Otome Game no Hametsu Flag Shika Nai Akuyaku Reijou ni Tensei Shite Shimata (Hamefura) #6 – Impressões semanais

O tradicional “episódio de praia” ganhou uma cara diferente em “Otome Game no Hametsu Flag”.

“Otome Game” nesta semana acabou dando uma nova cara ao tão famoso “episódio de praia” dos animes. Além de mega divertido, o anime ainda desenvolveu o relacionamento dos personagens, deu dicas do que irá acontecer no futuro e começa a “preparar terreno” para os eventos lá na frente.


Alex – Rose, esse episódio 6 de Otome Game foi mais focado na comédia, mas mesmo assim, eles conseguiram trabalhar a relação entre os personagens. Tivemos algumas relações, indícios aqui e ali, e podemos dizer que esse foi o fatídico “episódio de praia” que (quase) todo anime tem? Não foi focado exclusivamente em praia (era um lago, mas vamos fingir), não tivemos biquinis e foi bem diferente do que estamos acostumados com os demais animes que trazem esse tipo de episódio. O episódio começa de uma forma tão “páh”, porque ele já inicia com a Catarina dizendo “Começaram as férias de verão!”. Achei um tanto de repente e me incomodou um pouco, mas isso não é nada diante de toda a maravilha que foi esse episódio. Lá no comecinho vemos que a Catarina está aperfeiçoando suas técnicas para evitar seu fim… Isto é, o aprimoramento da cobra de mentira e melhorando o arremesso da mesma. Uma EXCELENTE tática de combate hahahaha. Uma coisa que eu adorei logo de cara nesse episódio foi envolvendo os personagens de apoio, que sequer tem muita relevância e me refiro aos empregados da mansão da Catarina. Enquanto a Anne conversa com a mãe dela, foi muito bom ver que a mudança de agir da Catarina. Traz impactos não só com o elenco principal, mas também com quem ela vive ali. A Anne menciona que a Joana e o Tom eram fechados, mas graças a Catarina, eles se tornaram pessoas mais abertas. Melhorou o relacionamento entre as pessoas da casa. E até influenciou no relacionamento da mãe e do pai dela. Mas como nem tudo são flores, a Catarina dá um jeito de irritar a mãe dela hahahaha.

Rose – Otome Game foi tão genial que conseguiu fazer o “Episódio da Praia” (que na maioria dos animes é uma verdadeira dor de cabeça para mim) se tornar uma parte fundamental e muito divertida no anime. Gostei muito de como soltaram algumas dicas sobre os próximos acontecimentos do anime e como trabalharam cada personagem. O começo também me incomodou um pouco, mas porque a informação foi completamente desnecessária. Quer dizer, eles já não estavam no episódio passado? (Tecnicamente era um período de folga, mas isso conta como férias e poderia muito bem ser encaixado de forma natural). No entanto, foi muito divertido. Ainda não superei a cena inicial em que Catarina lança uma cobra da maneira mais dramática possível (para que levantar a perna???). Estou rindo até agora. Ela é uma tapada sem salvação hahaha. Mas foi justamente isso que conquistou o coração de todos. Inclusive, os personagens de apoio, que no universo original do jogo, provavelmente eram apenas NPCs. Como você mesmo disse, o episódio explora como esses personagens mudaram com a presença da nossa Bakarina. Anne, Joana e Tom eram fechados e provavelmente jamais mudaria se Catarina não tivesse intervindo involuntariamente. A própria mãe da Catarina parece gostar mais dessa versão tapada de sua filha do que da nobre babaca no original. Apesar de Catarina não ser uma Dama e irritá-la demais hahahah.

Alex – Sim! Ela imitando um lançamento de baseball para arremessar a cobra de brinquedo foi hilário hahahaha. Eu me pergunto qual “versão” da sua filha a mãe da Catarina iria preferir se ela fosse colocada diante das duas hahaha. Mas a mudança da mãe dela em especial, não foi só na relação dela com seu marido. Mudou na maneira que ela é. Porque se a gente for alguns episódios atrás, nós vemos que a mãe da Catarina meio que deixa ela maltratar o Keith. Lembro que em um dos “flashbacks”, a Catarina pensa na sua eu original e nós vemos um quadro dela maltratando o Keith e a sua mãe apenas observando sem fazer nada. A Catarina ser quem é fez a mãe dela mudar seu eu original também. A criatura também não prestava hahaha (cof tal mãe, tal filha cof). E falando em mudança e aproveitando que mencionei ele, o Keith foi um pouco mais explorado nesse episódio. Vemos um pouco mais dele no passado e como um simples gesto da Catarina, já fez ele superar um de seus traumas. Ela estar disposta a ficar do lado dele e o fez superar seus problemas e acho que ali, provavelmente começou a se apaixonar pela Catarina. Keith também ficou um pouco ousado, quase beijando a Catarina enquanto dormia. Gostei do posicionamento da “câmera” na cena. Estava atrás de arbustos, como se a gente tivesse observando escondido. Gostei bastante disso. E a Catarina me representa. Acorda pensando em comida hahahaha.

Rose – Com certeza ela iria preferir a Bakarina hahahah. Catarina original podia ser uma Dama, mas era uma com personalidade horrível. Acho que foi justamente a mudança na relação da mãe com o pai da Catarina que permitiu a mudança no relacionamento entre mãe e filho com o Keith. No jogo, Keith foi maltratado por Catarina e passou a infância sem a presença (e proteção) da mãe adotiva, porque esta achou que ele era fruto de um caso de infidelidade por parte de seu marido. Mas como, no universo do anime, tudo foi resolvido, ela pode se permitir aproximar de seu marido e filho. No final, uma pequena mudança causou um impacto gigantesco em todo o enredo. E serve para o Keith, como dito nos episódios passados, passou de um Playboy garanhão para um perfeito cavalheiro. Mas não significa que ele se tornou um santo hehe Não consegui conter meu pânico achando que ele de fato iria beijar a Catarina. No entanto, a tapada acorda bem na hora e ainda acorda pensando em comida (ela não tem salvação hahaha). Sendo um pouco mais séria agora, gostei de como abordaram os traumas de Keith no episódio. A representação dos irmãos dele foi muito bem desenhada e a distribuição de luz durante o sonho e o fim dele também. Adorei como usaram cores frias para representar seus irmãos e como pouco a pouco a luz entrava em cena (sendo essa luz a própria Catarina).

Alex – SIIIIIIIIIIIIM!!! Eu tenho um fraco tremendo para representações visuais, principalmente em casos que há uma necessidade de mostrar o(s) medo(s) do(s) personagem(s). Um anime da temporada que faz essas representações de forma muito criativa e primorosa é PET. Ele sabe como fazer e construir o medo dos personagens e tem algumas cenas perfeitas e muito criativas! Mas voltando ao Keith, gosto de como fizeram algo mais rabiscado, parecendo técnicas manuais de giz e tinta (me lembrou o Shuzu Oshimi). Ah sim, esqueci de falar. Gostei de como segmentaram o episódio em diversos pequenos contos que aconteceram durante as férias de verão. Funcionou bastante com o teor mais descontraído do episódio. A idiotice da Catarina me surpreende e me deixa com uma certa vergonha alheia hahaha. O Geordo novamente tentando fazer eles ficarem sozinhos para dar em cima dela, e novamente não percebe nada. Igualmente com o Keith tentando impedir deles de ficarem a sós. O Keith me surpreendeu chegando na carruagem. É o famoso desespero??? Hahahaha! Saiu correndo, provavelmente quilômetros até lá.

Rose – Essas representações também acabam comigo! Nunca assisti PET. Agora que você comentou, fiquei interessada. Também gostei de como dividiram o episódio, principalmente do quadro que usaram para fazer esse ponto. Ele foi desenhado de forma infantil e me deu uma forte impressão de casualidade e diversão. Como uma espécie de nostalgia. Catarina está se tornando cada vez mais densa. A idiotice dessa menina cresce em cada episódio. Geordo claramente está cada vez mais apaixonado, e está disposto a conquistá-la. Mas para isso, é preciso que os dois tenham um tempo a sós, e é algo que Keith não irá permitir a qualquer custo. No entanto, aos olhos da Catarina, eles são bons amigos e que Keith só não quer ficar sozinho hahahaha. Na realidade, ele apenas é um irmão preocupado (e vale a pena destacar: apaixonado) que quer proteger a integridade física da irmã hahahah. Ele só não imaginava que Catarina iria chamar todos os seu rivais para um “amigável” passeio de barco. E por falar nisso, a competição para ver quem iria acompanhar a Catarina foi hilariante (com destaque ao Geordo claramente em um caos interno dizendo a todos que Catarina era sua noiva hahahha).

Alex – Assista PET, é um ótimo anime. Muito confuso e complexo, mas é um bom anime. Bom ponto sobre o quadro. Parece bem infantil (a criança que supostamente desenhou aquele quadro desenha de forma invejável *_*), alegre e realmente combina com o episódio em si. A palavra “densa” ganha um novo sentido quando aplicada à Catarina hahahaha. A Mary toda preocupada “quase fui deixada para trás”, foi perfeita. Hahahahaha. A cena como um todo, foi mega divertida. Até a Maria tomou a frente nessa disputa hahaha. Os que mais ficaram “aquém” nessa história foi o Alan e o Nicol. O Nicol já era esperado pela inexpressividade padrão dele. Agora o Alan me causou uma certa surpresa. Acho que mesmo agora ele não se deu conta dos seus sentimentos porque deve se sentir “atado” ao seu compromisso com a Mary, e claro, ele é meio tsundere (acho fofo). E sendo a competitividade deles continua hehehe. E no fim, quem se deu bem foi a Mary, que acabou se empolgando demais. Derrubou elas do bote hahah. Achei cômico a Sophia falando que o Nicol estava sorrindo (um pouco) e quem olhava não via.

Rose – Realmente, Catarina conseguiu atribuir novos significados as palavras: densa, tapada e lerda hahahah. Mary claramente é uma mulher ciumenta e diria que das personagens femininas do anime, ela é a mais surtada. Fiquei meio boba vendo ela inquieta por quase não ter ido ao lago com Catarina. É muito fofo. E um destaque para a evolução da Maria. No começo ela era uma garota tímida e não sabia lidar com nobres fora do Conselho Estudantil. Agora ela entra em disputas pela atenção da Catarina (o que o amor não faz hahahah). Eu acho justamente o contrário sobre o que você comentou. Nicol e Alan tiveram um desenvolvimento legal nesse episódio. Nicol teve mais destaque do que nos episódios anteriores e consegui entender mais sobre sua personalidade e sua relação com a Sophia e com a própria Catarina. Já o Alan, não me causou surpresa alguma hahahha. Ele só não é tão denso quanto a Catarina porque diferente dela, tem muito mais do que dois neurônios em sua cabeça. Agora que você comentou, realmente ele é um Tsundere fofo hahahaha. Talvez Alan não tenha percebido seus sentimentos por estar noivo de Mary e por Catarina estar noiva de seu irmão gêmeo. Algumas coisas nunca mudam. Uma delas é a rivalidade entre o Alan e Catarina (acho muito fofo) e a outra é a devoção de amor que Mary sente pela Catarina. Eu não imaginava que Mary derrubaria as duas do barco por acidente em um “ataque” de amor pela Catarina. É tão cômico e fofo hahaha. A conexão entre Sophia e Nicol é muito bonita hahaha. Eu realmente não consegui ver um sorriso nele como os outros personagens, mas se Sophia disse que ele está feliz, então eu acredito hahahaha.

Alex – Sim! Acho que de todos tentando disputar a atenção da Catarina, a Maria foi a mais “inesperada”. De uma personagem passiva, calma (tanto que quando ela é atacada pelas garotas no episódio passado, ela nem tenta fazer algo para revidar), que é na dela e não tenta chamar atenção. Para uma personagem que toma inciativa, e entra até em uma disputa para passear de bote com sua amada. O meu “aquém” se refere a cena dos botes, e eu concordo que eles tiveram um bom desenvolvimento no episódio. Só na cena dos botes que eles não tiveram uma iniciativa igual aos demais. E uma coisa legal foi a conversa entre os garotos. O Nicol falando que o Geordo não era assim na infância, que o sorriso dele parecia falso, que sempre parecia entediado foi muito legal. A mesma coisa com o Geordo falando do Nicol. Acho importante os outros personagens interagirem e principalmente, que eles notem as mudanças entre eles, porque a principal é a Catarina, mas não quer dizer que tudo tem que se mover ao redor dela. Espero que tenha dado para entender o que eu quis dizer haha. Eu acho engraçado como os personagens tacam o foda-se para os casórios deles. A Catarina está focada em terminar com isso, a Mary não está nem aí, dá em cima da Catarina na cara dura durante a festa, ela até joga o Alan para falar com as admiradoras hahaha. E os demais personagens nem se importam muito com ela estar noiva. Acho que nessa situação, os personagens devem estar falando uns para os outros “Quem é você na fila (enorme) do pão?” ahahahahaha.

Rose – Maria cresceu muito ♡ Ela mudou e se tornou mais aberta. Agora ela valoriza a si mesma e aos sentimentos que tem por Catarina. Sinto que essa evolução vai ganhar destaque nos próximos episódios. E por falar em evolução. Os meninos também se tornaram mais abertos e sinceros. Também achei legal o dialogo entre Nicol e Geordo, e como Nicol percebeu as pequenas mudanças em Geordo. Concordo com o que você disse. Catarina pode ser a protagonista, mas é importante que os outros personagens se desenvolvam e interajam entre si. É fundamental para enxergamos os personagens como pessoas e não como cascas vazias sem emoção que só foram criados unicamente para a protagonista e apenas existem em prol do desenvolvimento dela. E está mais que claro, que o único personagem que leva o noivado da Catarina a serio, é o próprio Geordo. Ninguém liga se Catarina está comprometida ou não. Quem conquistar o coração dela primeiro, leva o prêmio hahaha. Keith mesmo diz durante o episódio que esse noivado é uma questão passageira e pode mudar a qualquer momento. Mary não pode ver uma oportunidade que já se joga nos braços de Catarina, e como ela mesma diz “Se forem duas garotas, é melhor” hahaha. É uma verdadeira competição para ver quem captura o coração de Catarina primeiro hahaha. E sobre a cena do piano, eu tenho algo importante para comentar. No entanto, é melhor deixar para o final hehe…

Alex – Só é uma pena (ou não) que a própria Catarina não perceba essa disputa haha. Agora passando para o encontro da Catarina com os irmãos. As colegas de leitura continuam vívidas mesmo depois de tantos anos, e mesmo com uma quantidade maior de tarefas para fazer, elas continuam alimentando o hobby delas. Até porque, quando elas eram crianças, não tinham tanta coisa para fazer e agora com a escola mágica, deve ter ficado um pouco mais complicado, mas é sempre bom manter hobbys ^^. E eu me pergunto como a Catarina consegue manter tantos hobbys, atividades, tarefas ao mesmo tempo! É muita coisa. Mesmo durante a infância, ela fazia o tempo render DEMAIS!!! Ela brincava, treinava, lia livros, ia a festas, subia em árvores, cuidava de horta… muita coisa haha. Voltando ao tópico, fiquei surpreso com o Nicol durante o encontro. Eu realmente achei que ele fosse beijar a Catarina. Ela até não resiste a proximidade dele (cof eu puxaria pra dar um beijo cof) hahaha. E é impressionante como ela não percebe, mesmo com ele quase tendo beijado ela (?). Catarina também deu outro sentido a Teoria da Branca de Neve: pra que ter um se eu posso ter sete???? Hahaha (roubei do José, que deve estar (ESPERO QUE ESTEJA) lendo esse post).

Rose – Sophia e Catarina são otakus assumidas hahaha. Podem ter milhares de tarefas e deveres escolares, mas continuam alimentando esse hobby tão lindo que é a leitura (a propósito, Sophia recomendou um BL para Catarina hahauhaha. Sempre soube que ela tinha o coração de uma fujoshi). Catarina pode ser tapada, mas não podemos chamá-la de desocupada hahaha. Ela foi produtiva desde criança. Cuidava de horta, lia livros de romance, fazia amigos de todas as idades e classes sociais, e ainda era uma “macaquinha” hahah. Aposto uma perna que Nicol leu um dos livros da Sophia e usou isso para tentar seduzir Catarina hahahaha. No entanto, ele não imaginava que o tiro sairia pela culatra e Catarina entraria em panico eterno hahaha. (O senhor anda bem safadinho hein, Alex. Aprovo). Catarina é tapada demais. Só nesses episódios, dois bishounens tentaram roubar um beijo dela e a menina não percebeu. Teoria da Branca de Neve agora se tornou Teoria da Bakarina hahhahahah.

Alex – É tão ativa, faz tantas coisas, mas não fez a lição da escola hahahaha. E no final do episódio ainda falou pro Keith que dava conta e no fim dormiu ahaha. Eu? Safada? Nossa sou pura… Hauhauhau. Mas enfim, voltando ao assunto, indo para a “próxima história” mostrada, vamos para o baile/festa. Apresentação linda do Alan. Amo piano, (provavelmente) e é meu instrumento favorito. E a mesma apresentação não podia faltar. A Catarina sendo idiota e achando que o Alan estava tocando em homenagem para a Mary… (Burra). A Mary só estava “Cai fora e vai lá com tuas fãs. Me deixa com a Catarina”, e ela é diabólica. Passou anos tentando fazer com que o Alan não se desse conta dos seus sentimentos pela Catarina. A criatura foi agindo no passado pensando em anos à frente hahaha. Uma outra coisa que me intriga, é o Sirius. Ele teve uma reação um tanto estranha quando a Catarina falou do chá. E agora nesse episódio quando a Catarina pergunta se ele não tinha pretendente e se estava interessado em alguém, a reação dele também foi estranha. O tempo da resposta e a expressão facial dele foram esquisitas. Esse rostinho bonito (e bota bonito nisso) esconde algo…

Rose – Eu amei a apresentação de piano (é o meu segundo instrumento favorito, depois de violino é claro). Catarina tem uma mente simples, para não dizer que ela é burra. Ela se prende demais aos acontecimentos do jogo e esquece que agora está em um universo completamente diferente em que os personagens tiveram um desenvolvimento fora de qualquer rota de Fortune Lover hahaha. Ela é inocente demais para perceber que seus amigos estão apaixonados por ela (o que é estranho, já que mentalmente ela é mais velha que todos eles). Mary é uma personagem cheia de carisma, mas é assustadora às vezes. Sempre confundindo Alan, para não aumentar a concorrência pelo amor de Catarina. Sirius é um personagem muito interessante e aparenta ser um bom garoto, mas não sabemos se ele é de fato um. É difícil saber o que se passa na cabeça dele. Suas reações são curiosas e suas falas parecem vazias. Assim como o Geordo quando criança, seus sorrisos parecem extremamente falsos. Será que veremos quem ele é de verdade nos próximos episódios? Falando nisso… Lembra quando eu disse que tinha algo importante para dizer sobre a cena do piano? Bom, tente reparar na distribuição da luz nessa cena, ou melhor, na falta dela. Essa informação é muito importante para o futuro de Hamefura.

Alex – Ela fica TANTO na mentalidade de “Meu deus, eu sou a vilã do jogo”, que nem percebe que nenhum dos pretendentes vê ela de tal forma. E mesmo que se ela entrasse em um flag, não acabaria morta ou exilada, por ela não ter mais a mentalidade e a personalidade da Catarina original. Agora que você falou, ela é a mais velha mentalmente dali. Acho que é mais fácil notar essas coisas quando não é com você… E sim, ele aparenta esconder algo. Personagens bonzinhos demais ou que ficam sorrindo a todo instante, nunca me passam confiança. Sempre acho que eles escondem algo hahahaha. Eu acredito que veremos mais do personagens nos próximos episódios, ou até o final do anime…eu espero haha. Hummm… Estou revendo a cena, e não sou bom em prestar atenção em detalhes. Tanto que coisas sutis geralmente passam despercebidas por mim. O que me lembra, as garotas encarando a Catarina no fim da cena do baile, achei que elas iam puxar briga ali ou quando a Catarina estivesse sozinha. Talvez aconteça nos episódios futuros, mas alguma coisa tem… E na parte final, como mencionamos um pouco mais acima, a Catarina deixou para fazer a lição no último dia (e não terminou porque dormiu enquanto fazia), mas o que merece destaque mesmo é o flashback com a Catarina na escola. É bom trazerem de vez em quando como era a vida do personagem no mundo deles. Gosto disso. E a Acchan menciona uma rota muito difícil. Imagino que ela esteja se referindo ao Nicol, porque mesmo o anime trabalhando ele um pouco aqui e ali, ele foi o personagem que a gente menos viu como ele era durante a infância. Então ele ainda é pouco nebuloso, ainda mais que ele é inexpressivo.

Rose – Sim, sim. Aquelas garotas cheiram a confusão. Tenho certeza que irão trabalhar elas nos próximos episódios. Catarina é um desastre como estudante hahaha Ela consegue tempo para visitar fazendas, conhecer a sogra, ir para um lago, fazer comprar, ir para um concerto de piano e ler livros de romance, mas não consegue nem mesmo fazer a lição de casa hahahaha (um retrato perfeito do otaku na quarentena). Gosto de quando o Isekai consegue conectar a antiga vida da protagonista com a atual. O flashback trouxe uma nova duvida para quem está assistindo. Qual rota Acchan estava falando e como ela vai afetar o destino de Catarina? E eles não colocariam uma informação assim do nada. Tem importância. E tenho certeza que o que estar por vir vai te surpreender.

Alex – O @rubnesio comentou brevemente sobre isso comigo. Ele disse que vem algo bem chocante por aí. Estou muito, mas muito ansioso para os rumos do anime. E já que tocamos nesse assunto, não quero dar spoilers e tenho quase certeza que ninguém que está lendo o post quer, mas sabe, não esperava que a obra fosse ter esse tipo de profundidade. Achei que ia ser um isekai bem divertido, mais descontraído, para passar o tempo, mas não! Ele é sim muito divertido, mas ele tem profundidade, e profundidade maior que MUITOS isekais por aí. Fico muito feliz e foi uma excelente surpresa. Quero ver como vai seguir os próximos episódios. E pesquisando pela obra, descobri que é uma autora que escreve. Uma mulher. O que já é um excelente sinal e posso apostar minhas fichas nessa história. Igualmente em “Ascendance of a Bookworm” que também é escrito por uma mulher, ambas as obras são ótimas e muito bem escritas. Mulheres perfeitas!!! Enfim, expectativas altas para os próximos episódios e não posso fechar minha parte sem falar dos cenários incríveis que continuam sendo apresentados nos episódios. Mesmo em cenários novos, o anime continua entregando excelentes cenários. A fotografia está muito boa e no baile, em uma cena aparece um frame mostrando o castelo e parece fazer referência a Disney hahaha. Eu gostei bastante ^^.

Rose – Sim, meu carinho por essa obra é gigantesco. E saber que foi escrito por uma mulher aquece meu coração. A profundidade de Hamefura é muito maior do que aparenta em uma primeira impressão. E, assim como Ascendance of a Bookworm, a obra tem uma importância muito grande para mim, quando falamos de representatividade. Não é fora do comum ver personagens bissexuais em animes, mas Otome Game coloca isso de uma forma tão natural e linda que me deixa boba. E nem falei sobre as personagens femininas, que são incríveis. Elas são fortes (cada uma de sua própria maneira) e tem suas próprias características que as tornam únicas. Acredito que a autora conseguiu criar garotas tão únicas e especiais justamente por ser uma mulher. Mas agora, voltando ao anime, os cenários (como você mesmo disse) são excepcionais. A iluminação desse episódio foi impecável. Eu não notei essa referência, mas vou assistir novamente e prestar mais atenção hahahaha. O anime tem se mostrado uma adaptação impecável. Sem medo de adicionar conteúdo e com um carinho sem igual em detalhes estéticos (que são muito mais importantes do que apenas uma “cena bonitinha”). Estou ansiosa para os próximos episódios e para ver o rumo que Otome Game irá tomar!

Alex – SIM! Inclusive, estou torcendo para a Catarina terminar com uma das meninas. Mas sendo sincero, contanto que seja bem trabalhado, eu ficaria feliz com qualquer um que ela escolhesse, ainda mais que o leque de personagens da obra é tão bom. Já ia me esquecendo, o Rub comentou comigo que o anime misturou partes originais no episódio, além de tentar fazer uma conexão entre os eventos que se passaram nas férias de verão. Se for como ele falou, eu gostei bastante disso. Foi uma ótima mudança em relação ao original esse senso de continuidade foi muito bom. O que você achou disso?

Rose – Eu simplesmente não consigo me decidir com quem shippar a Catarina (todos tem uma química tão boa…). Bom, se ela e seu par estiverem felizes, eu estarei também. Sim, como o próprio Rub diz, o anime adicionou bastante material original nesse episódio. E eu adorei isso! Gostei das conexões entre cada acontecimento, e como o roteiro soube usar essas mudanças em prol do desenvolvimento e usar para dar pequenas dicas sobre o futuro. Acho interessante quando uma adaptação não se prende e tenta seguir o material original a risca. Sinceramente, isso é essencial dependendo do material a ser adaptado. Isso não significa que o material original é ruim. Ao contrário. Ajuda a valorizar o conteúdo e traz surpresa aqueles que já conheciam a história (eu me encaixo nessa categoria). Sailor Moon e Sakura Card Captors são exemplos disso. Estou apaixonada por esse anime. E é inegável que me surpreendi com esse sexto episódio. Espero continuar me surpreendendo e sinto que vou. Hamefura está sendo uma adaptação incrível. Inclusive, é justamente o fato de adicionarem novos conteúdos que ajuda no desenvolvimento de cada personagem. Estou adorando conhecer um pouco mais sobre cada um. E estou apaixonada por esse anime incrível ♡.

Alex – EXATAMENTE!!!! Chegou no ponto exato e eu concordo plenamente. O Rub disse que a novel, o mangá e o anime fazem coisas diferentes entre si e isso é muito bom. Mudanças nesse estilo eu adoro. A forma de abordagem de cada um, ser diferente da outra é algo que eu gosto. Um vai acertar mais que o outro, mas não deixa de ser legal :). Amo que amo essa obra e estou muito animado!


hehehehe.
Isso é a minha cara ahahahaha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s