Review de Rifle is Beautiful

Um anime bobinho sobre garotas tentando estabelecer um clube de tiro esportivo

SINOPSE: “Sonho da Hikari é entrar em um clube de competição de tiro para atender seu deslumbramento com o esporte. No entanto, na sua escola não existe mais um clube nesse formato e precisam buscar novas integrantes para restabelecer novamente a atividade esquecida.

Um anime qualquer coisa e esquecível

Mais um caso em que temos um anime com uma proposta simplória e que foi feito para cumprir tabela na grade de programação da televisão japonesa de madrugada. Não que o anime seja terrível de se assistir. Ele só é.…hum….medíocre de forma geral. Já sabia que o anime seria mostrando o cotidiano, como de costume, e a rotina de uma estudante nos seus desafios diários com seu entendimento para o meio esportivo da modalidade escolhida (diga-se de passagem, nem eu sabia de várias coisas que são explicadas sobre o esporte. Para aprendizagem, foi muito bom ter esses “informativos” visuais sobre o tiro esportivo). A personagem principal, Hikari, é aquele clichê do gênero. Bobinha, inocente e insegura quanto as suas habilidades. Só que demonstra ter certas skills escondidas quanto a manejar uma arma, abrindo sua possibilidade de vitória futura. Como já vi diversos animes desse estilo (se der bobeira, centenas), já estou começando a ficar saturado com determinadas personalidades de certos personagens costumeiros na maioria dos animes. E tanto a protagonista, como suas amigas de clube, tem justamente esses estereótipos batidos que estou cansando de assistir ultimamente.

A Erika com seu modo tsundere de agir; a própria Hikari com sua dificuldade em aprendizado tanto nas aulas quanto aos treinamentos do clube graças a sua falta de atenção; a Izumi que age como a mãe do grupo e tem uma paixão materna/passional pela Hikari; ou a Yukio com seu tratamento frio a eventos que ocorrem ao seu arredor (dentre as 4 principais, a Yukio foi que eu mais gostei, mais graças as partes cômicas que funcionam muito bem com ela. As piadas envolvendo as demais, nem sempre tem exito pela previsibilidade da punchline). Como é muito lugar comum, o tédio pega forte ao assistir o anime por ter aquela sensação de só estar vendo por não ter nada de bom no dia lançado para fechar a noite de domingo. E a história tem poucos destaques ao longo dessa temporada. Até nas competições, mesmo sendo bem educativas para os não entendidos sobre o esporte como eu, não te gera sentimentos mais fortes como é o tradicional em vários animes de esporte. Não espere ansiedade ou aflição ou torcer pelas protagonistas. Tudo é muito distante envolvendo o esporte, parecendo ser só um background para o slice of life e a comédia entre as interações das gurias. Diversas vezes durante o anime, esquecia que elas estavam em um clube de tiro competitivo e assistia como um K-ON da vida.

Nem a pessoal da produção fez algo para melhorar a situação

O primeiro sinal que a produção do anime não seria exemplar foram os diversos problemas que tiveram ao fazer essa temporada. Uma Opening e Ending estilo slideshow, muitas repetições de frames e a utilização de CG em diversos momentos, como roupas ou armas ou acessórios em quadros estáticos, não tinha trailer de preview antes de sua estreia e as duas paralisações por problemas no cronograma de produção (sendo que o último episódio teve 3 semanas de delay até sua exibição). Um planejamento que estava fadado a uma bagunça geral. O que foi surpresa é que a consistência da animação não decaiu, mesmo tendo esses contratempos nos meses de produção conturbada que tiveram.

A direção, fotografia, trilha sonora, os designs dos personagens e a atuação dos dubladores, foram tudo medianos. A culpa maior desse anime vai para o diretor que não tentou nada de diferente ou executar sua função de coordenar o projeto com pelo menos algum nível de excelência. Quando o projeto não tem um fator para elogio, significa que não houve dedicação para entregar um produto da melhor forma possível. Até cogitei em criticar o roteirista do anime, porém com um enredo desse, não sei se teria algum caminho melhor do que foi feito aqui.

Outros comentários

Um ponto positivo na historia foi ter mostrado a derrota da Hikari em uma competição séria. Até para demonstrar que existe o fator sorte nas partidas competitivas, só que nem sempre, vai estar do teu lado se não treinar regularmente e com determinação. Uma pena que esse seja só um ponto no enredo e não tenha sido algum desenvolvimento anteriormente, dando a impressão que só foi jogado na história para completar o checklist de clichês dos animes de esporte.

Reafirmo que a melhor personagem foi a Yukio. Acertaram no timing cômico da personagem e é com ela que temos as melhores cenas do anime. Tranquilamente assistiria um spin-off com a Yukio sobre sua rotina “desinteressante” xP. Muito difícil eu simpatizar com personagens apáticas, estoicas ou frias. Pelo menos aqui, foi um verdadeiro acerto para Rifle is Beautiful.

A professora das meninas é até engraçadinha e simpática, porém não chega a ter relevância no decorrer da história. Ele é basicamente a nossa orelha para as explicações necessárias como são as regras da competição de tiro esportivo escolar (no caso aqui, de tiro ao alvo).

Conclusão

Olha…o anime não é ruim. Ele só é algo que você vai ver e provavelmente será esquecido com o tempo. Espero que se você que vai tentar ver essa obra, se divirta mais com o que eu me diverti. Minha recomendação sincera é bem simples: Só assista se tiver tempo e curtir muito um slice of life mais descompromissado e fofinho. De resto, não indico a mais ninguém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s