Yesterday wo Utatte #2 – Impressões semanais

O medo da obra se tornar um “DomeKano” da vida…

Antes de começar o post, vocês podem achar estranho o “Impressões semanais” no título, mas nós notificamos lá na nossa conta do Twitter (@LDesintoxicados), que por causa do adiamento da terceira temporada de “Oregairu”, nós resolvemos pegar “Yesterday wo Utatte” para substituir o anime :). Enfim, vamos aos comentários.


Rub – Alê, meio que as nossas suposições da semana passada de Yesterday se confirmou. Dava para ver que a professora tinha algum segredo. A parada que foi completamente diferente do que pensamos antes, foi que tinha algo relacionado com o nosso protagonista, coisa que não aconteceu e sim tinha um terceiro individuo na equação. O começo do episódio te prepara para a situação que irá ser abordada. A tentativa do novo corte por parte da Shinako, ela tentando sair em um Happy Hour com seus amigos de trabalho, forçando um sorriso para seus alunos (inclusive para o aluno que era seu vizinho na outra cidade…já chegaremos lá), até ela ficar reflexiva no meio da praça com ar de melancolia. Algo não estava certo e só faltava sabermos o que realmente estava acontecendo, porque tinha algo em seu passado que estava sendo evitado. Inclusive, ela tenta se abrir e conhecer novas pessoas com os seus amigos, porém algo a freia e ela sai no meio do rolê. A Shinako estava muito desconfortável ainda naquela socialização que a própria impôs a ela.

Alex – Pois é! Dava para perceber pelo olhar, que ela escondia algo. E de fato, tinha uma coisa! Confesso que fiquei surpreso com a revelação desse passado. Toda a montagem feita para só então chegar no assunto foi muito bem feita. O corte de cabelo, tentando “forçar” uma mudança nela mesma, mudar os ares, tentar coisas novas, e mesmo assim, nada funcionou. Lá na comemoração, a outra professora consegue acertar onde era o X da questão. Gostei da amiga não insistir no assunto. Bem sensato da parte dela (pessoas, não insistam em saber de assuntos que talvez a pessoa não se sinta a vontade para falar. Agradeço). Insistir nisso poderia foder toda a comemoração que para a Shinako, já não estava a melhor coisa do mundo.

Rub – Não vou dizer que foi surpresa para mim porque já vi filmes românticos com esse mesmo plot, porém é interessante que o drama dela não está relacionado com a perda de sua antiga paixão, e sim do medo de continuar ou de se permitir a viver com uma outra pessoa. É uma vertente diferente, pois não é o drama da ausência do amor e sim do receio de sofrer a mesma coisa no futuro com um outro namorado. É o medo de perda que trava a Shinako. Posso dizer que entendo ela, já que sofreu tanto no passado e quando chega na primavera, todas aquelas memórias vem de volta. Deve ser difícil superar algo que ela não teve controle algum com o que aconteceu ou com a doença do amado. É uma sensação de incapacidade que a traumatizou demais. Eu disse na review anterior que ela queria ficar do jeito que está. Agora entendo o porquê dela querer manter tudo igual a antes, pois se “mudar”, coisas fora de seu controle irão acontecer e ela não quer passar de novo por tudo aquilo. Gostei de como foi tudo estabelecido de forma coerente narrativamente falando. Se eu tenho que apontar algo que não gostei foi do moleque, irmão do que morreu. Quando mostrou aquela cena na sala dos dois e do moleque com toda a intimidade possível com a professora, veio logo na cabeça Domekano. E nossa, se esse moleque (acho que o nome dele é Rou, algo assim) tiver algum interesse romântico pela professora, eu vou começar a dar hate no anime. De jeito nenhum Yesterday tem que ir para o lado da galhofa. PELO AMOR DE DEUS.

Alex – Eu digo surpresa porque não fiquei pensando muito no que viria pela frente. Se você pensar um pouco, é bem manjado, mas a trama é tão envolvente que eu não consigo imaginar o que virá, então eu fico bem concentrado no que está passando agora. Confesso que logo que ele apareceu, pensei que o garoto teria algum interesse romântico na Shinako, mas depois que ele disse o que aconteceu no passado, vejo a relação dele com ela como irmãos. Talvez nem algo tão próximo, mas acho que ele se preocupa bastante com ela e por isso ele vai até o Hikuo (me matei para lembrar esse nome XD) “tirar satisfação”. E uma coisa que eu pensei aqui, não sei se você vai concordar, mas eu penso que talvez a Shinako não queria mudar as coisas com o Rikuo, por fazer comparação dele com o amor do passado. Em uma das cenas, ela começa a lembrar do cara enquanto o Rikuo caminhava, na forma de andar dele. Ela não conseguiu deixar o passado no passado e tem medo de machucar ele por não ter conseguido esclarecer as coisas com ela mesma.

Rub – Também é uma interpretação válida. Toda aquela cena dela voltando para casa faz ligação com as memorias afetivas dela. E até você pode colocar nessa teoria, quando ela prefere ficar no balanço e manter distância do Rikuo com o convite dele de acompanhar ela para voltar para casa. Lembrando aos leitores que não lemos o original e estamos “viajando” com o que o anime nos mostrou. Eu quero é ver mais desses conflitos entre os dois. Até porque, o Rikuo tomou a decisão de manter distância de qualquer tipo de interação com a professora quando ele fala que não consegue ficar só amigo de uma pessoa de que tanto gosta. Muito arriscado e diferente. Gostaria de ver todas as possibilidades daqui para frente. Só voltando um pouco, mas realmente espero que o Rou fique somente no papel do “caçula” da professora, porque no momento que ele começar a demonstrar interesse ou rolar qualquer tipo de clima romântico entre os dois, leitores do blog, podem ter certeza que vou ficar muito puto e vou transformar os nossos comentários semanais do anime, igual como eu faço com o SAO a cada novo episódio, só com Rages e ironias. Esse que é o meu maior medo do anime, de virar DEMAIS um Domekano e perder essas nuances iniciais que me fez ficar interessado no anime. Mas eu queria terminar comentando um pouco da Haru e do seu desafio de guerra com a professora. A guria entrou na disputa e não quer ficar para trás só por causa da diferença de idade entre eles. A Haru já ganha pontos comigo graças a sua disposição de se entregar para as coisas com facilidade e encarar os obstáculos de frente, de uma forma mais franca possível.

Alex – Teorias aqui são bem válidas e eu acho isso bem legal. Torna o papo mais rico e eu acredito que quem está lendo gosta também (eu espero muito que vocês gostem). E sim, a Shinako toma uma postura de querer manter uma distância naquele momento, talvez para não querer misturar mais os sentimentos do passado com os do presente. É interessante porque o fazer ou o não fazer, vai machucar alguém, seja ela mesma, seja o Rikuo, a Haru ou até o garoto. Eu acredito muito que o garoto queira ver ela bem, por isso vai até o Rikuo para ver quem ele é e garantir que ela não se machuque mais. Talvez, só suposições até aqui e quero acreditar que seja isso, ao menos a relação “Rou × Shinako” seja mais “maternal”. O Rikuo meio que quer e não quer fugir dessa questão de não querer ser mais amigo dela. Mostra que ele não consegue apenas fingir as coisas, quer enfrentar, mas ao mesmo tempo vejo que ele não faz o necessário para o confronto de fato. Nisso entra a Haru, que vai contra essa maré e coloca as cartas na mesa. Faz os personagens se mexerem. Ela “sabe” da situação, mas ela não quer que fique assim. Quer entrar para ganhar e precisa fazer com que ambos sigam em frente, porque cada um deles está preso em a alguma coisa e ela fica atada por eles estarem dessa forma. Então, ela precisa resolver o problema dos dois.

Rub – A Haru declarando guerra com a professora foi mais um pontapé inicial para que ela própria tome a iniciativa, do que a mensagem chegar para a Shinako. Sinto que ela vai ficar meio alheia aos sentimentos dela e vai querer ficar com o Rikuo de qualquer maneira. E depois que o Rikuo desistiu da relação de amizade com a professora, agora ela vai ter mais participação na vida do protagonista do que antes. Só espero que não descambe para a novela mexicana que deu pinta nesse episódio 2 e ainda mantenha a complexidade das relações humanas, como fator principal da trama. E soube que o anime vai ser de uma season e meia (18 episódios) para contar sua história. Como o mangá está finalizado, suponho que vão adaptar tudo do original (é o que eu desejo pelo menos). Torcendo para que tudo fique certo na produção, principalmente na fase da epidemia, e entregue um produto final com uma qualidade satisfatória.

Alex – Sim, realmente. E agora, nós sabemos o “algo profundo” que aconteceu no passado da Shinako. Agora o meu foco se volta completamente na Haru. Ela também tem algo para nos contar de mais profundo e estou curioso. E verdade, esse episódio dois teve mais cara de novela mexicana (DomeKano, se afaste daqui!!!), mas não acho que ele irá para esse lado e vai ficar oscilando nisso, com foco no relacionamento entre eles e como vão lidar com tudo. Fiquei surpreso em saber que são 18 episódios, 12 serão exibidos na TV, os outros 6 devem ser lançados posteriormente em algum site de streaming japonês. O mangá é completo em 11 volumes. Se for bem, é capaz de adaptarem tudo, e eu acho que esses outros 6 episódios serão maiores que animes para TV. Finalizando minha fala, gosto muito da direção do anime, a construção da ambientação, os cenários, o trabalho com as cores, é tudo tão bom. Dou muito destaque para as expressões faciais. Sempre temos alguns closes no rosto, trocas de perspectivas, desvio de olhares… o diretor consegue passar muito bem os sentimentos apenas por esses detalhes. Gosto muito disso.

Rub – Sim. Como foi comentando no post de primeiras impressões, o anime tem uma produção muito boa com uma direção competente. Também curto como a os animadores estipulam certas formas de representações para elevar uma cena mais dramática, como foi no pequeno flashback da professora, como mostrar a solidão e a falta de motivação do protagonista. Enfim, só espero que semana que vem ainda estaremos encantados com a obra e que só seja elogio daqui para frente.

Alex – Sim, sim. Ah, a Doga Kobo está com dois animes nessa temporada. Entre Yesterday e garotas fofinhas, o moe que vai se foder hahaha. A produção de Yestarday está mais adiantada e espero que as garotas fofas não acabem agravando mais a situação do estúdio por causa do Corona. Torço pelo melhor aqui e sigo com boas expectativas para a semana que vem :).


E não é que eu acertei. A conversa desse post foi feita na segunda-feira e quando foi ontem, 14 de abril, foi informado que “Houkago Teibou Nisshi”, anime da Doga Kobo, terá os episódios 1 à 3 transmitidos de forma normal, mas do episódio 4 em diante os episódios serão adiados por causa de atrasos na produção causados pela COVID-19.

Essas sobreposições… Amo que amo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s