Review de Kabukichou Sherlock

Quando uma nova visão do detetive mais famoso do mundo fica uma droga.

SINOPSE: Lado Oeste de Shinjuku. Do outro lado dos muros das ruas organizadas e bem iluminadas, predomina o caos. Na escuridão de Kabukichou, onde elefantes rugem para anunciar a hora e vilões espreitam em cada sombra, você vai encontrar seis detetives. Esquisitos, malucos, palhaços e tolos para um homem, e quem sabe que loucura vão trazer com eles. Aproveite essa batalha de inteligência entre detetives.

Podia dar certo, só que não foi aqui

Não tenho problemas com as novas versões de personagens conhecidos pela cultura POP. Tanto que eu curto o Sherlock do filme do Guy Ritchie (que a maioria odeia) mesmo não tendo nada a ver com o que foi estabelecido pelos livros. O que importa é como será abordado essa nova reimaginação de uma das personas mais famosas da literatura/cinema, e se irão respeitar os alicerces que Sir Arthur Conan Doyle estabeleceu na literatura. Então eu já estava me preparando mentalmente para não ter nenhuma referência direta ao conteúdo original e que seria uma nova história, uma nova realidade, e como as influências japonesas resultariam nesse novo detetive. O que eu não esperava é que tudo SERIA UMA MERDA FODA nesse anime.

Eu quero falar do roteiro e de como foi uma desgraça esse quesito. Primeiro a parada de ser episódico. Nessa caso aqui, ficou muito cagado. Como não tinham tempo de desenvolver uma trama ou um caso decentemente em 90% do anime, o enredo ficou muito abaixo do que se esperaria de um algo investigativo. O que você pensaria de uma obra em que o suspense de ‘quem é o culpado’ tem que sustentar o roteiro? Obviamente que cogitaria que teríamos suspeitos, uma investigação gradual em juntar pistas, os personagens iriam fazer conjecturas, teríamos novas revelações (se tiver oportunidade, uns twists), alguns desenvolvimentos dos investigadores em relação as suas personalidades, e finalmente teríamos a tão esperada revelação do verdadeiro criminoso com suas justificativas que o levaram a fazer os atos hediondos mostrados. É O MÍNIMO que se espera de uma obra com pegada policial e de investigação. Agora o que acontece aqui no Kabukicho Sherlock? TOTALMENTE O OPOSTO DO QUE CITEI ACIMA.

Grupo de detetives para quê???

Aqui o Sherlock não chega em deduções afiadas e coerentes de acordo com suas ações. No anime, todas as soluções são tiradas do CU, porque as pistas não são mostradas para o espectador. Na verdade, são ocultadas e magicamente aparecem no momento em que a coerência é necessária para servir de explicação no entendimento do que diabos está acontecendo. A parada do espectador de tentar descobrir o assassino a partir do que nos é revelado, se perde e tudo é jogado na nossa cara no enorme foda-se. Você perde aquele charme do Holmes em expor suas ideias e como ele concluiu o caso com os elementos descobertos (e evidenciados), para um cara sem carisma, viciado em Rakugo, que em um monólogo CHATÍSSIMO, vira um TOTEM DA EXPOSIÇÃO GRATUITA E SEM SENTIDO. Muitos casos eu não faço a mínima ideia de como foram resolvidos. Só sei que o protagonista ficou falando por vários minutos e que a solução caiu do céu. Os rivais dele na “Associação de Investigadores” são tão desinteressantes quanto ao protagonista. E nem quero comentar sobre o Watson. Transformaram o coitado que era a voz da sensatez, em uma ANTA COMPLETA. O Watson sempre foi inteligente e que auxiliava com seus conhecimentos na área da medicina para a investigação toda a vez que o Holmes precisava. Aqui, transformaram ele numa ‘empregada doméstica’ que mais atrapalha do que ajuda. Me doe ver que ‘emburreceram’ o personagem para nada, já QUE ELE NÃO PARTICIPA DE COISA ALGUMA ENVOLVENDO QUALQUER CASO/MISTÉRIO. Um completo desperdício ter esses personagens na trama. O único “melhor” trabalhado é o Moriaty. Até porque, é o único que pode dizer que tem um arco de desenvolvimento. Qualquer outro personagem do elenco ou são rasos, ou são caricatos ao extremo. E falando em CARICATURA…

Tem muitas piadas relacionadas a minoria que achei bizarra ou de mau gosto. Os negros, indígenas, estrangeiros, judeus, e principalmente com os gays, são alívios cômicos cheio de malicias e preconceitos. São estereótipos que só fomenta uma porrada de coisas ofensivas. Só para deixar claro com alguns exemplos: Os trasvestis não vão violentar todo homem que vêem na rua. Os negros não são beiçudos e falam com um inglês ‘malevolente’. Os indígenas não fazem dança da chuva em lugares bizarros. Os gordos não comem sem parar um segundo. Os estrangeiros não são loiros de olhos azuis “zoeiros”(…) São uns tipos de abordagens que servem para “rir”, mas só diminuem todo um grupo para o divertimento de quem não faz parte dessa classificação. O anime paga de obra que quer pregar a diversidade, porém a mensagem passada só aumenta a segregação. Uma pena.

Apesar do anime tentar te vender que o Moriaty é bonzinho, para quem leu algum livro do detetive, sabe que esse personagem é o grande inimigo do Holmes. Não tem como o nosso protagonista inteligente existir se não tiver um vilão a altura. E pior que funcionou na primeira metade do anime depois que o Moriaty descobre como a sua irmã foi morta. Até ali, você acredita na decadência de sua índole e na mudança de sua personalidade. A desgraça começa depois. A direção tenta passar a imagem de que ele está arrependido, só que o roteiro não faz o mesmo. Só faltou colocar uma placa de CULPADO na cabeça do maluco. É tão grave essa questão porque mostram uma porrada de crimes ligados ao personagem da forma mais óbvia possível, que fico na dúvida se a diretora tinha controle criativo do que ele queria contar. Estava na cara que era ele e ainda assim, a porra do anime tenta dizer que pode ser outro, sem apontar para um outro qualquer. Logo, se o anime erra em “ocultar” a investigação e surge com a solução do nada, ele também erra do outro lado, evidenciando demais as pistas que ligam ao Moriaty, perdendo todo o impacto que teria, por exemplo, a cena da bomba no estádio. Quando o Moriaty admite os crimes, só pensei: “Demorou hein, CARALHO!?” Nada que o roteiro tenta montar, fica bom na tela. O resultado é o total desinteresse da minha parte POR QUALQUER COISA que tivesse no anime. Eu estava cagando para o que aconteceu ou deixou de acontecer. Só queria que terminasse logo.

Falando mais da parte técnica, o anime se sai bem mais ou menos. A direção erra mais do que acerta. O ritmo narrativo é desinteressante e a edição só corrobora com o fato. A animação é mediana, mas os designs, DEUS QUE ME PERDOE, É MUITO FEIO. A trilha sonora é no máximo um ok, sendo que nenhuma faixa mereça um destaque. E os dubladores até tentam, só que a merda já foi espalhada e não tem como limpar mais. Realmente a diretora de Oregairu (1ª Temporada) tem muitas limitações para coordenar projetos mais grandiosos.

Conclusão

Nem preciso comentar do quão ruim foi a experiência de ter assistido Kabukicho Sherlock. Se querem algum anime de investigação/policial e que seja BOM, vão de Babylon que é mais negócio. Evitem a todo custo Kabukicho Sherlock, porque não consigo recomendar esse anime nem mesmo para quem não é tão crítico quando assistem algo. Fica a recomendação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s