Review: Murenase! Seton Gakuen | Nojento em (quase) TODOS os aspectos

A pior coisa que teve na Temporada de Inverno de 2020!

Olá pessoas! Voltei uma última vez para falar de “Murenase! Seton Gakuen”. Essa atrocidade em forma de anime que eu já dei palco demais. Para quem ainda não viu, ou simplesmente não sabe, eu já fiz outros três posts sobre esse anime, sendo o primeiro as impressões do episódio 1, em seguida impressões do episódio 2 e o terceiro, e o mais importante, foi um post levantando diversos problemas e preconceitos que tanto o anime, como sua obra original (mangá) disseminam. Eu recomendo MUITO que vocês leiam esse último post, porque boa parte do que eu não gosto (ou ODEIO) no anime está escrita lá e repetir aqui não é algo que eu planejo fazer. Ainda mais que naquele post está tudo bem detalhadinho para vocês ^^. Nesse texto de agora, tem spoilers? Tem, mas eu acabo indicando mesmo assim, porque ele deve ser o suficiente para fazer você passar longe dessa aberração (ou é o que eu espero), porque pelo menos para mim, esse foi o PIOR anime que saiu a temporada passada!

Sinopse: “Uma academia de animais onde convivem seres de várias espécies. Seu nome é Academia Seton. Nela, os animais lutam todo dia por sua sobrevivência. Entre os estudantes estão Jin Majima, que odeia animais, e a loba solitária Ranka Oogami. O destino vai reunir estes dois e dar início a uma vida escolar muito atribulada! “Podemos ser de espécies diferentes, mas se eu te lamber, você passará a fazer parte da minha matilha!” “


Enfim, falando do anime em si, há pouquíssimas coisas que me agradaram no anime. São duas mais precisamente. Ao menos são essas duas que eu me lembro, porque é TANTA coisa ruim, podre/lixo, que acaba ofuscando os (poucos) aspectos positivos.

E começando pelo que tem de positivo, o primeiro são alguns momentos de comédia que o anime proporciona, em especial com a Miyubi, uma personagem preguiça que, ao fazer esforço, mesmo que mínimo, ela “morre”. Apesar de nas impressões do segundo episódio eu ter criticado a personagem e o constante uso da piada dela, ela acabou sendo a personagem que mais conseguiu me agradar no decorrer dos episódios. Muito disso é devido ao uso da piada da personagem acabar se tornando menos frequente, não sendo enjoativo. E como foram sendo introduzidos mais personagens, a piada dela acabava incrementando uma outra situação. Então era cômico e não enjoativo. Fora que a Miyubi foi uma das poucas, se não a única personagem, a ter um desenvolvimento decente e sem ser ofensivo no decorrer do anime. A personagem recebe alguns momentos de destaque e é perceptível uma progressão dela.

O segundo e último ponto positivo é o uso da biologia “de forma isolada”. O anime traz diversas informações biológicas que são bem interessantes de se saber. Essas curiosidades biológicas não aparentam ser falsas ou inventadas para criar a piada. O anime até criou parcerias com alguns zoológicos japoneses, então eu acredito que não passariam informações erradas só para criar algo para a narrativa (acho/espero). Agora, por que “de forma isolada”? Simples. Porque em muitas oportunidades, o autor usa esses fatos biológicos para fazer comédia, mas não para algo saudável. Ele brinca com assuntos sérios, brinca com transsexualidade e dissemina preconceitos. Basicamente ri da sua cara. E é aqui que damos início a toda a parte ruim do anime.

Uma das coisas mais evidentes em Murenase é como ele é vazio. A obra é precária naquilo que quer contar. Lá nos dois primeiros episódios, eu comentei como o anime tem um problema de ritmo enorme. Diversas coisas acontecendo em um único episódio, diversos personagens aparecendo, e é a partir disso que eu digo que ele é vazio. O autor precisa estar sempre adicionando mais e mais personagens, porque eles não se sustentam por muito tempo. Todos tem um “único tiro” ou uma única piada para fazer. O autor não sabe aproveitar eles para desenvolvê-los, tanto que quase nenhum personagem apresenta alguma complexidade. Alguns aparecem apenas uma ou duas vezes e é isso. Digo até que o personagem que aparecer no episódio é a “piada da vez”, e provavelmente esse persona trará algum preconceito, homofobia, fetichismo ou algo do tipo.

Falando mais dessa parte que me incomoda no anime, o meu principal problema com essa coisa em formato animado, é como ele consegue ser ofensivo em absolutamente TODOS os episódios. Toda santa semana que saía um novo episódio, havia pelo menos uma situação ofensiva. Essa coisa vai desde de ser machista a até transfóbico (novamente eu peço para lerem a outra postagem). Como mencionei, vou me limitar a falar do sétimo episódio para frente. No episódio 8, o autor se mostra machista mais uma vez. Em uma das situações narradas, nos é apresentado um personagem girafa e nos informam que cerca de 90% das relações sexuais entre as girafas ocorrem entre machos. Até aí ok. Mas já dava para sentir que vinha a bomba. Eis que essa girafa apresentada, do nada fica interessada no protagonista. Nisso, a irmã da girafa aparece (o autor nem se dá o trabalho de dar nome aos personagens e fica difícil e repetitivo na hora de escrever), e diz que seu irmão é sempre o seme (ativo) da relação. Mas que se for com o Jin, ele se torna um frágil uke (passivo)… Por que isso é péssimo? Porque difunde ainda mais ainda mais o estereótipo de que numa relação homoafetiva entre homens, existe quem faça o papel do “homem da relação”, sendo esse o ativo que também é caracterizado como o másculo, o forte e geralmente é o cara mais alto. Enquanto que o “papel da mulher” (passivo) é mais afeminado, frágil e geralmente é o mais baixo que o ativo. Além de outros fatores que caracterizam o ativo e o passivo.

Na reta final do anime, o autor volta a brincar com a comunidade LGBT+. Dessa vez com duas garotas e uma insinuação de relacionamento entre elas. Essa relação não é bem explorada. Não seria um problema” por si só, afinal, muitos animes fazem isso. MAS Murenase foi um pouco diferente no que ele quis passar e eu consigo ver um porquê de haver essas insinuações. Estas sendo para fanservice/fetiche para homem. O “shipp” nasce e morre e você nem se importa. Ele só existe e está lá para essa função: fetiche.

A animação “flerta” com a zoofilia (sexo de humanos com animais). Eu só fui reparar nisso quando uma amiga comentou comigo à respeito. Na ocasião, eu tinha postado um print de algum episódio no Twitter, ela veio e comentou sobre o assunto e realmente, o anime insinua muito essa questão. Eu já mencionei como o char design do anime é machista pela forma que as personagens femininas são desenhadas quase que como humanas, enquanto que os masculinos são representados como quase na sua origem animal original. Todavia, talvez esses designes sejam feitos assim também para esse flerte, porque os machos são animais e, vez ou outra, alguns machos falam de copular, além de se ter imagens de como seria o sexo entre eles. Fora o tão usado “cumprimento” da Ranka, que também pode ser enquadrado nesse aspecto… Enfim, “Murenase! Seton Gakuen” é bem nojento.

Passando para os personagens, todos são desinteressantes, esquecíveis, sem desenvolvimento, sendo usados para camuflar algum tipo de preconceito. Mas há um personagem em específico que eu preciso destacar: o Jin. Ele é ninguém mais, ninguém menos que o PIOR entre todos os personagens. Começando que ele deixa claro desde o primeiro momento do anime que odeia animais. Fala e repete esse discurso durante todo o anime, piorando ainda mais a questão dele ser popular e ter um grupo de garotas ao redor dele. Além de tratar mal todos o resto do elenco, até as próprias personagens que ficam próximas a ele, com exceção da Hitomi. O Jin pode fazer o que for, mas se ele disser um “a” ou fazer uma coisa minimamente positiva, tudo o que ele já fez é apagado. E não é como se o personagem tivesse um desenvolvimento, uma redenção ou arcasse com as consequências dos seus atos. NÃO! Tudo o que ele fez e faz de errado não é contado. Ele só é assim. Não muda e todos aceitam e ficam naquela passividade. Enfim, ele é desprezível em todos os aspectos. PIOR personagem da temporada ‘fácil fácil’.


Por fim, eu digo, afirmo e reafirmo que “Murenase! Seton Gakuen” foi a coisa mais horrorosa dessa temporada. Porque diferente de “Darwin’s Game” e “Plunderer” que “””só””” ofendem quem está assistindo e a figura feminina é rebaixada (principalmente Plunderer, por ser nojento e repulsivo), que por si só já é horroroso, Murenase vai além. Ofende a figura feminina, ataca a comunidade LGBT+, é machista, (possivelmente) misógino e por aí vai. E ele ter uma animação consistente durante todo o anime (MUITO diferente de Plunderer e Darwin’s), agrava bem mais o meu desgosto com ele do que com as outras duas bombas da temporada.

Para finalizar, na época que eu publiquei o post falando dos preconceitos das obra, duas pessoas chegaram a comentar que por ser comédia “tudo bem” o autor utilizar esses “recursos” para fazer piada (Por favor, não vejam isso como um ataque pessoal). Vou fazer algumas questões básicas aqui: É certo o autor fazer essas piadas? Ser um anime de comédia te dá liberdade para brincar com sentimentos e com o que a pessoa é? É “ok” brincar com a sexualidade de alguém? Jogar a identidade de gênero de uma pessoa de um lado para o outro em prol de fazer graça, é certo? Logo essas pessoas que já sofrem tanto no dia a dia. Será que o autor realmente não quer passar nenhuma mensagem fazendo essa apologia? Pensem nisso ;).

Eu tenho um ranço tremendo dessa presilha da Hitomi. Mano que ÓDIO desse negócio!!!

3 comentários em “Review: Murenase! Seton Gakuen | Nojento em (quase) TODOS os aspectos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s