Yuukoku no Moriarty (Moriarty the Patriot/Moriarty: O Patriota) #10 – Impressões

EU ESTOU EM ÊXTASE!!!! Que episódio INCRÍVEL!!!

Senhor… Que episódio MARAVILHOSO!!! Estou completamente empolgado com a magnitude desse novo arco e o ato final da 1ª temporada da animação. Já estou chocando pensando que o anime só volta em Abril/2021. Pelo menos temos a confirmação de retorno hahaha. Falaremos deste penúltimo episódio ^^


Primeiramente, tenho que dizer que minha vontade era de encher essa postagem de palavrão, pois esboçam melhor como estou me sentindo em relação a tudo que presenciei nesses poucos mais de 20 minutos do capítulo. Todavia, irei me segurar e manter o nível aqui, ou pelo menos tentar hahaha. Esse episódio começa com uma abordagem bem interessante, fazendo uma espécie de “recapitulação” dos eventos da 2ª parte do episódio passado e abrindo uma variável com a possibilidade do Sherlock ter aceitado a proposta do Hope e ter matado ele.

Isso entra em quê? Justamente no que @japonesco comentou comigo na postagem sobre o episódio #9: Sherlock não é bom. Yuukoku no Moriarty não trabalha com coisas preto no branco. Nunca é simples como ser “bom ou mal” e sempre vai haver os lados: os contras e os favores da história. Eu acho excelente a perturbação do personagem se corroendo com o pensamento do que poderia ter acontecido se caso ele tivesse atirado e assassinado o Hope. O melhor disso tudo é que além de mostrar esse outro lado dele, ainda quebra toda a visão que havia passado no episódio anterior com ele dizendo coisas do tipo: “Claro que eu não atiraria em você”.

Além dessa perturbação, ainda temos a ideia de que o Sherlock está pouco se lixando para quem é morto/assassinado. O que ele quer mesmo são mistérios em que o próprio avalie como interessantes. Tanto é que ele fica e passa metade desse episódio completamente irritado com só aparecerem casos “banais”, dramas familiares, desaparecimento de itens e mistérios bem mais “simples”. Na real, nós sabemos que “ele quer mesmo é o Moriarty”, porque deseja “tramas elaboradas”, por assim dizer, que façam o personagem pensar no caso. O fato dele não saber (ainda) quem está por de trás do assassinato no navio e quem é o mandante do crime cometido pelo Hope. E além dele estar irritado com tudo, o sujeito acaba descontando nos outros, chamando até o John de inútil e empurrando a culpa das coisas estarem como estão para o seu amigo. Sendo bem sincero, o Sherlock estava in-su-por-tá-vel!

E com isso, nessa situação, a cada episódio que passa, eu tenho mais convicção de que a ideia do autor ao explorar o Sherlock em alguns momentos, tem a função narrativa de afastar quem está consumindo a obra do personagem que é tipicamente tido como o herói do original. Porque com o que foi mostrado dele aqui, só deixou claro como ele é um escroto, só se importando com seu entretenimento pessoal. Quem está sendo assassinado, seja rico, pobre, aristocrata ou não, pouco importa. O que vale é o caso ser intrigante o suficiente para ser um mistério que valha à pena ser investigado por ele. Essa vertente do Sherlock até explicaria o motivo de haver quem não goste da releitura do personagem… Ou talvez não, já que não sei como ele é/age no original hahaha.

Finalizando essa parte, essa vertente do personagem ainda gera um contraponto ótimo com o que o Fred levantou no 9º episódio: Sherlock é um homem digno. E aqui a obra trás a dúvida: Será mesmo? Porque, como disse, ele foi um filho da puta em só se importar com seu divertimento. Ele está sendo um otário em descontar nos outros. Ele gostaria que o mandante fosse o Moriarty (logo comento mais da cena). Então ele traz muito de “Olha, ele até pode ser o ‘protagonista’ aqui, mas o sujeito também não é nenhum Santo. Ele também faz burrada e algumas bem ruins.”. Também vale para o lado do Moriarty, só que de um modo diferente, claro.

Bem, depois mais de meio episódio com Sherlock sendo chato demais, a criatura logo se empolgou ao ver o seu querido (amado) Moriarty no mesmo vagão que ele. E meus amigos, tivemos aqui uma das melhores, isso se não tiver sido a melhor cena da animação até aqui! É bom dizer que todo o segmento dela é muito bom. A começar pelas maravilhosas reações do Louis (neném). Enquanto o Louis está todo preocupado com o Sherlock estar no trem, com medo do cara ter descoberto os planos de seu irmão, o Moriarty por outro lado, seguiu o baile plenamente, como se nada estivesse fora dos planos (coisa que não duvido hahaha). O que mais gosto dessa pequena parte é o Louis pensando “Meu Deus, vou ter matar a praga” hahaha. Muito anjinho ele ^^ NOTA DO REVISOR: só para deixar frisado, o Alê falou no sentido da ligação familiar entre os dois personagem de como é forte e fofo e não achando “fofo” o desejo de matar do Louis. Tenho que alertar aqui só para não ter interpretações erradas desse trecho.

Fato é que Moriarty brinca muito com o perigo (gosto) e ainda acho que vai ser um dos motivos de sua provável ruína. Ela dá corda para o Sherlock de forma maravilhosa! É interessante que ele tem um nível de controle das situações divinamente impressionante. Em momento algum ele titubeia em suas falas, mesmo com uma acusação vinda do Sherlock e ele tendo consciência do perigo que o personagem representa. Sequer gagueja ou muda de expressão facial. E como se não bastasse isso, ele ainda manda: “Catch me if you can, Mr. Holmes” (colocando a frase em inglês, porque ele falou nesse idioma na animação). E pelo amor Deus e de Madoka, que cena! Que momento memorável! Quem me segue no Twitter viu meu surto com essa cena, porque é simplesmente fabulosa. Não dá para descrever o quão maravilhoso é. Ele falando em inglês (delícia de sotaque) e ainda com aquela cara de quem vai aprontar, foi TUDO DE BOM! Eu fiquei à nível Sherlock de empolgação quando ouvi hahaha.

E novamente aparece aquilo que eu disse e repeti no post: o Sherlock queria que o Moriarty fosse o mandante para seu entretenimento pessoal, afim de conseguir provar que ele é o culpado. Inclusive, eu diria que o Sherlock está sim interessado em descobrir quem está comandando os assassinatos em série, mas que só o fato de continuar aparecendo crimes elaborados criados por essa pessoa, vai ser bom o suficiente para satisfazê-lo. Entendem onde quero chegar? Porque não duvidaria nada o Sherlock fazer um pouco de vista grossa caso soubesse que era o Moriarty o responsável por tudo isso, só para as tramas complexas continuarem a aparecer e, consequentemente, o jogo/diversão dele continuar…

Agora passando para o fim do episódio, enfim fomos introduzidos ao crime dentro do trem. Estou interessado em algumas coisas como: Moriarty aceitando a aposta do Sherlock para desvendar quem está por trás do assassinato. O que Moriarty vai fazer, porque tenho minhas desconfianças de que ele está armando esse crime também. E também como o John acabou ferido no caso e como tudo vai se interligar. Por sinal, esse gancho do episódio foi do caralho!!! Nossa, fabuloso!


Os destaques de direção de hoje vão para duas cenas muito boas! A primeira delas é enquanto o Sherlock tocava seu violino e estava absorto em seus pensamentos (parecia um pouco drogado, talvez, rs), aparece o Hope trocando diálogo com ele. O destaque em si vai para a produção e o jogo de cores trabalhando com o azul – uma cor fria – em contraste com o vermelho – um cor quente – ao mesmo tempo que usava o preto para as sombras, formando uma composição maravilhosa. Os cortes usados e a sombra ficar “indo e voltando”, com eles desaparecendo em meio à escuridão ficou perfeito! A outra cena que merece ser destacada aqui é enquanto o Louis pensa sobre como o Sherlock poderia ter supostamente descoberto que seu irmão era o grande articulador dos assassinatos de aristocratas, temos uma representação da sela da cadeia onde o Bope estava, toda em preto e parecendo ter sido apenas rabiscada. Eu achei muito bonito. O momento em si não tem nada de “Meu Deus do céu”, porém é legal ver a direção brincando com essas composições dos seus momentos. Acredito que só engrandeça a animação ^^

Muitas bombas para o último episódio desse cour e estou na maior hype!!! Torço para que essa 1ª temporada se encerre bem e a postagem com as impressões finais de Yuukoku no Moriarty deve ser publicada no dia 30 de dezembro, penúltimo dia do ano ^^


O “amiguinho” do Sherlock também se empolgou hahahaha 🙂
Colocando o frame original, porque precisa ser apreciado desde a essência. Imagem retirada do perfil oficial do anime no Twitter.

4 comentários em “Yuukoku no Moriarty (Moriarty the Patriot/Moriarty: O Patriota) #10 – Impressões

  1. Para mim ficou muuuuuito aparente que o Sherlock teria matado o moço do episódio anterior se o Watson não estivesse lá, vendo o quanto a idealização que tinha pelo Sherlock estava ruindo.

    Essa característica egocêntrica e dona de sí é muito importante para o Sherlock, vejo que esse personagens do anime gosta das aparências, de gabar de suas habilidades.
    Estava assim no primeiro ep em que apareceu, e está também nesse, até que aparece o Moriarty.

    Embora ainda amigável, a cena em que Moriarty faz aquele discurso é um banho de água fria no Sherlock. O embate nesse e no próximo episódio parece não ter acontecido, mas para mim eles estão acontecendo, só que em menor evidencia.

    Tanto o Sherlock acusando o William de ser o grande criminoso, como o William seguindo o Sherlock no novo crime que fecha esse episódio, para mim não passa de uma espécie de teste. Ambos estão testando testando um ao outro e duelando de alguma forma.

    A reação do Louis nesses dois últimos episódio é o meu estado de espírito que busco esconder rsrsrsrsr “se me atacar, eu vou atacar” hahahah

    Aiiiiiii que delíciiaaaa de extra que você deixou no final desse post !!!!!!! ❤
    Vou imprimir e tentar fazer testes de desenho e contorno 😮

    Aguardo a sua review para o último episódio
    Abraço

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu acho que não necessariamente o Sherlock queria matar o Hope. Como uma amiga disse, as vezes ficamos nos martelando com pensamentos do tipo “E se eu tivesse feito X?”. Creio que seja essa situação do Sherlock, porque ele fica insatisfeito com o rumo que as coisas tomaram.

      Mas ainda não gosto dele hahahaha

      Obrigado pelo comentário ❤

      Curtir

  2. “Na real, nós sabemos que “ele quer mesmo é o Moriarty””
    Morto com essa frase bait de fujoshi/Fudanshi hahahaha 😂

    E realmente a cena do “Pegue-me se puder” e do Sherlock lombrado tocando o violino foram de bater palmas de pé. Tudo muito bem conduzido, trazendo o impacto que amavas as cenas pediam.

    E tbm fiquei puto com o Sherlock gritando com o Watson. Quem ele pensa que é? Ninguém fala assim com a lenda 😠

    Excelente análise (como sempre)

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s