Kumo Desu ga, Nani ka? (So I’m a Spider, So What?) #1 – Primeiras impressões

Um começo morno para o isekai da aranha.

Olá de novo pessoas! Bora lá comentar mais uma estreia dessa temporada. Vou falar de um Isekai um tanto diferente nesse começo e que sua proposta tem tudo para funcionar como um bom anime de comédia e aventura. Vou dizer que tive uma boa impressão dessa estreia, apesar de ter achado que esse primeiro episódio poderia render muito mais do que foi no conjunto completo.

SINOPSE: Uma colegial morre em um acidente estranho e reencarna no outro mundo no corpo de uma aranha simplória. Agora ela precisa lutar pela sobrevivência, enquanto tenta achar um jeito de sair da situação que se encontra.

Tem a possibilidade de melhorar mais para frente no enredo

Eu fui assistir o anime sem saber nada do original. Animes com propostas inusitadas, procuro esperar para ver pelo menos assistir alguns episódios e se assim eu curtir, aí sim vou buscar ler o material fonte. Admito que a proposta do anime em acompanhar a jornada dessa pessoa reencarnada no corpo da aranha chamou muito a minha atenção. Me lembrou instantaneamente o anime do Slime, que também está passando nessa temporada (primeiras impressões em breve). Então eu fui ver a obra com uma certa expectativa de pelo menos ser uma animação divertida de acompanhar, sendo um excelente passatempo em dias cansativos ou estressantes. E agora que assisti a estreia, vou dizer que parte das minhas esperanças foram atendidas e outras nem tanto.

O anime começa um tanto nebuloso, mostrando vários adolescentes na escola sem mostrar o rosto. O filtro de imagem utilizado nesse prelúdio era esbranquiçado, parecendo um sonho ou alucinação. E nenhum dos alunos tinha seus rostos mostrados, com um enquadramento que somente exibia o corpo deles. Entendo que o roteiro queria mostrar a vida cotidiana passada da nossa protagonista, no entanto eu não consegui identificá-la por estarem mostrando dezenas de alunos ao mesmo tempo. Suspeito de uma aluna pelo tom de voz parecido da dubladora, porém não dá para ter certeza. Logo em seguida acontece uma coisa parecida com uma explosão e todo mundo daquela escola morre. Não sei se foi uma boa ideia essa introdução logo agora. Como eu não sei quem é quem ali, ficou só uma cena jogada, só para mostrar como todos os alunos faleceram. Para mim não precisava ter aquela cena. Eu acredito que ficaria bem melhor para a exibição da adaptação trocar a ordem dos eventos e deixar para mostrar essa cena depois, pois a protagonista não faz ideia mesmo como morreu. O espectador não precisava dessa informação naquele momento e podia ser revelado mais adiante.

Depois desse minuto inicial um tanto ‘estranho’, agora que realmente começa a história do anime, com a protagonista nascendo como uma aranha em um mundo medieval. E toda essa parte de expor a nova realidade da protagonista, foi o ponto alto do episódio. Nem falo tanto da comédia, porque achei que algumas piadas não funcionaram direito pelo timing cômico estipulado aqui, mas sim pelo carisma da personagem principal em ser energética e sapiente sobre o subgênero dos Isekais. Gosto que ela em muitos momentos quebra a expectativa do espectador em fazer aparentar que seria uma coisa, entretanto é uma parada totalmente oposta. O lance dela pensar que ganhou uma skill roubada, mas ser inútil no local em que ela está, ou quando tenta descobrir quais materiais são úteis e não faz ideia do que fazer… todos esses momentos cômicos são muito bons. Pelo menos tira o fator Deus Ex-Machina em que o protagonista consegue saber tudo no ato de simplesmente ver ou tocar algum objeto/inimigo, conseguindo até fazer piada com a situação absurda. O roteiro parece ter consciência de certos clichês de Isekais e busca em vários momentos satirizar essa convenções que essas histórias têm nas suas essências. Protagonista apelão, poderes roubados, vários personagens do sexo oposto para compor um harém, mundo medieval que se assemelha a um jogo de RPG, mecânicas de um MMORPG como ranks e levels… Todos esses momentos servem de escada para algum momento cômico, tendo a protagonista fazendo caras e bocas, e que funciona na maioria das vezes conseguindo tirar algumas risadas de minha parte. O que realmente não deu para mim foram piadas as situacionais e envolvendo as aranhas.

Não gosto de aranha. Acho um bicho asqueroso e só quero que todas MORRAM! E mesmo deixando o visual da protagonista mais “humanizada”, ela ser uma aranha sempre passava uma estranheza e um pouco de asco. Um slime é redondo e fofinho. Uma aranha não tio. Não dá mano. Diversos momentos, a cena específica era cômica, mas eu não conseguia rir, porque eu estava pensando: É UMA ARANHA… NOJO. Na cena do canibalismo em nenhum momento estava rindo da situação. Só pensava que é por isso que não gosto de aranha. Não deu. Eu sei que é mais um problema pessoal meu sobre o animal, mas aqui eu estou torcendo para a protagonista se transformar em humana ou evoluir para algum outro bicho, porque aranha não dá. NÃO DÁ!

A computação gráfica e o restante do episódio meio méh…

Compreendo os motivos que levaram a equipe de produção a fazer o anime parcialmente em CG. É muito difícil animar os animais. São poucos animadores que se garantem a fazer algo do tipo. E como é raro esses profissionais, tiveram que recorrer para animação por vetores. E olha, até que não está tão feio assim como imaginava. Poderia ser melhor? Com certeza, mas vendo essa estreia, posso dizer que pelo menos tirou um 6 para passar de ano. A luta contra aquele lagarto parecia CG de PS1, porém com as técnicas de edição e o ritmo nos cortes de cada cena, esconderam um pouco essa deficiência na produção da animação.

Só que ainda temos o ¼ final do episódio, apresentando os demais alunos que morreram no acidente inicial. Eu gostei muito da ideia que não foi somente a protagonista que renasceu ali. Vários alunos (ou todos, não fica claro por enquanto) reencarnaram naquele mundo, e não só isso, como também foi aleatório em qual ser vivo eles se tornariam nessa segunda chance. Adorei todo esse conceito de termos alunos reencarnando em animais ou em gênero que eles não eram na vida anterior (guri agora renascendo no corpo de uma guria). Pelo menos dá uma dinâmica nova para esse tipo de anime e que pode render diversas implicações no futuro. Porém acho que para por aí. Achei o elenco dos demais alunos bem sem graça. Sem carisma algum e achei um saco acompanhar a conversa deles. Também temos a professora dando uma de Xavier do X-Men reunindo os ‘reencarnados’ em um local, e vários alunos dialogando sobre coisas básicas que já foram explicadas na parte da aranha. Ainda tem a tradicional cena de figurantes comentando como tal príncipe é foda e bonito, e blá blá blá… Não vou dizer que foi um completo desastre, porém chegou bem perto de ficar. Sorte que foram somente os 6 minutos finais esse segmento, não tornando essa estreia um completo marasmo.

Conclusão

Apesar de eu ter certas críticas com o anime, vou continuar vendo-o. O início da obra do Slime foi assim também, com um começo bem arrastado e expositivo demais, para mais a frente, mais ou menos no meio da temporada melhorar, se tornando bem divertido de acompanhar. Vou continuar nessa expectativa com o ’Kumo Desu ga, Nani ka?’, esperando que sua história se desenvolva e talvez quando eu voltar aqui para fazer a review do anime, tenha uma ótica mais positiva da obra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s