Otome Game no Hametsu Flag Shika Nai Akuyaku Reijou ni Tensei Shite Shimata (Hamefura) #9 – Impressões semanais

Finalmente um filler certeiro!!!

Olá!. Essa postagem deve estar saindo no sábado… No dia que sai o décimo episódio… É. Acontece que eu tive problemas no fim de semana e quando começamos a postagem, a @MisuRose também teve contratempos. Na sexta-feira eu voltei a ter problemas, então acabou atrasando tudo. Você pode estar se perguntando: “Não era mais fácil (e lógico) esperar sábado e fazer o post com os episódios 9 e 10 juntos?”. Teoricamente sim. MAS no episódio 10 começa o arco final do anime. Como esse episódio 9 foi mais de comédia, eu não quis misturar. Fiquem com a postagem :).


Alex – Mana, na semana passada nós comentamos como a produção precisar parar de tentar fazer filers “grandiosos” porque eles estavam cometendo tropeços terríveis no caminho (chegando a até estragar dois dos três twists que teríamos nessa temporada), e que eles deveriam apostar em filers focados em eventos do cotidiano dos personagens… E não é que o anime fez exatamente o que nós queríamos. Boa parte do episódio teve foco em uma festa do pijama, enquanto fazia um paralelo com a história da Anne, que inclusive, quero debater alguns assuntos sobre ela. E nosso timing perfeito não poderia ser MELHOR! Porque no post passado, você comentou como o anime poderia adaptar um capítulo do mangá que a Catarina mandava um convite para o Geordo e que achou que era algo romântico. No fim das contas, ela chamou todos e os colocou para trabalhar. Lembro até que comentei que as chances de adaptarem aquele capítulo eram baixas porque era conteúdo do mangá, Mas eis que vem o anime e ‘tcharam‘, adapta esse capítulo também hahahah. Eu adorei o episódio. Foi uma ótima adição ao anime!!!

Rose – Sim. O roteiro pecou muito na tentativa de fazer filers nos últimos episódios. No entanto, nesse último episódio tivemos muitas coisas boas. Inclusive, o anime conseguiu adaptar algo que eu sinceramente achei que não iria, que é a história da empregada Anne, uma personagem que tenho muito carinho. E todo paralelo da festa do Pijama foi excelente! Hamefura me encanta por essas situações simples e cotidianas. Eu não julgo a produção do anime por investir em atos grandiosos em uma tentativa de preencher espaço e enriquecer todo universo mágico do anime. Porém, a maneira que fizeram foi um pouco forçada e destruiu dois plot twists MUITO importantes (nunca vou perdoar o episódio 7). O episódio 9 foi um grande avanço em relação aos últimos. Indo direto ao ponto: eu adorei esse episódio. Em termos de comédia, ele manteve o padrão Hamefura (que é excelente) e conseguiu dar profundidade a uma personagem que estava um pouco apagada nessa adaptação até então. E o extra do Geordo foi uma surpresa para mim. Foi muito engraçado.

Alex – Eu sinceramente não esperava por esse desenvolvimento para a Anne. Acreditava que ela seria apenas mais uma personagem de apoio, sem grande destaque, que estaria presente aqui e ali (como vinha sendo), sem muita relevância. Adorei terem dado essa profundidade a ela. Uma das primeiras coisas que o episódio apresentou foi a Anne ter conhecimento dos sentimentos de todos os personagens ao redor da Catarina, mostrando que é óbvio para todo mundo, menos para a própria Catarina… Coitados. Foi cômico e nos deu uma impressão diferente de cada um, porque até então nós só tínhamos o “referencial” de cada pretendente, mas não uma visão de alguém de fora. Ela falando que teve medo do Geordo e que perdeu alguns anos de vida foi perfeito! Hahahaha. Um ponto a destacar nessa cena é como ela consegue manter aparências, sem revelar seus sentimentos, mesmo com medo naquele momento. Não deixou transparecer. Apenas sorriu e concordou com ele. Deve-se ao seu passado nada feliz que vimos logo mais a frente no episódio.

Rose – Sim. Eu mesma fique surpresa porque não imaginava que a adaptação para iria se aprofundar na personagem da Anne. Ela é uma mulher reservada e bastante quieta. Acredito que seja a personagem mais introvertida da obra até então. E eu gostei de como trabalharam a relação dela com a Catarina e com os demais personagens. Ela reconhece que todos estão apaixonados pela Catarina (Na verdade, acho surpreendente que Catarina não tenha notado ainda porque Mary mandou algumas indiretas bem ‘diretas’ nesse episódio) e entende o posicionamento de cada um. Geordo é assustador hahaha. Quem não tem medo dele? Não é surpresa que Anne fique tão assustada ao ponto de perder alguns anos de sua vida. Aquele sorriso diabólico acaba com qualquer um. O fato dela se manter firme e não deixar suas emoções serem transmitidas é algo que admiro na Anne. Ela sempre está lá, com a mesma expressão, no entanto, dentro dela existem memórias conflitantes e infelizes. Ela é uma mulher muito forte e admirável. Eu sinceramente amei a relação dela com a Catarina. Você consegue notar o afeto e o carinho mútuo das duas. Elas são como irmãs de alma.

Alex – Sim!!! A Anne criou uma ligação linda e profunda com a Catarina. Só acho um pouco triste a própria Catarina não ter noção (provavelmente) do quanto a Anne ama ela. Mas acho que para a Anne é até melhor assim. O amor da Anne é daqueles que se valoriza mais por ser “”escondido””. Fora que a própria se sente bem em continuar do jeito que está. E quem diria que por traz dessa cara que, por vezes é inexpressiva, temos esse amor: “Quem vê cara, não vê coração” é muito presente aqui. Mas falando um pouco mais do passado da personagem, o pai dela era um filho da puta (homens…). Usou a mãe dela, via a própria filha como um instrumento para conseguir vantagens políticas e ainda quando a mãe dela morreu no incêndio e a Anne saiu machucada, ele a descartou como lixo. Mais tarde ainda volta para tentar casar ela com um pretendente, mesmo sendo “””defeituosa”””. Mas uma coisa que foi positivo para a construção de mundo foi que demarcaram melhor o quão ruim é aquela ‘conservação’… Não é essa a palavra. Toda a aristocracia (?). Aquela exaltação da moça sem marcas, de pele lisa etc. Vimos um pouco disso com o corte da Catarina que levou o Geordo a acertar um casório com ela na infância. Mas com a Anne ficou mais evidente. As mulheres não podem mesmo ter machucados. Tempos antigos são bizarros e é triste como certas coisas ainda persistem mesmo nos dias de hoje…

Rose – Sim. Anne valoriza o tempo que passa com a Catarina, e não quer ser correspondida. Apenas deseja continuar servindo a pessoa que ama e cuidar dela em silêncio, vendo-a crescer e criar relações de amizade com outras pessoas. Eu acredito que Catarina também se sinta afeiçoada a Anne, já que foi ela quem Catarina escolheu para acompanha-la na Escola. E sinceramente eu admiro esse lado da personagem. Ela pode parecer séria e até mesmo um pouco fria, porém tem um coração de ouro e nele guarda um sentimento puro e caloroso. É um pouco triste ver que alguém tão doce passou por tanta coisa. A sociedade Aristocrata é cruel (principalmente com as mulheres). Nessa época, eles valorizavam excessivamente a pele branca e lisa. Ter cicatrizes (por menor que sejam) poderia destruir as chances de um bom casamento. E quando Anne se feriu naquele incêndio, ela perdeu seu “valor”. Essa é uma representação infeliz de como era ser uma mulher naquela época. Anne era apenas um peão para seu pai. Uma peça que renderia um bom dinheiro para ele se achasse o pretendente certo. No entanto, quando essa peça foi danificada, ela se tornou desnecessária. Então ele apenas se livrou dela. É tão injusto e melancólico. Saber que mulheres sofreram (e ainda sofrem) esses abusos e pressão é endurecedor.

Alex – Concordo plenamente! É triste, mas é bom ver que valores mudam e se transformam com o passar do tempo. na nossa sociedade ainda temos a mudar, mas ao menos estamos mudando. Mais devagar do que eu e muitos outros gostaríamos, mas já é algo. O que mais gosto desse desenvolvimento da Anne é a cena em que a Catarina intervém por ela e não deixa o pai fazer o que quiser com ela. Graças a isso, a Anne resolve finalmente tomar alguma atitude por si só e vai contra o que o pai dela quer. Adorei isso. Finalmente ela está buscando algo que quer que é estar ao lado da Catarina. Gostei também da Catarina ter dado presentes de aniversário para ela e a Anne guarda eles com todo amor e carinho. De forma geral: AMEI!!!

Rose – Sim. Catarina salvou mais uma pessoa involuntariamente haha. Anne conseguiu ir contra as vontades de seu pai graças a ela. E nem quero imaginar o tipo de homem que o pai de Anne arranjou para ela! É tão fofo ver que Anne guardou os presentes que recebeu de Catarina. Imagino que ela irá receber muitos outros. Todo o desenvolvimento da Anne nesse episódio não pode ser esquecido de forma alguma. Mostrou-se ser uma pessoa incrível e quero ver mais dessa personagem no futuro. Mas não podemos esquecer dos outros personagens certo? Eles também tiveram seu destaque, mesmo que de forma cômica hahaha.

Alex – Acho que o pai dela deve ter arranjado um marido bem nojento, que o cara ia usar a queimadura da Anne para fazer todo tipo de abuso e deixá-la submissa aos desejos e vontades dele… Nojento. Mas vamos aos demais personagens. Destaco logo o plano diabólico da Mary de se isolar em uma ilha com a Catarina. Lembro até que você compartilhou no seu Twitter uma página da novel que mostrava esse plano. Me pergunto se a Mary tem algum limite hahaha. Claro que não podemos esquecer dos demais, como o Keith que não é notado pela @ hahahah… Coitado :'(. Também temos o pobre Alan que sequer sabe que gosta da Catarina. Ainda fico impressionado em como a Mary conseguiu manipular ele ao ponto de não perceber como se sente em relação a Catarina hahaha.

Rose – Me lembro que na Novel, o noivo da Anne é descrito como um homem BEM mais velho que ela e que provavelmente tinha uma doença sexual – essa parte eu não tenho certeza, mas era algo do gênero. Fiquei impressionada quando li que Mary queria fugir com Catarina para um país distante (monopolizando a coitada) e não imaginei que iriam adaptar essa parte da novel. Realmente é muito cômico. Já o Keith, pobrezinho. Cuida tão bem da Catarina e ela nem mesmo nota que seus sentimentos vão muito além que amor fraterno. Nicol continua sendo o Nicol, inexpressivo de sempre, que no entanto, dá alguns sorrisos discretos quando está com Catarina. Sophia tem uma técnica bem diferente dos demais, tentando conquistar Catarina e ao mesmo mandando VÁRIAS indiretas sobre como seu irmão é perfeito e adorável. Já o Alan, ainda não se deu conta de seus próprios sentimentos. Coitado…

Alex – Meu pai amado… Achei fofo o Nicol. Começo a gostar mais dele hahaha. Gosto da Sophia “ir para cima” ao mesmo tempo que tenta ajudar seu irmão. Muito deve ser por causa de a Acchan querer fazer com que a sua amiga termine a rota que não conseguiu em vida. No caso do Keith, o que me chamou atenção é a própria mãe da Catarina também tentar acabar com o casório. Fiquei realmente surpresa com isso, mas bem, acho que a mãe dela está mais com pena do Geordo ter que ficar com a Catarina do que o contrário ahahaha. Indo mais a frente, durante a conversa sobre festa do pijama, temos dois pontos interessantes: o primeiro é o Nicol estar interessado em uma festa só com os garotos, quando ele mesmo não interage muito. E o segundo é a Sophia ser um projeto de fujoshi hahaha. Sempre tem algum(a), não importa onde esteja hauhauhau. Ah sim! Não podemos esquecer da Catarina com pijama de berinjela. Simplesmente PERFEITA!

Rose – Pode não parecer, mas a mãe da Catarina tem muito carinho pela filha. Acho que ela sabe que Catarina não corresponde os sentimentos do Geordo e entende muito bem que Catarina não é apta para ser uma Princesa (muito menos uma Rainha). Então, no meu ponto de vista, ela só quer proteger a filha e garantir que ela possa viver em liberdade (lembrando que no universo de Hamefura, o Rei é quem escolhe o sucessor e como Geordo é muito bem disciplinado, ele é um candidato forte para esse cargo. Porém a posição de Rainha é uma posição que exige disciplina e bons modos, coisas que Catarina certamente não tem. hahaha). Eu adorei que Nicol queria ter uma noite só de meninos (meu radar bissexual não mente hein senhor Nicol) e Sophia é uma fujoshi confirmada hahaha. Aposto que Acchan tinha 4 estantes de manga. Uma para shoujos, outra para GL e duas para BL hahahaha. Um verdadeiro ícone. E Catarina no pijama de berinjela é muito fofa. E ainda quero saber como ela tem um pijama que brilha em uma época sem energia elétrica hahahah.

Alex – Parando para pensar, é bem isso mesmo. Porque na placa de “protesto” da mãe da Catarina, estava escrito que ela não serve para o consorte, então esse ponto que você levantou faz mais sentido hahaha. Acho que a Sophia teria uma estante de cada demografia: uma de shoujos, uma de GLs, uma de BLs e uma de josei. Não pode faltar o conteúdo mais “maduro”!!! Durante a festa, temos 4 encalhadas… Sofrido. Quando a Sophia perguntou de tinha algo que elas gostariam de fazer caso estivessem namorando, o comentário que mais gostei foi o da Mary por dois motivos. 1: Apesar de estar bem óbvio as intenções românticas das garotas com relação à Catarina, eu achei bom ela deixar verbalizando, naturalizar o relacionamento por assim dizer, porque não é algo muito aceitável dentro daquela aristocracia. Tanto é que a Catarina nem tinha pensado nessa possibilidade. Então achei bom a Mary falar que não precisa ser um garoto. E 2: Caraca, ela mandou uma DIRETA para a Catarina e ela não sacou. Pobre Mary… Sophia a perdida na literatura hahaha. E a Mary é o tipo de pessoa que conquista pelo estômago hahahahaha. Eu super aceitaria ser a cobaia dela também.

Rose – Uma coisa que gosto em Hamefura é a naturalidade que tratam os relacionamentos entre pessoas do mesmo gênero. Por exemplo, existe uma compreensão mútua da bissexualidade das garotas no Harém. E em nenhum momento os meninos desprezaram suas rivais por serem mulheres, porque é muito comum em obras BL, GL e até fora desses gêneros, ver que quando o protagonista é disputado por alguém do sexo oposto e por alguém do mesmo sexo. O rival do sexo oposto sempre tem uma mesma linha de raciocínio “Mas vocês não podem ficar juntos, pois são ambos garotos/garotas”. Isso me incomoda muito. Em Hamefura, todos reconhecem o perigo que cada rival apresenta, e não importa o gênero. Todos têm chances de conquistar Catarina. O que Mary disse é muito importante. Você não precisa se apaixonar por um menino porque é uma garota. Assim como um garoto não precisa se apaixonar por uma menina. Se tratando de amor, o sexo da pessoa não importa, afinal, quando amamos alguém, amamos a pessoa. E pobre Mary. Manda tantas e tantas indiretas e a Catarina não se dá conta que a outra quer ter uma relação muito maior que a de amigas de infância. Sophia é a representação da otaku apaixonada. Quer viver um romance de contos de fadas inesquecível (não julgo). Maria é adorável, e provou que também pode mandar indiretas para Catarina (mesmo que essas não sejam tão diretas quanto as da Mary). Afinal, quem é a pessoa que ela ama dar doces que cozinhou fora a Catarina?

Alex – SIM! É no estilo daquela frase tradicional de alguns BLs um pouco mais antigos “Mas nós somos dois homens”. É bem incômodo mesmo. E o que você disse é muito real. Em momento algum você vê algum dos garotos pensando, desbaratando ou até achando que alguma delas tem menos chances de conquistar a Catarina por serem mulheres. Não! Excelente! Não esperava menos de uma autora mulher. Perfeita!!! E entra na questão de como você mesma disse, amar a pessoa, não o gênero ou o corpo dela. Então independente do que eles forem, cada um ali tem chances por igual de conquistar o (disputado) coração da Catarina ^^. Olha, tirando algumas coisinhas, a vida idealizada pela Sophia parece bem agradável Hahahah. Mas acho que todo mundo já ter lido alguma história, seja mangá, anime, livros, jogos etc., e deve ter pensando “Queria que isso acontecesse comigo.”. A Maria literalmente voltou a alimentar sua paixão por cozinhar por causa da Catarina. Era só ligar um pouco os pontos. Mas é como a Anne disse. A Catarina é uma porta e nada entra naquela cabecinha hahahah. Mas passando para a cena pós créditos, finalmente vamos começar o flag da destruição! As garotas que há alguns episódios estavam encarando a Catarina, finalmente começaram a agir. Eu sei de algumas poucas coisas bem vagas. Ou seja, não sei NADA! Então estou bem animado com o que virá hehehe.

Rose – Sim!!!! O quão tapada pode ser a Catarina me assusta. Anne, nós te entendemos. Infelizmente te entendemos hahaha. Sobre a cena pós-créditos… Eu estou animada!!!! Finalmente entramos no arco final do anime e estou ansiosa para ver a sua reação Alex hahahaha.

Alex – Estou ansioso!!! Ao menos o episódio já sai hoje (06/06) hahahah. Que comece o grande flag da destruição!!!


Apreciação de Otome Game de hoje.
Coitado…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s