Runway de Waratte #6 – Impressões Semanais (e finalmente em dia!)

Toh, tudo bom contigo? Meu bem, vamos dar uma segurada no que você diz??? ^^

Olá pessoas. Esse post era para ter saído ontem, mas por motivos alheios a minha vontade, acabou tendo que ser atrasado. Se tudo der certo, as impressões do sétimo episódio deve sair na segunda-feira. Falando um pouco do episódio, eu digo que ele foi bem agitado e gerou boas surpresas enquanto eu assistia. O final dele foi uma maravilha. Me arrepiei, por algum motivo que desconheço (não precisa de muito para isso acontecer).

Já começo dizendo que o episódio começa com uma cena que adorei. A Chiyuki conversando com suas amigas e falando do Tsumura. Adorei ver como a personagem tem uma evolução de pensamento e como pessoa. No começo, ela “desmerece” o trabalho do Tsumura por ele ser um amador (está certo que vieram coisas boas a partir daquilo, porém, não vamos apagar os fatos) e agora ela reconhece todo o esforço dele para ser um designer. Se antes ela “não podia” dizer que foi ele que fez a roupa que utilizou no teste, agora ela pode dizer com orgulho que foi um amigo dela que fez o modelito. Essa fala e a cara que ela faz após dizer na seção de fotos é muito boa. Muito bom ver essa progressão dela. Ambos ainda têm muito a aprender para enfrentarem seus caminhos para o sonho, apoiando e fazendo perceber suas falhas um do outro. Com toda certeza vão longe ^^.

Ainda falando dessa parte inicial, a Chiyuki traz um outro assunto. Ela levanta a diferença entre ela e o Tsumura. Enquanto ela abandona tudo que não tenha haver com o sonho para seguir em frente, o Tsumura dá um jeito de abraçar tudo, e tenta ajudar, mesmo com as dificuldades financeiras e as limitações que isso traz, ou fazer algo, nas palavras da própria Chiyuki, para um equilíbrio entre sonho/família, e não ter que largar nada. Legal a forma que eles representam essas ações dele enquanto ela fala. São cenas dele fazendo o possível para ajudar, como costurando, fazendo roupas, trabalhando e produzindo de madrugada. Por isso a Chiyuki o admira. É algo que ela consegue fazer/não faz. Vejo essa parte como uma auto-crítica para o que ela não faz.


Prosseguindo, chegou o momento de avaliar os projetos dos participantes. Os próprios alunos vão fazer parte do juri e avaliarão seus rivais. A primeira a ser avaliada é a Kaoru e vemos logo de cara uma das alunas tentando achar algum tipo de erro no modelo dela. O Tsumura vai totalmente contra e só faz elogios a roupa. Gosto desse contraste porque, enquanto quase todos estão tentando destruir uns aos outros, o Tsumura (anjo) é sincero com aquilo que acha.

Chegando na avaliação do Tsumura, já chega causando surpresa ao apresentar um pijama… Essa escolha foi tão inesperada, que entendo perfeitamente o espanto dos jurados. Quem iria imaginar, entre tantas coisas, que ele faria um pijama!??? Mas o que mais me surpreendeu foi a crítica do Toh. Por mais que eu soubesse que aquilo “não era verdade”, visto que ele o elogia em sua mente, eu ainda fiquei muito chocado. “Deprimente”, “apático”, “desapontado”, “ofensivo” (…), definitivamente não era a crítica que eu esperava. Entretanto, acabamos vendo que no final das avaliações, eles dão um tempo para a pessoa tentar arrumar seu modelo e depois é dito o porquê daquilo. Aprender a lidar com críticas, mas acima de tudo, ter confiança no trabalho que você faz. E o Tsumura até pensa no que ele pode fazer para mudar, mas lembra do que a Chiyuki disse que compraria o modelo e gostou do pijama. Aquilo foi determinante para dar confiança que precisava :).

Além disso, mostram o que o Toh realmente acha da roupa do Tsumura. Um detalhe que quero ressaltar é o comentário da diretora sobre o Tsumura conseguir ajustar a roupa ao gosto do cliente. Não tínhamos visto exatamente com a Chiyuki, mas é algo semelhante, porque se formos pensar, o vestido que ele fez para ela e o vestido que ajustou para ela também, ambos dão algo a mais na aparência dela, porque foi feito/ajustado pensando na modelo. Acredito muito que esse “ajustar ao gosto do cliente” vai ser trabalhado em um futuro não muito distante. Espero que o anime consiga chegar nesse ponto.

Antes de passar para a segunda parte do episódio, a última cena da primeira metade é uma conversa entre o Tsumura e o Toh muito importante. Diria que tem dois pontos, sendo eles o motivo do Tsumura ter “perdido” e o convite do Toh. Começando pelo motivo dele ter “perdido”, não cheguei a ligar os pontos quando disse que compraria um material mais barato, mas não cogitei que poderia dar problema. A roupa seria feita para a Sara e usar um material barato, não seria a melhor escolha. Mesmo sabendo que as condições financeiras dele não são boas, concordo com o Toh. A roupa tem que ser a prioridade. Ele vai precisar de muito mais dinheiro quando chegar na final, pois a roupa será feita com proporções reais e não será barato.

Nisso vem o convite do Toh: trabalhar para ele. Foi uma surpresa dupla, porque: 1° – Eu não esperava por esse convite e 2° – . Não esperava que o Tsumura fosse aceitar esse convite. Pensei que ele teria “consideração” pelo Yanagida e recusaria a oferta, MAS NÃO!!! E eu estou deveras curioso para saber o que vem a partir disso. Ele precisa de dinheiro e aceitou o convite, mas será que vai ser só isso? Ele vai sair e pronto? O Yanagida vai “permitir”? Lembrando que o Yanagida e o Toh já conversaram sobre ele querer “roubar” o Tsumura. Não sabemos o que veio após essa indagação. Todavia, creio que vão mostrar nos próximos episódios. Estou curioso e ansioso!


Depois de ficar dois episódios quase que inteiros sem aparecer ou ter algum destaque, a Chiyuki retorna e aparentemente continuará sendo o foco no próximo capítulo também! Inclusive, termina com um grande (literalmente) obstáculo para ela superar.

Primeiramente, temos conhecimento de como as modelos “lutam” no mercado de trabalho. Elas que procuram seus próprios contratos (literalmente “elas que lutem”), mandando formulários de inscrição para fazer audições, para só então, conseguir um trabalho. Além disso, elas têm que pagar para fazer seu próprio portfólio. O que gosto dessa parte, que é uma boa forma de mostrar curiosidades, enquanto a Chiyuki explica as coisas para a novata. Vemos um pouco desse processo básico para audições e alguns requisitos desse processo.

Mas as coisas ainda são difíceis para a Chiyuki. A altura continua sendo o seu maior empecilho. É rejeitada por diversas agências. Porém, algo veio à seu favor. A Niinuma atende uma ligação e ela lembra quem é a Chiyuki. Marca uma reunião com ela. Tinha adorado a pequena participação da personagem lá no terceiro episódio. O desfile ter a Chiyuki na passarela, realmente conseguiu mudar a personagem. Só não esperava que ela fosse aparecer e que bom que o autor está sabendo usar os personagens, não tornando a Niinuma em algo passageiro ou personagem irrelevante.

Entretanto, a vida nem sempre vem à nosso favor e acabou que a Niinuma não pode ir ver a Chiyuki. É um problema claro, já que só da outra agente (?) ver a Chiyuki, já começou a desdenhar, olhar de canto, apressar para terminar logo. É tenso! A agente não está nem um pouco interessada em dar uma chance (malditos padrões!!!), mas a Chiyuki não desiste e faz o possível para deixar ela interessada. O que mais achei interessante é quando ela mostra a foto da página 20 e mostra como ela faz uma composição harmônica entre ela e o cenário.

Há momentos que tudo conspira contra você e no caso da Chiyuki, aparecer uma agente de outra empresa, assim encerrando a entrevista dela sem mais nem menos. É a agente da Kokoro-san. Por mais que a Chiyuki tenha sido chamada posteriormente para a seção, o maior problema vem agora. A Kokoro está lá e a Chiyuki assim que viu ela, já percebeu que ela é a estrela daquela seção de fotos. A Chiyuki vai ter que se virar para tentar chamar alguma atenção para si, sem perder a oportunidade que ela tem em mãos.

E não duvido NADA que aquela agente implique tanto com a Kokoro, quanto com a Chiyuki, visto que ela aparenta olhar com “desprezo” para a Chiyuki. Porém, acho que é nessa seção que a Kokoro vai “se rebelar” contra a agente. No PV da personagem, uma das últimas cenas é a Kokoro dizendo algo como “eu não quero ser uma modelo… Eu quero ser uma designer”.

Mas enfim, em dia com Runway e espero que consiga manter uma regularidade nos comentários a partir de agora.


RANÇO dessa criatura
Esses olhos… Ui nossa…
Não subestime esta criança!!!
Belíssima!
BELÍSSIMAAAA!!!! Adorei a bota :).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s