momento, com a finalidade de ajudar o Lorde do Crime a cumprir com seus objetivos. Diante disso, fui conversar com o @mainsucy (que me ajudou muito nessa questão). Pensando, pesquisando e refletindo bastante sobre o assunto, acredito que o personagem não seja um crossdresser, porque se assim fosse, o James não faria pressão, prensaria o Moran na parede e passaria quase metade do episódio cobrando respeito dele para tratá-lo como homem. Eu acredito que o mesmo valha para a argumentação de uma pessoa comentou na postagem do blog que James não é necessariamente trans. Ela acredita que ele seria Crossdresser, com o James ‘apenas’ se vestindo como homem e, novamente, como se fosse só a vestimenta, o James não cobraria o tratamento como homem da forma como cobrou no episódio.

Acredito ser importante ressaltar que a abordagem do anime não é exatamente clara, no sentido de que não se tem algo que afirme aquela possibilidade de ser trans, não-binário etc. (coisa que nesse cenário, não é algo que se espere, pois a obra se passa no século XIX). Você pode ter diferentes interpretações para o James. E dentro disso, nenhuma delas pode estar exatamente certa, ainda mais que estamos considerando material de basicamente UM episódio. É um material mínimo para você poder afirmar com 100% de certeza e que nem é exatamente claro. Por exemplo, uma amiga lê o mangá, comentou comigo que já são 7 volumes desde a aparição de James e não há nenhuma menção ou transição do personagem para outro gênero, o que poderia acabar com a interpretação de fluidez de gênero dele. Ainda temos o não-binarismo que sim, o James apresenta algumas características. Exemplo disso, a fala do próprio personagem: “Eu nunca fui do tipo que se encaixava em um único molde”. São possibilidades e talvez o tempo dirá com maior certeza o que o James é. Talvez isso nunca aconteça e portanto fique na interpretação de cada um. A ideia dessa parte do texto não é impor minha visão sobre os demais ou parecer que o que eu estou dizendo é o mais certo. Não é isso e nem tenho “moral” para isso, visto que não sou trans e não sou não-binário. Estou apenas considerando minha interpretação e colocando alguns pontos que amigos me trouxeram para mim. Então vamos conversar mais sobre. O que vocês acham, o que vocês não acham… vamos expor tudo isso, porque só enriquece a discussão e, consequentemente, o anime. O campo de comentários está aí livre para isso. Só aviso que todos eles passam por aprovação e nem sempre tem alguém de olho nisso, então pode ser que leve um tempo até seu comentário seja aprovado por um de nós ^^


Com a adição do Charles, aparentemente temos quem realmente será o vilão principal da narrativa e quem realmente trará problemas à família Moriarty. Quais serão os rumos da série daqui para frente? Temos mais 8 episódios para saber onde isso vai dar e qual o grau do problema que a revelação da identidade do William trará futuramente. Essa postagem está saindo mais tarde que o de costuma (quinta-feira (6)), mas tudo deve normalizar no episódio 17. Nos vamos daqui uns dias ^^

Ele nessa roupa e com esse cabelo me lembra algum personagem de quadrinho, acho que era de “X-Men”, mas não lembro ao certo…
Seria essa a representação de “Anjos da Morte”?!

4 comentários em “Yuukoku no Moriarty (Moriarty the Patriot) #16 – Impressões Semanais

  1. Eu quero começar a ler o mangá porque me disseram que tem momentos Sherliam kkk. Como não vivo sem spoiler, eu li o último capítulo pra saber como termina e SHIPPEI MUITOOO como a boa fujoshi que sou. O anime vai adaptar o mangá até o final? Quero muito ver esse capítulo em forma de anime!

    Curtido por 1 pessoa

    1. O mangá ainda está em andamento no Japão. O volume 14 foi lançado no comecinho de abril. Parece que o mangá não deve ir muito mais longe, há quem suponha que vá terminar na casa de 20 volumes.

      O que se suspeita é que o anime vá até próximo do volume 14.

      Curtir

  2. Eu só sei que quero chegar na idade do Jack com a mesma vitalidade que ele demonstrou nessa parte. O cara ficou MAIS DE UMA HORA correndo e pulando!!1!!!

    E a cena da moeda foi tão mentirosa e legal!! Gostei bastante!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s