Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu 2nd Season Part 2 #1 – Primeiras Impressões

O retorno de Re:Zero para a reta final desse arco.

Olá pessoas! Para esse inicio de nova temporada e de primeiras impressões aqui no blog, nada melhor do que começarmos a falar sobre coisa boa realmente. Estamos aqui eu e o Alê para comentarmos da estreia da segunda parte da Season 2 de Re:Zero. Foi uma boa estreia e conversamos sobre alguns pontos que gostamos e desgostamos desse episódio de retorno. Espero que curtam o post. Fiquem com a nossa conversa:

Sinopse: “Natsuki Subaru, um adolescente comum, conhece uma linda garota de cabelos prateados vinda de outro mundo. Subaru quer ficar ao lado dela, mas o fardo que ela carrega é maior do que Subaru pode imaginar. Eles enfrentam o feroz ataque de monstros, traições, violência irracional… e, por fim, a morte. Subaru promete derrotar qualquer inimigo, qualquer destino, tudo para protegê-la. E assim, o pobre garoto sem poder algum obtém o “Retorno da Morte”, uma habilidade única que permite ao usuário voltar no tempo ao morrer. Usando esse poder, o passado é perdido e as memórias são reescritas. Subaru agora deve lutar contra o destino que o amaldiçoa para manter suas memórias escondidas, para serem para sempre derrotadas, para ver seu próprio coração fraquejar. Bota sua própria vida em risco, tudo para proteger aqueles que ama. Para conseguir voltar àquela preciosa época que ele tem quase certeza que devem ter existido.”

RUB: Alê, retornamos novamente para o anime de Re:Zero, agora para falar da parte 2 da segunda temporada do anime. Como de costume, quando eu sei de algo que vai acontecer na história por já ter lido o original, vou fingir que tive amnesia durante o nosso papo para comentarmos sobre a estreia sem prejudicar a experiência de ninguém xP. Até para lembrar os leitores ou para quem não leu o post da review da temporada passada (link aqui), comentei lá de como não curti essa transição de uma temporada para outra. O gancho que a equipe de produção fez há 3 meses atrás não foi das melhores escolhas criativas feitas e até diria um tanto anticlimático, pois terminou em um tom emocional bem abaixo com a cena do Otto agredindo o Subaru sem grandes consequências mostradas antes. E a cena em si foi cortada simplesmente, não tendo um ritmo de passagem de tema ou de assunto. Tanto que refletiu diretamente nos minutos iniciais da estreia dessa temporada de Re:Zero. Demorei um pouco para ajustar ao clima da obra de novo, por justamente começar de forma um tanto abrupta, parecendo uma continuação de um filme ou de um episódio de série depois do intervalo comercial (só que aqui a pausa em vez de minutos foram de meses). Foi péssima essa decisão criativa, sendo que tinha pelo menos três cenas melhores para encerrar a temporada passada que não causaria toda essa estranheza na narrativa. Mas prosseguindo o episódio, temos o Otto dando lição de moral novamente no Subaru e o protagonista se permitindo dar uma chance, ou melhor dizendo, um voto de confiança para o seu aliado em lhe ajudar na missão de salvar a mansão e a floresta.
O Subaru é uma montanha-russa em relação ao seu estado psicológico. Ele se quebra facilmente em seu emocional, entretanto, dependendo das palavras e dos conhecimentos adquiridos das outras linhas temporais, o Subaru consegue de alguma forma, se remendar para pelo menos sair daquela situação. Ainda não posso dizer que é uma superação ou aprendizado, porque o personagem é muito falho em suas atitudes, mas que experiência com certeza ele está ganhando, tanto para o bem quanto para o mal. O reflexo dessa jornada é dele propor aquela aposta para o Roswaal. Ele sabe que o palhaço tem várias intenções ocultas para a Emilia assumir o trono e mesmo assim o protagonista acha necessário sua aprovação em se tornar um aliado no futuro. É ingenuidade dele e é reforçado quando o Otto pergunta para o Subaru do porquê ele não vê a Ram como inimiga, pois ela é devota ao Roswaal. Aí o protagonista só devolve como uma resposta toda inocente: “Inimiga!???”. O Subaru quer que todos sobrevivam, mesmo aqueles que lhe fuderam de alguma maneira em outras vidas. O roteiro evidencia que o Subaru sabe dos erros próprios, porém sua convicção ainda o leva a tomar várias decisões questionáveis.

ALÊ: Já que você vai fingir não saber nada do arco, eu vou lembrar que ao contrário de você, eu não sei quase nada, principalmente dessa fase final, tirando uma passagem em que um certo personagem vai sair chorando (não sei em qual contexto). E bem, concordo completamente com você. Eu levei um pequeno susto com a introdução do episódio. Apesar de termos feito a review da 1° parte da temporada há pouco tempo, eu vi esses episódios finais há meses (acompanhei semanalmente). Então o começo do episódio dessa volta da série soou bem atropelado. Levei alguns segundos até me situar no que estava acontecendo, puxar na memória o que havia acontecido no último episódio para vir aquele “Ata” na cabeça. É uma pena que a situação atual da White Fox não permitiu a continuidade direta da temporada, assim como foi com a 1°, porque claramente a forma que encerrou antes e começou agora, era para ser uma única parte, sem essa pausa de 3 meses. Tanto é que quem pegar para ver as temporadas direto, nem vai ver a diferença, porque é uma sequência de eventos que funciona perfeitamente quando se vê continuamente.
Enfim, eu acho interessante que o Subaru notoriamente tem dificuldade para absorver algumas coisas. Ele tem muito dessa ingenuidade, porém de certa forma, eu acho que ele quer criar um cenário perfeito na sua cabeça, em que ele pode resolver tudo, sem ninguém perder nada. Nisso temos situações como essa mencionada por você, do Subaru ficar surpreso ao ouvir a sugestão da Ram ser uma inimiga deles. Eu até consigo ver um pouco disso na forma que ele lida com as outras candidatas ao trono. Lá no Arco da Baleia, ele fica chocado quando ele vai falar com a Anastasia e ele vê que ela o usou para tirar vantagem da Crusch. Ele consegue lidar com as informações que vai coletando nas “vidas anteriores” e, de alguma forma, consegue se manter de pé (Força do amor? Talvez..) para tentar resolver tudo da melhor maneira possível. Quando se trata de enxergar a realidade ou de como o mundo é, o Subaru tem uma tendência de fugir disso. E ao menos com a ajuda das bruxas e o conselho dado por elas na outra parte, ele parece ter entendido que pode contar com outras pessoas, sem se rebaixar a um completo, ou ser um estorvo para elas.

RUB: É um bom exemplo você puxar o arco do torneio, porque lá é a fase em que o Subaru é mais cabeça dura e irredutível em aceitar opiniões contrárias a dele, reforçando outro defeito do personagem. E se avaliarmos toda a obra, o Subaru tem uma facilidade em acreditar nos outros que puta merda. Rem mata ele na primeira temporada para depois virar sua pretendente. As candidatas ao reino humilharam ele, e ainda sim o Subaru quer o bem delas. O Roswaal ter armado tudo para matar a todos incluindo ele, mas o protagonista deseja uma aliança com o traidor. O Garfiel que o matou, a Echidna junto com as outras bruxas o destruindo de várias formas em seus planos…o Subaru ainda quer que todos saíam de boas da situação. Inclusive esses mesmos personagens falam para ele: “Você é muito ingênuo.”.
Mesmo o Subaru sabendo que a mentalidade de ser um “herói” não funciona naquele mundo, o protagonista mantém certos alicerces dessa ótica em ser altruísta que resulta em se fuder das piores maneiras possíveis. Mostra que ainda ele quer sair da sombra do pai e ser muito mais do que pode alcançar, mesmo que sua figura paterna não esteja presente mais. O Subaru se cobre e toma decisões que ainda vão lhe custar muito mais para frente. Mas voltando para o episódio, temos a aposta do protagonista com o Roswaal em que ele vai conseguir salvar os dois locais sem que ninguém morra e que precisa de mais informações, até para proteger todos e libertar aquela floresta da maldição. Para ajustar a expectativa da galera, essa temporada do anime vai ter um foco especial em algumas subtramas de personagens secundários. Por exemplo o motivo do Roswaal ainda se manter firme aos mandamentos da bruxa mesmo não fazendo sentido algum, o que tem mais por trás das Ryuuzus e o motivo de uma delas se libertar, a história do Garfiel e o passado da Emília para ela superar as exigências da maldição daquele local. Realçando um detalhe que aconteceu durante a conversa do Subaru com uma das Ryuuzus, que foi a edição mostrando pequenos trechos do passado de pistas que o autor deixou na história e como espectador aos poucos percebe que são peças de um enorme quebra-cabeça do arco que estão se juntando e te explicando todo o contexto dos demais personagens envolvidos. Gosto muito desse trecho.

ALÊ: Eu acho que muito dessa visão “positivista” dele de tudo e de todos foi criada em partes por causa do retorno da morte. Porque criou nele um senso de que ele pode fazer as coisas diferentes, já que aquela realidade supostamente não exista mais depois de sua morte, moldando o futuro dos personagens da trama. Temos exemplo disso a própria ideia de que as pessoas ao redor dele só viram uma parte de sua personalidade. Muitas das burradas do Subaru ao longo da história até aqui foram “apagadas”. O que se têm dele na visão dos demais personagens não é o Subaru no todo. Eu gosto muito disso tudo, porque mostra bem que o personagem foi construído assim, desde da sua infância com a pressão social e que mesmo ele não tendo mais aquele peso que havia no outro mundo, as marcas disso tudo permanecem e o personagem age nos moldes de como foi construído durante sua vida. Vem muito de que nada é natural e sim uma construção social. Foi bom você ter falado desses focos em subtramas, porque nesse episódio começam a falar do passado da Emília e lembrei que tem um filme/OVA que aborda justamente de como ela e o Pack se conheceram. Não vi o OVA, mas depois disso, vou tentar ver ele no decorrer dessa temporada, ainda mais agora que o contrato da Emília com foi quebrado e o Pack não vai estar mais lá. E aproveitando que estamos falando de detalhes, gosto de como o autor sempre joga essas pistas (por mais que eu quase nunca capte elas) no meio da trama, porque dá uma riqueza para aquele mundo muito grande. Eu não tinha reparado que a Ryuuzu rebelde usava uma roupa branca, muito menos associei que cada uma delas se apresentou com um nome diferente para o Subaru. E todas as subtramas vão sendo preparadas pelo autor, criando mistérios aqui e ali no decorrer desses episódios. Estou só esperando para descobrir mais de cada um desses personagens.

RUB: E novamente reforçando a nossa critica quanto essa pausa de meses da produção do anime, eu tenho mais vivido nas minhas lembranças essa passagem na minha leitura das novels do que no anime. Praticamente essa “recapitulação” das Ryuuzus foi necessária porque eu mesmo não lembrava direito dessas cenas, sendo que eu terminei a temporada mês passado. E quanto ao OVA sim é bem importante de assistir, porque acredito que muitas paradas apresentadas ali mostradas no especial não vão aparecer no anime mais para frente. Eles devem citar bem por cima certos acontecimentos da infância da Emília, porém deve ficar nisso. Quem não assistiu, vá assistir porque ainda dá tempo. Focando agora na parte final do episódio, temos o Pack “cumprindo” seu contrato ou promessa (depende do ponto de vista) e se despedindo da Emília. Não posso dar muitos detalhes, mas vão explicar o motivo do Pack não poder ajudar a sua protegida nessa provação da Bruxa no templo. Também vemos um pouco mais da personalidade da Emília. Ela que foi uma personagem bem distante por toda a história, sendo apenas a heroína a ser salva, e nessa parte estamos conhecendo mais dela, incluindo seus defeitos. Como foi muito protegida por um longo período de tempo, ela tem uma personalidade insegura e MUITO MANHOSA. São características que evidenciam de como ela era isolada de vários problemas pelo Pack ou pelo Roswaal por justamente temerem que ela não aguente ao percorrer esse caminho e não prossiga ao destino desejado por ambos (falando de forma abrangente para não dar spoiler xP). Exceto o Subaru, todos que estavam em volta da Emília queriam algo e que ela era o caminho para tal objetivo, fazendo com que eles fossem MEGA protetores, resultando nessa personagem que não consegue lidar com seus próprios medos ou problemas que enfrenta nesse ponto. Foi a mesma coisa na disputa do trono e agora na floresta. Ela sempre foi empurrada por alguém a prosseguir. Agora que precisa caminhar com suas próprias pernas, ela não sabe o que fazer.

ALÊ: Bom saber disso. Vou assistir o quanto antes esse OVA (já era para eu ter visto, mas enfim). Apesar da Emília ser bem um nada nesse meio tempo de história, eu gosto dela e acho ela bem simpática. Quero ver mais dela e como irá crescer, tomando a frente e encarando seus próprios problemas. Não sei se meu julgamento vai estar certo, mas acho que o Subaru estar ali conseguiu fazer com que ela tenha se deparado com alguns problemas, criando a necessidade de que precisa reagir. Deve começar a ser firmado mais fortemente nos próximos episódios e arcos (chutando). Essa vertente de manhã da personagem é até refletida na maneira que se comporta quando acorda e não vê o Subaru ali como ele tinha prometido anteriormente. Ela vai e foge. Até diz que o Roswaal é um mentiroso, bem como o Pack e o protagonista. Sobre a despedida do Pack, só consegui pensar na Beatrice e como ela vai ficar depois de saber disso. Não sei ao certo como funciona essa questão de espíritos, mas dá a entender que o Pack não pode ser mais visto… Então é mais um que deixou a Beatrice (pobre Beaco).

RUB: Bem, tirando as criticas que vieram em consequência do final da temporada anterior, essa estreia foi boa de forma geral. Serviu pelo menos para dar uma base do que estar por vim dali para frente. Novamente não temos uma OP e ED (virou costume para o anime) e o episódio em si teve uma duração maior que o tradicional (quase 30). Eu espero que o anime mantenha a mesma qualidade anteriormente e que tomara que a White Fox segura as pontas.

ALÊ: Só tocaram a música da nova OP (?) no começo e a ED (maravilhosa, diga-se de passagem) da no final do episódio enquanto passava os créditos. Eu confesso estar um pouco preocupado com o cronograma de produção dessa segunda parte da temporada. Pode acabar afetando a animação lá na reta final. De toda forma, ainda torço para que consigam manter a consistência. Ansioso para ver o desfecho e quais reviravoltas teremos no decorrer do final do arco 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s