Yahari Ore no Seishun Love Comedy wa Machigatteiru. Kan (Oregairu) #1 – Comentários Semanais

FINALMENTE UM DOS MELHORES ANIMES DESSA TEMPORADA FEZ SUA ESTREIA.

Bem vindos pessoal para o primeiro post de comentários semanais de Oregairu. Será eu e o @alexsanderluiz58 conversando sobre as nossas impressões do episódio da semana durante essa temporada final da obra. Quem quiser a review das temporadas anteriores, o link do post da primeira temporada aqui e o link da segunda temporada aqui. Tomara que curtam o post.

EDIT: a lista de todos os episódios comentados junto com o post da review de toda a terceira temporada aqui. Para quem quiser, temos a review da primeira temporada (link aqui), da segunda temporada (link aqui)

SINOPSE: a história acompanha Haciman Hikigaya, um estudante solidário que por percalços da vida, desenvolve uma personalidade analítica e pessimista sobre a sociedade humana. Tentando mudar essa visão distorcida do mundo, sua professora (Shizuka Hiratsuka) o coloca em um clube junto com Yukino Yukinoshita para ajudar outros estudantes de sua escola.

RUB: Alê, AÍ MEU CORAÇÃO! FINALMENTE, DEPOIS DE UM ADIAMENTO DE 3 TRÊS MESES (e ansiedade AO EXTREMO), estreia a ultima temporada do anime mais esperado por mim, Oregairu. Vou deixar claro para o pessoal (principalmente para quem não leu as nossas reviews da primeira e segunda temporada) que Oregairu é o meu anime favorito desde de 2013. Então, esperem comentários mais passionais da minha parte durante os próximos meses que rolar os nossos comentários semanais xP. Vai ser um pouco complicado eu dar minha opinião sobre Oregairu sem envolver muito o emocional, porém eu vou tentar avaliar essa temporada como eu não soubesse o que vai acontecer (já li as novels) e ver mais a adaptação de forma isolada. Então bora lá. Alê, como a temporada passada acabou no meio do “date” dos três protagonistas, mais natural encerrar de forma devida aquele momento. Essa estreia, basicamente, foi dividida em duas partes: A primeira metade mostra como terminou aquela noite em que a Yui, Yukino e Hachiman entram em acordo para ajudar o problema que envolvia a descoberta dos sentimentos de cada um, junto com o caso da família Yukinoshita e a segunda metade do episódio mais focado na comédia e cotidiano do Hachiman com a sua irmã Komachi (depois entro nesse assunto). Eu quero destacar que mesmo o trio ter entrado em consenso em esperar a Yukino se descobrir como pessoa e seus sentimentos, ainda rola o medo da amizade entre eles acabarem. No prólogo o Hachiman chega a conclusão que se os sentimentos verdadeiros de cada um machucar o próximo, é melhor que acontecesse dessa forma do que ficar na farsa ou manter o relacionamento deles nas aparências somente. E pelo tom de seu pensamento, dá a entender que ele já sabe os sentimentos das duas por ele, porém prefere esperar e tentar achar uma maneira em que no momento que cada expor o que realmente sente, não termine com as amizades. Logo em seguida temos a OP, que entrega legal alguns spoilers que vai acontecer mais a frente na história. Como eu sei do original, percebi logo de cara as pistas que tem ali. Não sei quem não sabe de nada, também pegou as “dicas” mostradas na opening, Alê.

ALÊ: A empolgação do rapaz!!! XD. Finalmente chegamos ao momento da temporada final e finalmente mais uma estreia boa. Dos 7 animes que vi (incluindo Oregairu), só duas estreias foram realmente boas: Re:Zero e o próprio Oregairu. O resto, ou era ruim/péssimo ou mediano. Estou feliz com o retorno da animação! E que baita estreia. Comecei o episódio com sentimentos conflitantes, apreensivo e terminei ele muito feliz com o que vi. Ao ver esse episódio, não consegui conter o sorrisão ^^. Adorei MUITO a parte do dia a dia do Hachiman com a Komachi. Eles tem uma dinâmica muito boa entre eles. Os diálogos e a interação é muito boa e é gostoso de ver. Eu imagino que deve estar sendo uma situação complicada e as vezes até um tanto desconfortável, porque eles sabem dos sentimentos uns dos outros. Tanto é que em alguns momentos fica aquele clima mais “pesado”. É complicado justamente por estarem falando de sentimentos e eles sendo amigos, torna ainda mais difícil. Como o Hachiman disse, uma resposta poderia destruir tudo e ele quer evitar esse final triste. Eu acho que o Hachiman sabia dos sentimentos das duas por ele até um pouco antes disso. Só veio ficando um pouco mais evidente com o passar do tempo. E eu pulei a OP…… Vi ela agora, acho que não notei nada, mas eu não costumo ser atento à detalhes, então vai saber -\_ °-° _/-

RUB: Ainda bem. Assim você vai descobrindo aos poucos o final dessa história. E sim, o Hachiman suspeitava que as relações deles estavam indo para um caminho diferente do esperado. Tudo começou a ficar mais a tona foi no dia de fazer os chocolates no penúltimo episódio da temporada passada. Só que agora temos uma informação a mais que não tínhamos antes. O passado da Yukino. A conversa dela com a Haruno, as indiretas da irmã para o Hachiman e de comentários da professora Shizuka, só davam um pequeno prospecto da situação toda. Nesse episódio, a Yukino se abriu e revelou o que se passa lá na casa dos pais dela. A parada é que a revelação, aconteceu por meio de uma conversa sincera, sem muita exposição. As falas dela entregavam muito mais do que a mensagem diretamente. Um exemplo disso é quando a Yukino explica a origem da escolha do nome dela pelos seus pais. Ela diz mais ou menos assim: “Meu nome está ligado a neve. Estava nevando no dia que eu nasci e minha mãe escolheu esse nome para mim. Bem, foi isso que MINHA IRMÃ me contou.” É uma fala curta, mas que diz TANTO da infância da personagem. Ou diálogos como: “Eu contei o meu sonho para meus pais, porém eles não levaram a sério.”, “Minha mãe sempre escolheu os nossos destinos. NUNCA TIVEMOS ESCOLHA.”. Toda essa conversa mostra como a relação dela com seus pais é ausente. Eles nunca quiseram ou demonstraram interesse em saber o que passava na vida da filha mais nova. Para ela saber a origem do próprio nome pela IRMÃ é muito tenso. Demonstra que intimidade entre mãe e filha é zero. Nem aquele papo informal ou os pais contar a história de como se conheceram ou como foi nascimento das filhas rolou aqui com a Yukino. Parece muito que a Yukino é apenas uma substituta para caso aconteça algo com a Haruno. E toda essa relação familiar que moldou ela de hoje. Aí puxando dos episódios passados, todos os comentários que a Haruno fazia sobre a Yukino poder fazer o que quiser, que ela sempre teve vantagem por justamente darem tudo para ela, começa a fazer mais sentido. Mimavam ela de uma forma diferente, pois davam tudo que é material para seu conforto, entretanto não davam atenção ou carinho que ela necessitava. A Haruno também comenta que a Yukino sonhava em ser como a irmã. Também faz sentido, porque dá a entender que a relação mais familiar que a Yukino teve POR MUITOS ANOS, foi apenas o que ela tinha com a Haruno. Ela que se tornou uma referencia a ser seguida pela irmã mais nova. O roteiro de Oregairu já entregou esses indícios desde de lá do começo da obra. Adoro quando tudo começa a se interconectar com os fatos apresentados anteriormente.

ALÊ: Aos poucos tudo vai se encaixando. Só queria ter uma memória melhor para lembrar disso tudo hahahah. E eu acho que a mãe dela nem deve ter se esforçado para escolher o nome dela. A própria Yukino fala que é um nome simples e o motivo é porque estava nevando no dia. A mesma coisa deve ter sido com a Haruno, que deve ter nascido na primavera. É uma situação tensa, porque a Haruno queria ter a liberdade que a Yukino tem, enquanto que a Yukino queria assumir os negócios da família. Mas é como ela disse que nenhuma das duas teve liberdade para escolher o que queria. Ambas tiveram seus caminhos traçados. Lembro até de quando a Yukino estava até tarde na rua, a mãe dela falou algo, não lembro o quê, desculpa, mas acho que algo como que não era bom estar essas horas passeando. E o clima mudou. A Yukino ficou receosa e salvo engano, a Haruno também estava junto e em uma troca de olhares. E um flash de uma fala da Haruno que colocam no episódio é quando ela pergunta para a Yukino se ela não tem personalidade. Por vezes a Haruno fazia esse tipo de pergunta para ela, se tinha alguma meta, se ela era ‘ela’, porque a Haruno era a única referência dentro de casa. Sua única inspiração. Adoro também esses detalhes. O autor vai deixando coisas aqui e ali, que de primeira impressão podem até não fazer muito sentido, mas é só questão de tempo até tudo começar a encaixar e você compreender melhor o que está acontecendo. Me deixa mais ansioso para o que vai acontecer daqui para frente.

RUB: Até acho que a Haruno tem dois objetivos para tratar a Yukino dessa forma mais provocativa. O primeiro motivo, até confirmado por ela mesma para o Hachiman, que ela ama a Yukino e quer que ela seja independente. E o segundo motivo é relacionado ao ciúme que ela tem pela irmã, pois ao que tudo indica, uma queria estar no lugar da outra. Esse negócio de primogênito e costumes tradicionais japoneses ainda é muito enraizado em algumas famílias por lá. Teve uma reportagem que eu vi que famílias que tem algum comércio ou negócios/empresas, tendem a forçar os filhos mais velhos a seguirem o ramo familiar. É um negócio de louco, porque não é uma escolha da criança e sim uma imposição a ela desde de cedo. E aqui no anime, é um problema porque as duas irmãs estão em uma convivência estremecida por justamente uma quer o lugar da outra. O que leva a uma outra situação. A Yui e o Hachiman vão ter que esperar a Yukino resolver suas questões, estarem em “pé de igualdade”, para aí sim conseguirem o “prêmio” prometido no primeiro episódio da primeira temporada. Ainda vamos ver os protagonistas trilhando esse caminho que eles tanto desejam, que é o “sentimento sincero”. Em seguida, na segunda metade do anime, o episódio tira o pé no drama e foca mais comédia da convivência do Hachiman com a Komachi. Só quero destacar uma cena em especifico antes, no momento que ele acorda no dia seguinte. O Hachiman faz uma coisa ali na escrivaninha. Só vou falar até aqui para não entregar nada, porém guardem essa cena porque ela não foi colocada ali para nada. E Alê, eu adoro o relacionamento que o Hachiman tem com a irmã. É uma cumplicidade e sinceridade pouca vista na relação de fraternidade nos animes. Geralmente é algo sexualizado quando os irmãos são do sexo oposto. Dá até gosto de acompanhar as interações entre eles. Tanto que a segunda metade metade desse episódio passou muito rápido (falo da sensação de passagem de tempo). Quando eu vi, já tinha terminado o episódio. Tranquilamente poderia acompanhar por horas eles conversando sobre os mais variados assuntos.

ALÊ: Sim. Recentemente eu li um mangá BL (agora eu não vou lembrar o nome), que mostrava um pouco disso. Não era o foco da história, mas deu para passar essa questão enraizada. Na história um dos protagonistas queria ir para Tóquio fazer sua faculdade lá e ainda era somado ao fato que o lugar onde vivia (interior), ele “não teria futuro profissional”. Os pais dele eram donos de uma loja de tofu e queriam que seu filho fosse o dono da loja, coisa que ele não queria, entre as coisas que mostraram. A mãe dele chegava a desencorajar, falava para desistir disso, que o melhor era ficar lá e assumir os negócios da família. Essa coisa de assumir os projetos familiares deve ser ensinada desde cedo. Imagino que os pais devam falar e repetir constantemente que seu filho deve assumir os negócios. Agora sobre a segunda parte, eu só posso dizer que foi PERFEITA!!! As trocas de diálogos entre eles são muito boas. É uma relação que dá gosto de ver. E eu acho que a obra ironiza essa questão de sexualizar o relacionamento entre irmãos, porque a todo instante eles brincavam com essa coisa de siscom, o que tornava tudo ainda mais divertido. A cena deles no final do episódio foi linda, muito emocionante. Foi uma coisa tão simples, com um “obrigado”, mas tão fofo. Chorei haha. E o Hachiman não sabendo lidar com as lágrimas e a Komachi também tentando disfarçar o choro. Melhores irmãos dos animes XD. E falando na escrivaninha, aquele biscoito vai acabar criando pernas hahaha. Já está guardado há tanto tempo que quando for ver, vai ter criado vida XP.

RUB: Também acredito que seja uma ironia/crítica do autor sobre obras que sexualizam relações familiares, principalmente de irmãos. No primeiro episódio em que a Komachi aparece no anime, o Hachiman fala: “Não tem como eu sentir atração pela irmã, pois não é assim que funciona uma família.” Agora, até para finalizar o que eu queria dizer das minhas impressões, vou ter que dar uma atenção para duas cenas: A primeira é quando o Hachiman encontra a Kawasaki e a outra cena é lá no final do episódio quando a Komachi agradece o irmão por ter ajudado ela no vestibular para a entrada dela no ensino médio. Na parte da Kawasaki, todo esse contexto dos dois ter alguma afinidade e do protagonista ser tão intimo com a irmã pequena dela, foi cortado das outras temporadas do anime. Tipo, não seriam cenas importantes para a trama principal, porém como nas duas seasons anteriores tiveram que adaptar 11 volumes, muito material foi cortado. A relação da Kawasaki com o Hachiman no anime é quase nula. A cena deles interagindo no café, foi praticamente direcionado para quem leu as novels. Toda a conversa deles, provavelmente não fez muito sentido para quem viu somente o anime. Foi muito engraçado e tal, entretanto, graças ao tempo limitado das outras temporadas, a amizade dos dois nunca foi construída no anime. Repito, não faz falta para o roteiro central, mas a terceira temporada vai tentar adaptar tudo que tem nas 3 últimas novels da obra. Logo, terão mais cenas como essas de personagens que não tiveram destaque nos episódios passados, porém irão demonstrar um comportamento diferente do esperado para a galera que viu só o anime. Até que eles solucionam bem essa questão, mostrando uma cena rápida entre os dois no dia do festival escolar, com a confusão do sentido da frase: “Eu te amo!”. Situação semelhante foi com a da Komachi. Você quase não ver no anime o Hachiman ajudar a irmã nos estudos. Nas novels, é muito mais evidente esse aspecto do que foi no anime. A cena é muito linda no anime, porém parte do peso emocional que eu senti, deve ter sido diferente para quem viu só a adaptação. Eu li toda a trajetória do esforço da personagem e o Hachiman ajudando. Acredito que o peso é maior para quem leu a novel nessa cena.

ALÊ: Você comentou comigo em off sobre isso, de que o anime iria adaptar tudo que pudesse para fazer render. E enquanto eu assistia, eu imaginei que a cena com a Kawasaki fosse a que você estava se referindo, porque durante todo o anime, eles praticamente não conversam. Há até uma certa discrepância entre o que eles eram na segunda temporada para agora. Não é algo ruim de fato, mas causa estranheza. Só espero que consigam disfarçar esses aspectos como tentaram nesse episódio, colocando cenas rápidas aqui e ali só para fazer uma ponte entre os eventos, porque se não o fizerem, pode gerar ainda mais inconsistência. Eu nem sei o que virá e com quais personagens mais teremos cenas do tipo, mas espero o melhor de tudo. Interessante saber desse esforço nas novels. É um acréscimo interessante e acho que até não fez falta pelo estilo de personagem que é o Hachiman, apesar da relação dos dois ser muito boa. Talvez o pessoal visse ele como não sendo alguém que ajudaria a irmã com os estudos. E tenho quase certeza que o peso/sentimentos de quem leu a novel e assistiu o anime, são diferentes de quem assistiu apenas o anime.

RUB: E a produção do anime continua excelente. A animação tem todo um cuidado com os trejeitos/movimentos dos personagens que chama muita a atenção. Eles devem ter chamado aqueles animadores de ação para animar as expressões dos personagens, porque não precisam de tanto movimento assim nos frames para expressões e parece que conseguem desenhar mais quadros nas cenas, gerando longos minutos dos personagens em constante ‘movimentação’. Os demais quesitos estão muito parecidos com segunda temporada. Na parte técnica, sem reclamação. Agora aguardar para a próxima semana com o segundo episódio. Essa temporada vai ser só ansiedade da minha parte para os lançamentos dos episódios e olha que já sei o que acontece. xP. Para quem ainda não viu as outras temporadas de Oregairu, corre porque ainda dá tempo e venha acompanhar e discutir conosco semanalmente sobre essa terceira temporada.

ALÊ: SIM!!! Dá gosto de ver a animação, particularmente eu que sou um apreciador de animação. Então sempre que tem esses detalhes, chama a minha atenção e fico babando enquanto vejo hahaha. Não tenho o que reclamar da direção e da produção. Agora é torcer para o Corona não atrapalhar e o anime acabar sendo adiado (o Rub chora se isso acontecer de novo XD). Ansioso para a semana que vem e para o desenrolar dos eventos à seguir.

Já comentamos o segundo episódio. Link para o post aqui.

2 comentários em “Yahari Ore no Seishun Love Comedy wa Machigatteiru. Kan (Oregairu) #1 – Comentários Semanais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s