Fairy Ranmaru: Anata no Kokoro Otasuke Shimasu #1 – Primeiras Impressões

O melhor anime da Temporada veio aí!!!!

Bom dia, boa tarde, boa noite! Estou aqui para comentar de uma das minhas grandes hypes da Temporada: Fairy Ranmaru! Anime gay da Temporada que apresentou uma estreia MA-RA-VI-LHO-SA! (apesar daquela cena…).

Sinopse:Situada num mundo de crueldade e desgosto, Fairy Ranmaru: Anata no Kokoro Otasuke Shimasu segue cinco jovens que trabalham no misterioso “Bar F” e que se oferecem para curar os corações dos seus clientes, enxugando as suas lágrimas e causando sorrisos que desabrocham como flores. Eles não aceitam nenhum pagamento… além de roubar o coração dos seus clientes.


Não sei nem por onde começar, porque gostei muito da estreia e sei que é apenas o começo de tudo que esse anime pode me proporcionar. Adianto também que essa postagem não deve representar nem metade do quão eu gostei do anime, então se vocês tiverem uma impressão positiva da animação pela postagem, saibam que meus sentimentos de empolgação são praticamente o dobro do que vou conseguir transmitir aqui 🙂

Tirando uma cena ou outra, o anime foi 100% proveitoso para mim. Eu vi o episódio ontem (dia 8) à noite no meu quarto e estava tendo pequenos surtos enquanto assistia o anime. Toda a apresentação visual do anime é muito interessante. Mas vamos pelo começo. Eu não leio sinopses normalmente, então foi uma surpresa saber que os protagonistas da série não são humanos de fato, mas sim fadinhas de outra dimensão (?). E falando nisso, PRECISO comentar sobre duas das Leis/Regras das Fadas com relação a estar no mundo humano:

  • “Romance. Nunca se apaixone pelo sexo oposto”; Nunca disseram que não podia ser pelo mesmo sexo 😡
  • “Luxúria. Nunca se envolva em um relacionamento físico com o sexo oposto”; Novamente, nunca disseram que não podia com alguém do mesmo sexo

O anime se esforça para te vender como gay. Ele te passa essas regras, transmite no visual e nas transformações dos personagens essas intenções. Até em momentos de conversas entre os personagens, como em dado momento que o Jyuka solta um “Gamei” quando vê o Uruu. São momentos maravilhosos, mas eu tenho que dizer que esperava mais momentos gays, porque era basicamente a proposta da obra. E se já não bastasse isso, essas duas regras foram “quebradas” logo no primeiro episódio. Eu coloco quebradas entre aspas, porque teve o climão hétero na cena, mas era bem mais metafórico do que qualquer outra coisa. Ao que parece, é a partir de quase beijos que a pessoa necessitada dá seu coração para a fada e assim, ele consegue se transformar e dar um jeito no problema que aquela pessoa tem. E além dela, ainda teve o outro cara do grupo saindo com uma mulher. Estava muito no “esfrega esfrega” dentro daquele carro e apenas estou chocado haha.

Quem não gamaria num homem desse??? Quero ver meu shipp andar!

Por mais que eu esteja super empolgado com o anime, o começo dele é bem morno. A primeira metade foi de a apresentação dos personagens, dar o contexto em que eles vão viver a partir de agora e introduzir a vida escolar deles. Também mostram que fadas que não seguem as regras podem ser rebaixadas a humanos, e o principal, o primeiro caso de “apego” deles. Eu gostei dos personagens não saberem o que é o tal “apego”. Não é só chegar e fazer o trabalho. O Ranmaru é o que mais parecia ter noção do que era o “apego” e o que fazer para acabar com ele. Os demais personagens da equipe parecem meio perdidos, o que é bom até para servir de contexto para quem está assistindo o anime. Pelo título, destaque do Ranmaru na OP e por grande parte do episódio ser focado no personagem. Os próprios companheiros de equipe esboçaram reação de surpresa ao ouvir sobre ele ser do do Clã Lux, então já dá para pressupor que ele será de grande importância para o desenrolar dos episódios.

Esse episódio também serviu para me lembrar como adolescentes podem ser nocivos. Não que seja algo particular deles, porém o caso em questão me lembrou dos meus tempos de escola que não eram lá muito agradáveis… De início eu achei um pouco forçada a situação da guria ficar fazendo bullying com a outra (reparei agora que os personagens secundários (?) não tem nome o_O). Não que as coisas assim não aconteçam, mas quando chegou o pico dos ataques, a garota começou a surtar e ficar falando “MORRA MORRA MORRA”. Parecia ser algo muito grande para uma questão de não simpatizar com a outra simplesmente. Entretanto é proposital, porque chega num ponto que a garota estava possuída pelo próprio ódio e talvez sendo até controlada por ele. Então quando chega no momento da batalha, eu consegui compreender o motivo de todo aquele alvoroço da garota.

Isso não estava no roteiro!!!

Depois desse cenário todo, ou seja, de mais ou menos 14 minutos até o fim, é um show que eu simplesmente AMEI! Começando pela transformação que é fabulosa. Tem muito de eu ficar pensando “SÃO AS WINX!!!”, mas a própria animação é divina! Executada de uma maneira excelente, com ótimos cortes e animação muito fluida na sequência de ação. Gosto do cenário usado ao fundo para compor a narrativa por de trás do caso, utilizando os olhos que estão ali para observar o que fazemos e me parece ser aqueles olhares em meio a multidões e são assustadores (experiência própria). Também temos o elemento de mensagens que eram o principal meio de ataque para a garota. É um cenário construído com a intenção de trazer elementos que vão fazer parte do todo, então devemos ter um ambiente para cada pessoa que o grupo de fadinhas irá enfrentar. Sem esquecer também da questão da chave, como “a chave para o coração das pessoas”, que é uma representação literal bem interessante ^^. Eu gostei muito do efeito de “causa e consequência” que apresentaram, porque no fim, os ataques que a guria promovia para a colega de sala, voltaram para ela mesma. Embora tenham só deixado naquilo, achei interessante deixar ali que o feitiço pode virar contra o feiticeiro.

Para finalizar os comentários gerais, adorei que uns otakus héteros estavam surtando com a viadagem do anime. Se hétero está puto com viadagem, eu estou feliz! Isso porque estamos só no começo, então que venha mais e mais \o. E eu queria MUITO que aparecesse um trio de vilões para combinar com a Ice, Darcy e Stormy. Ia ser tudo para ficar perfeito hahahaha. No final do episódio deixaram no mistério o vilão da coisa toda, mas ainda quero sonhar com a possibilidade de mais dois, apenas para a minha gratificação pessoal haha. Ah, falando nisso, um amigo fez uma montagem maravilhosa da transformação do Ranmaru com a música de transformação das Winx de fundo hahaha.

LS, eu te amo cara

Sobre a animação, acho que já deu para perceber que está ótima. Há momentos um pouco travada, mas as cenas de ação e transformação estão ótimas. A termos de curiosidade, há um diretor-chefe de animação para os garotos nas horas do dia a dia e um para quando eles estão transformados, visto que os traços mudam bastante pós transformação. É algo muito incomum de se ter em animes. Ainda temos a brincadeira de estilos visuais durante as batalhas em que nesse episódio tivemos um cenário trabalhado em olhos que estão ali te julgando, além de palavras, mãos, tudo remetendo a conversas de celular. Quero muito ver os demais episódios e como os backgrounds serão trabalhados *_*

Quem acompanha o blog há algum tempo, deve ter visto que eu pego algumas coisas meio “diferentes” da temporada, por exemplo, ano passado eu fiz primeiras impressões de “Olympia Kyklos” e “Gal to Kyouriuu” que possuem uma mescla de estilos visuais e eu AMO isso. Adoro coisas “bizarras” e que se permite brincar com as cenas. Esse é um dos motivos de ter gostado de Fairy Ranmaru. Ele traz coisas bem doidas nos estilos visuais, como na batalha em que o cenário era… Não sei como se chama, mas trazia elementos que pareciam recortes e elementos com uma pegada mais semelhante à vida real. Uma clara referência à “Madoka Magica”. O anime teve a incrível oportunidade de me proporcionar uma Preguiça tomando sorvete. É uma cena muito aleatória, mas é tão bom!!!

A OP também brinca com transições entre as transformações dos personagens, além de usar o cenário para, por exemplo, colocar o nome do dublador neles. Foi uma forma muito interessante de inserir esses detalhes na OP, transformando como parte do cenário. A ED trás quadros lindíssimos e um trabalho de arte excepcional. Aaah, como eu amo uma produção. Dá para perceber que estão bem dedicados em trazer elementos visuais para compor a narrativa e o anime só tem a ganhar com isso ^^. A direção também faz um trabalho muito competente. Estou amando o trabalho do diretor aqui e só espero o melhor daqui para frente.

Isso é tão lindo, rende bons wallpapers *_* (personagens quase num BDSM no fundo…)

“Fairy Ranmaru” teve uma estreia maravilhosa. Esperava mais coisas gays, mas acredito que ainda teremos no decorrer do anime. Como um amigo comentou, a animação deve acabar sendo no mínimo com um tom bissexual. Veremos mais no decorrer dos episódios. Nos vemos na review final (ou quem sabe um pouco antes, nunca se sabe…). Torço para que o anime continue nessa mesma qualidade apresentada do começo ao fim. E claro, que mais cenas gays aconteçam hahahaha.

O paraíso parece diferente…

2 comentários em “Fairy Ranmaru: Anata no Kokoro Otasuke Shimasu #1 – Primeiras Impressões

Deixe uma resposta para Joyce Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s