Títulos que estão tendo adaptação em anime na Temporada de Inverno 2020 e que podem (ou não) serem publicados no Brasil

O que é mais provável de vir para o Brasil? O que não? É o que veremos a seguir.

A ideia para esse post me veio num momento aleatório do meu cotidiano. Eu pensei “por que não?”. Comentei a ideia com o @rubnesio e ele gostou. Então cá estou para mostrar o material original de cada anime dessa temporada e o que eu que possa vir à ser anunciado no Brasil por alguma editora ^^.

Nota: Eu (Alexsander) não sou um “especialista” com o mercado, há pessoas que entendem bem mais do que eu, logo, o que direi à seguir é puramente baseado nos meus pouco mais de 3 anos como colecionador de mangá. Pode parecer pouco, mas eu entende um pouco do nosso mercado, então não estou falando sobre isso “no escuro”. Algumas coisas que direi não são regras absolutas, nenhuma é, nosso mercado se transforma muito no decorrer dos anos, mas algumas coisas seguem um “padrão” e é nesse padrão que eu me baseio. Espero que gostem do post, pois deu MUITO trabalho fazer ele, pretendo trazer um desse por temporada. A ideia desse post é ele ser atualizado no decorrer da temporada, então ao menos no fim dela, espero que vocês retornem para ver o que eu acho ^^. Uma última coisa, agradeço muito ao @Rubnesio por me ajudar com esse post :).

Atualização dia 14/04/2020: A temporada finalizou e como dissemos quando o post foi ao ar, viemos atualizar a postagem dizendo o que nós acreditamos que sairá no país ^^. Não temos como prever quando exatamente as obras virão, se é que elas virão mesmo, então estão avisados :). A opinião final está destacada em negrito e está escrito “Veredito final:”.

Os títulos que serão comentados nessa postagem são:

  1. 22/7 (Nanabun no Nijyuuni);
  2. A3! Season Spring & Summer;
  3. Boku no Tonari ni Ankoku Hakaishin ga Imasu;
  4. Darwin’s Game;
  5. Dorohedoro;
  6. Eizouken ni wa te wo Dasu na!; 
  7. Fate/Stay Night – Heaven’s Feel;
  8. Goblin Slayer – Goblin’s Crow;
  9. Haikyuu!!;
  10. Hatena Illusion;
  11. Heya Camp (spin-off Yuru Camp);
  12. Housekishou Richard-shi no Nazo Kantei;
  13. ID: Invaded;
  14. Infinite Dendrogam;
  15. Ishuzoku Reviewers;
  16. Itai No Wa Iya Nanode Bougyo-Ryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu;
  17. Jibaku Shonen Hanako-kun;
  18. Koisuru Asteroide;
  19. Kuutei Dragons;
  20. Kyochuu Rettou;
  21. Kyokou Suiri;
  22. Made In Abyss;
  23. Magia Record: Puella Magi Madoka Magica Side Story;
  24. Majutsushi Orphen Hagure Tabi;
  25. Murenase! Seton Gakuen;
  26. Oda Shinnamon Nobunaga;
  27. Oshi ga Bodoukan Itte Kuretara Shinu;
  28. PET;
  29. Plunderer;
  30. Rikei ga Koi ni Ochita no Shoumei Shitemita;
  31. Runway de Waratte;
  32. Saezuru Tori wa Habatakanai;
  33. Sekaiichi Hatsukoi;
  34. Somali to Mori no Kamisama;
  35. Toaru Kagaku no Railgun;
  36. Yatogame-chan Kansatsu Nikki.

Eu não listei obras que não contenham algum tipo de material impresso, sejam eles mangás e/ou Light Novels publicadas. Dessa lista, apenas “Kuutei Dragons” e “Made In Abyss” são publicados no Brasil. “Kuutei Dragons” é publicado no Brasil pela Panini com o nome de “Caçando Dragões”. Já Made In Abyss é publicado pela NewPOP com o mesmo nome. Sabendo disso, vamos às informações dos demais títulos da lista ^^.

  • 22/7 (Nanabun no Nijyuuni):

Começando a lista, vamos com “22/7”. O anime é um projeto original, mas o mangá começou a ser publicado agora no comecinho de 2020, pelo que consegui pesquisar. Apenas 1 capítulo foi publicado até o momento. Esse mangá contará uma história diferente do que se passa no anime, provavelmente será algo para complementar a história original. Opinião pessoal: O mangá mal começou e animes de idols não costuma a chamar atenção por aqui. Eu diria que é pouco provável vir o mangá para cá.

Veredito final: não deve vir para o Brasil! O que dissemos no começo da temporada, continua valendo aqui. O anime não fez muito barulho entre o pessoal, além de claro, não ser o tipo de obra que é publicada no país.

A “adaptação” em mangá é feita por Nao Sakai. Sua serialização é feita na revista Sunday Webry (Karakuri Circus), da editora Shogakukan. Está em publicação desde 2020 no Japão e não possui nenhum volume atualmente.

  • A3! Spring & Summer:

“A3! Spring & Summer” é uma adaptação de um jogo de smartphone que é bem conhecida. A3 têm três adaptações em mangá, uma intitulada de “A3! Spring”, outra de “A3! Summer” e a última chamada “A3! Autumn”. Opinião pessoal: Acho que dificilmente qualquer uma das adaptações de “A3!” seria publicada no Brasil. Não consigo ver isso sendo publicado no Brasil, nem imaginar uma editora para publicar.

Veredito final: esse vai ser um caso interessante, porque qualquer chance que ele poderia ter de vir para cá, foi completamente arruinada graças ao próprio anime, ou melhor, a falta de organização dos seus estúdios de animação. O anime foi adiado para a temporada de abril e teve sua segunda temporada cancelada! Pelo que vejo sendo comentado pelas (aparentemente) poucas pessoas que assistem o anime, a qualidade disso está de doer. Sabotado por seus estúdios, somado a falta de popularidade e por novamente, não ser o tipo de obra que é publicado por aqui, “A3” deve permanecer inédito.

“A3! Spring”, “A3! Summer” e “A3! Autumn” são de autoria de Yoshimi Muneyama. Sendo que “Spring” foi publicado entre 2017 e 2018, sendo concluído em 2 volumes. “Summer” foi publicado entre 2018 e 2019, concluído também em 2 volumes. “Autumn” está em publicação desde outubro de 2019 e não possui nenhum volume até o momento presente. Todos são publicados na revista Comic Zero-Sum, da editora Ichijinsha.

  • Boku no Tonari ni Ankoku Hakaishin ga Imasu:

“Boku no Tonari ni Ankoku Hakaishin ga Imasu” é mais um anime de comédia de colegiais com Chuunibyou (está ficando comum isso). Não assisti ele (talvez eu dê uma chance se eu droppar mais algum anime dessa temporada). Opinião pessoal: Animes de comédia são complicados no Brasil. Não diria que é impossível, porém não assisti o anime ainda e prefiro não comentar a possibilidade de publicação por enquanto.

Veredito final: Não foi uma obra popular. Provavelmente a essa altura do campeonato, quase ninguém deve lembrar.

“Boku no Tonari de Ankoku Hakaishin ga Imasu” é de autoria de Arata Aki. O mangá é publicado desde 2013 na revista Comic Gene (Try Knight), da editora Media Factory. Atualmente possui 11 volumes, sem previsão de término.

  • Darwin’s Game:

A MARAVILHOSA pérola dessa temporada (toda temporada tem pelo menos uma para nos agraciar). Darwin’s só não deve fazer tanto sucesso por causa do delay que tem o anime vai ter no seu lançamento (o episódio do anime só chega na Crunchyroll depois de 30 dias após a exibição no Japão). Opinião pessoal: É muito provável que seja anunciado. Explico: o mangá é publicado pela Panini na Itália. Diversos títulos recentes que a editora anuncia, são obras que a sua matriz publica. Foi assim com títulos como “Game – Jogo Proibido”, “Atelier of Witch Hat”, “Grandblue Fantasy”, “Vampire Knight – Momories” e diversos outros. Então acho bem possível sua vinda para cá, ainda mais que o anime está fazendo um sucesso relativo.

Veredito final: um dos animes mais populares da temporada e bom, tenho quase certeza que virá (Panini é uma boa). O que pesa para Darwin’s é exclusivamente a sua extensão. Tirando isso, eu vejo a Panini anunciando o mangá. Como mencionei no começo da temporada, a Panini Itália publica o título no país. O anime já tem uma certa fanbase por aqui e com o anime, ele deve ter ficado mais conhecido. Na situação atual do país, fica difícil imaginar um mangá longo sendo anunciado agora (Darwin’s já tem mais de 20 volumes). Não é um empecilho para a Panini de fato, visto que quando a crise estourou no ano passado, a editora aumentou ainda mais o seu fluxo de obras publicadas, indo de contra o que todas as demais editoras estava fazendo, que era reduzir esse número de publicações. Mas enfim, não acho que o mangá será anunciado esse ano. Se for, apostaria em um anúncio pra o ano que vem.

“Darwin’s Game” é de autoria de FLIPFLOP’S e está em publicação desde 2012 na revista Bessatsu Shonen Champion (Saint Seiya: The Lost Canvas – Meiou Shinwa Gaiden), da editora Akita Shoten. Está atualmente com 19 volumes e sem previsão de término.

  • Dorohedoro:

“Dorohedoro” é um dos animes excêntricos da temporada (tem muito potencial vale dizer). Opinião pessoal: dificilmente Dorohedoro viria a ser publicado no Brasil. Obra muito longa, além de ser um mangá que eu acredito ser de nicho. Se fosse mais curta, talvez suas chances fossem maiores. Para completar, quem está responsável pela distribuição do anime no mundo é a Netflix. Acaba prejudicando a popularidade da obra, vide que eles esperam o anime acabar no Japão para, só depois de meses, adicionar em seu catálogo.

Veredito final: até pouco tempo atrás, se alguém me perguntasse se eu acreditava em “Dorohedoro” sendo publicado aqui no Brasil, eu diria que não! MAS recentemente, eu estava assistindo uma live do Gabriel Sau (acompanhem o trabalho dele \o/), um YouTuber que eu gosto bastante e ele disse que acreditava sim, que o mangá seria publicado aqui. Ele entende bastante de mercado e as previsões dele costumam acontecer. Passei a acreditar na palavra dele. O anime ganhou popularidade, mas o que pesava e pesa, era extensão da obra original. São 23 volumes de uma obra bem excêntrica. 23 volumes é algo muito grande para a NewPOP, restando a Panini e a JBC. Esse não é o tipo de obra que a Panini costuma apostar, ainda mais sendo tão longa. JBC é com você haha.

“Dorohedoro” é de autoria Q Hayashida e foi publicado entre 2000 e 2018, na revista Monthly Ikki entre os anos 2000 à 2014. Mudou para revista Hibana ao qual ficou de 2015 à 2017 e por fim, ele foi transferido para a revista Monthly Shonen Sunday. Nesta ele foi publicado entre 2017 e 2018 onde foi concluído com 23 volumes no total.

  • Eizouken ni wa te wo Dasu na!:

Eu diria que “Eizouken” é um dos destaques dessa temporada. Muitos já vinham com altas expectativas para o anime já que quem está à cargo da direção é o Masaki Yuuasa (Devilman Crybaby; Lu Over The Wall) e muitos otakus adoram seu trabalho. Para “ajudar” na popularidade do anime, ele acabou sendo envolvido em uma discussão sobre design por causa de um certo YouTuber que falou merda, mas isso não convém. Opinião pessoal: Prefiro ainda não comentar sobre as possibilidades do mangá vir para cá, pois gostaria de ver o reflexo do “buzz” que o anime teve graças ao comentário do Youtuber citado mais para o final de sua temporada, mas chutaria que viria pela NewPop. Acho o mangá muito a cara dela e tem poucos volumes lançados.

Veredito final: Eizouken foi um dos mais comentados da temporada graças a um certo YouTuber. Posso estar enganado, mas parece que aquele “booom” gerado no anime deu uma esfriada com o passar dos episódios. Não que seja ruim de fato e pode ser que o anime tenha conseguido uma boa fanbase, mas ainda tenho minhas dúvidas se o mangá virá ou não. Até o presente momento(e pelo que eu sei), o mangá só foi anunciado em mercado no ocidente nos EUA. A previsão para começar a ser publicado por lá é setembro. Em alguns casos, quando obras começam a ganhar destaque em mercados internacionais, chama atenção das editoras daqui. Então vamos ver como ele se sai no exterior no futuro. Já vejo algumas pessoas pedindo o mangá na NewPOP. A obra é curta no momento, então não descarto a possibilidade.

“Eizouken ni wa Te wo Dasu na!” é de autoria de Sumito Oowara e está em publicação desde 2016 na revista Gekkan! Spirits, da editora Shogakukan. Possui atualmente 5 volumes atualmente, sem previsão de término.

  • Fate/Stay Night – Heaven’s Feel:

Terceiro filme da trilogia que adapta a última rota de “Fate/Stay Night”. Opinião pessoal: A franquia de Fate é extremamente famosa, mas essa fama aparenta não chegar nos mangás/novels. No Brasil já foram publicadas duas adaptações de Fate, sendo eles “Fate/Zero” (novel de seis volumes publicada pela NewPOP) e “Fate/Stay Night” (mangá de 20 volumes publicado pela Panini). Não sei como foi com o mangá, mas a novel publicada pela NewPOP não vendeu tanto quanto a editora esperava e de lá para cá, nada mais de Fate foi publicado no Brasil. Logo, não acredito em “Heaven’s Feel” sendo publicado por aqui (ou qualquer coisa da Franquia).

Veredito final: o filme foi adiado por causa da COVID-19 e não há previsão de estreia. Fate é uma série muito popular e a situação no Brasil continua sendo a mesma, então meu comentário no começo da temporada se mantém!

“Fate/Stay Night – Heaven’s Feel” é de autoria de Task Ohna e é publicado na revista Type-Moon Comic Ace (diversas adaptações em mangá da série Fate foram publicadas nessa revista), da editora Kadokawa Shoten. Atualmente tem 7 volumes, sem previsão de término.

  • Goblin Slayer – Goblin’s Crow:

Filme de um dos animes mais populares da temporada de outubro/outono de 2018. Opinião pessoal: Não sei dizer ao certo, mas o sucesso do anime de Goblin Slayer meio que esfriou. E filmes não costumam chamar atenção pela comunidade brasileira. Se for anunciado uma segunda temporada (torço para que não aconteça, porque o anime é desprezível), talvez faça animar as editoras a tentar pegar pelo menos o mangá. Meu palpite seria que viria pela Panini, com possibilidade da JBC entrar na briga.

Veredito final: veremos quando o filme chegar por aqui. Se sua popularidade vai dar aquela renovada, mas ainda vejo pedidos da obra aqui e ali. Tanto na NewPOP, como na Panini, a JBC eu não posso afirmar que não vi, pois sou meio desligado das redes sociais da editora. De resto, mantenho meu comentário.

“Goblin Slayer” é originado de uma Light Novel de mesmo nome. Escrita por Kumo Kagyu, com ilustrações feitas por Noboru Kannatsuki, está em publicação desde 2016 e estando atualmente com 11 volumes. A novel é publicada pela editora SB Criative. A sua adaptação em mangá é de autoria de Kumo Kagyu, com desenhos de Kousuke Kurose e é publicado na revista Big GanGan, da editora Square Enix, estando em publicação desde 2016. Atualmente tem 8 volumes, sem previsão de término.

  • Haikyuu!!

O mangá de esporte retorna nessa temporada com sua quarta temporada. Opinião pessoal: é aquilo que dizem: “a esperança é a última que morre”. Já demorou TANTO para o mangá vir para cá que a cada volume, a cada ano, fica mais difícil de imaginar ele saindo no Brasil. Ainda mais com a crise do país, a publicação dele seria mensal e somando a fatores como a quantidade de volumes e a instabilidade do mercado, poderia afastar muito o público. Lembrando que a obra já passa dos 40 volumes no Japão. O “ponto positivo” a favor dele é que o mangá chegou em seu arco final. Então não deve demorar muito para encerrar e claro, a volta do anime deve reascender as expectativas dos fãs para ele ser publicado em terras brasileiras. Sobre a editora que possa vir a publicar o título, eu só consigo pensar na Panini lançando ele. Vale ressaltar que, quando a mesma anunciou “Food Wars”, o mangá já estava para acabar, então quem sabe. A frase que disse lá no início está valendo.

Veredito final: apenas uma frase para a obra: “A esperança é a última que morre”. Falando sério, está MUITO difícil de ver o mangá sendo publicado no Brasil, ainda mais agora, em meio a crise gerada pela COVID-19. São mais de 40 volumes e seria muito arriscado, mesmo para a Panini.

“Haikyuu!!” é de autoria de Haruichi Furudate, estando em publicação desde 2012, nas páginas da revista Shonen Jump, da editora Shueisha. Atualmente o mangá têm 41 volumes, sem previsão de término exato. Apenas se sabe que o mangá está em seu arco final.

  • Hatena Illusion:

Um dos animes que logo devem ser esquecidos. Opinião pessoal: “Hatena” aparenta ser daqueles animes que depois de alguns meses ninguém (ou quase ninguém) irá lembrar que existiu. Sendo assim, duvido que ele venha para o Brasil, mesmo que seu material original seja curto.

Veredito final: como eu disse, logo deve ser esquecido. Alguém aí lembra disso? E para completar, a obra está incompleta, por causa da morte do autor. Então, não!

“Hatena Illusion” é originalmente uma Light Novel escrita por Tomohiro Matsu e ilustrada por Kentaro Yabuki (Darling In The FRANXX). A novel é da editora Dash × Bunko e foi publicada entre 2014 e 2015. Sua publicação foi interrompida em seu quarto volume, devido a morte do autor. Em novembro de 2018, uma adaptação em mangá começou a ser publicada na revista online Niconico Seiga, atualmente o mangá tem 1 volume impresso e não tem previsão de término.

  • Heya Camp (spin-off de Yuru Camp):

Yuru Camp foi um dos grandes sucessos de 2018. Esse anime curto de comédia está servindo para manter a fanbase na ativa enquanto a segunda temporada não estreia. Opinião pessoal: o título é a cara da NewPOP. Acredito MUITO na sua vinda pela editora. O título está um pouco longo, mas dado o sucesso do anime, ainda acredito nele sendo anunciado pela NewPOP.

Veredito final: Ainda mantenho o que disse no começo da temporada e continuo acreditando na vinda da obra. Só que quanto mais volumes a obra receber, mais irá parecer um sonho distante. A editora NewPOP disse que possui séries longas para anunciar – acredito que esse “longas” se refira até 15 volumes lançados.

Yuru Camp é de autoria de AFRO e está em publicação desde 2015, na revista Manga Time Kirara Forward (K-ON), da editora Houbunsha. Atualmente tem 9 volumes, com o décimo volume previsto para o dia 12 de março de 2020. O mangá não tem previsão de término.

  • Housekishou Richard-shi no Nazo Kantei:

Um dos agrados dessa temporada para fujodanshis (assistam o anime, está muito bom). Opinião pessoal: eu amaria ter essa novel sendo publicada no Brasil. Ela fugiria bastante do que vem sendo publicado por aqui. O problema é a nossa realidade de mercado (destruidora de sonhos). A novel já beira os 10 volumes. O que está ajudando é o anime estar disponível oficialmente na Crunchyroll. Torço muito pela popularidade da obra, para pelo menos o mangá ter uma chance de ser publicado por aqui (um tanto cedo para falar disso).

Veredito final: o anime não ficou popular (para a minha tristeza). Acredito que nem uma segunda temporada salva as chances de vir para cá, embora torça por essa segunda temporada para ao menos continuar acompanhando a obra. Continuo minha afirmação de que light novels são um mercado complicado no país, Tempos atrás a NewPOP comentou que LN só vende se for popular. “Housekishou Richard-shi no Nazo Kantei” não se encaixa nisso. :'(.

“Housekishou Richard-shi no Nazo Kantei” é uma Light Novel escrita por Nanako Tsujimura e ilustrada por Yukihiro Utako. A novel é publicada desde 2015 pela editora Orange Bunko e conta com 8 volumes atualmente e um volume especial contando histórias extras e informações adicionais da série. Não há previsão de término. Em novembro de 2019, começou a ser publicado na revista Comic Zero-Sum, da editora Ichijinsha, a adaptação em mangá da obra que conta com desenhos de Mikka Akatsuki. Já entrou em pré-venda na Amazon japonesa, o primeiro volume da adaptação, mas não há uma data de lançamento ainda.

  • ID: Invaded:

Anime original, mas que está recebendo uma adaptação para mangá. Opinião pessoal: por ser original e o nem temos dois volumes publicados, bem difícil a obra ser publicada a curto prazo.

Veredito final: apesar de ter sido um dos mais comentados da temporada, o final não ajudou. A obra terminou em aberto e eu acredito que muitos nem devem saber da adaptação em mangá. No fim das contas, deve cair no esquecimento dentro de um ano (ou menos).

“ID: Invaded #BRAKE BROKEN” (no mangá ele tem esse subtítulo). Com roteiro feito por Outarou Maijou e arte feita por Yuuki Kodama (autor de Blood Lad, publicado no Brasil pela Panini). A adaptação em mangá é publicada desde outubro de 2019 na revista Young Ace (Bungou Stray Dogs), da editora Kadokawa Shoten. O título possui apenas 1 volume por enquanto.

  • Infinite Dendrogam:

Mais um anime ctrl+C ctrl+V de Sword Art Online… Opinião pessoal: como é de esperar desse tipo de anime, ele deve acabar sendo esquecido logo. Então é bem provável que não chegue por aqui (assim eu espero).

Veredito final: foi passável. Em outros mercados a obra está sendo anunciado. O Brasil do jeito que é, deve apenas passar despercebido, assim como tantas outras obras semelhantes/iguais.

“Infinite Dendrogam” é uma Light Novel escrita por Sakon Kaidou e ilustrada por Taiki. Ela é publicada desde 2015 pela editora Hobby Japan (In a Different World with a Smartphone) e conta com 11 volumes atualmente, com o décimo segundo volume previsto para 1 de fevereiro. A sua adaptação em mangá é roterizada pelo próprio autor e conta com desenhos de Kami Imai. Ela começou em 2016 na revista Comic Fire, revista da própria Hobby Japan. Atualmente o mangá têm 6 volumes publicados.

  • Ishizoku Reviewers:

Eu não acredito que vou ter que falar disso… Opinião pessoal: Eu só consigo pensar nisso daqui sendo publicado pela NewPOP e ela teria que estar bem doida para se arriscar a publicar isso no Brasil. Se bem que eu não duvido de NADA. Se isso for publicado no Brasil, faça sucesso e venda bastante (mas eu não vou comprar)…

Veredito final: esse foi badalado e apesar da NewPOP publicar hentais, não sei se o título tem espaço em nosso mercado. A editora já publicou “Velvet Kiss” de 4 volumes. “Ishuzoku” tem 5 e está em andamento. Ainda assim, eu teria um pé atrás. Ainda mais agora com a “ameaça” da Amazon em retirar obras por ferir a sua política. Por hora no Brasil, foi apenas com “No Game No Life” que flerta com pedofilia, mas nunca se sabe quando é o próximo. Considerando que não sabemos ao certo quais são os critérios para remover os títulos da loja.

“Ishuzoku Reviewers” é de autoria de Amahara (história) e Masha (arte). Está em publicação desde 2016 na revista online Niconico Seiga (a mesma de “Hatena Illusion”). Atualmente conta com 4 volumes no Japão e não possui previsão de término.

  • Itai No Wa Iya Nanode Bougyo-Ryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu:

“Bofuri” como apelidaram… Opinião pessoal: mais um ‘SAO’ dessa temporada, só que com garotinhas fofinhas. O que disse para “Dendrogam” está valendo para esse daqui também.

Veredito final: não é que “Bofuri” ficou popular?! Foi bastante comentado, porém, ainda assim, eu vejo mo máximo a adaptação em mangá sendo lançada aqui, provavelmente pela NewPOP. A LN original eu já acho um pouco mais complicado de sair, pelo motivo que falei anteriormente. Nosso mercado é pequeno e a editora informou que novel só vende BEM se for de algum título muito popular. Eu não acho que “Bofuri” tenha ficado TÃO popular para fazer a novel BEM vender aqui.

“Itai No Wa Iya Nanode Bougyo-Ryoku ni Kyokufuri Shitai to Omoimasu” é uma Light Novel escrita por Yuumikan e ilustrada por Koin. O título é publicado desde 2016 pela editora Kadokawa Syosetsu e têm 8 volumes atualmente. A adaptação em mangá está a cargo de Jirou Oimoto e começou a ser publicada em 2018 na revista Comp Ace, da própria Kadokawa. A adaptação conta com apenas 2 volumes atualmente.

  • Jibaku Shonen Hanako-kun;

Um dos meus queridinhos dessa temporada. Opinião pessoal: não acredito que vou dizer isso, mas estou torcendo para a Panini anunciar. SIM! Explico: o mangá já têm 12 volumes. É uma quantidade um tanto alta, então acho difícil a NewPOP ter interesse nele e a JBC está fugindo de mangás em andamento, e/ou que estejam longe de acabar (acima de 10 volumes eu já considero como mediano/longo). Além disso, eu não consigo pensar na JBC publicando o mangá. Não faz o “perfil” da editora. O que resta é a Panini e “Hanako-kun”. Ainda não é publicado na Itália. Então estou torcendo para a Panini italiana anunciar o título por lá (porque deve ser anunciado em algum momento desse ano) e assim, nós temos uma “”chance maior””* de sair por aqui :).

Veredito final: “Jibaku Shounen Hanako-kun” foi sem dúvida alguma um dos mais comentados da Temporada de Inverno, e até hoje vejo um número bem expressivo de pessoas pedindo a obra, tanto na página da Panini, como na da NewPOP. E cara, se Hanako-kun tivesse menos de 10 volumes, eu apostava minhas fichas na NewPOP. Mas a obra já está quase em 15 no presente (agosto/2020), então reduz bastante as chances de vir pela editora, restando apenas a Panini como possível editora…

* A Panini Itália publicar um título por lá, não representa necessariamente que ela publicará por aqui, vide que tem várias obras que ela publica na Itália e não no Brasil, “Domestic na Kanojo” e “Takane to Hana” são 2 exemplos disso. Porém, a Panini desde meados de 2019 vem anunciando diversos títulos que ela publica na Itália, exemplos disso são “Atelier of Witch Hat”, “Grandblue Fantasy”, “Vampire Knight: Memories”, “Game: Jogo Proibido”, entre outros.

** Quem publicará a obra na Itália é a editora J-POP, a publicação começa em setembro.

“Jibaku Shonen Hanako-kun” é de autoria de Iro Aida e está em publicação desde 2015 na revista GF Fantasy (Horimiya), da editora Square Enix. Atualmente a obra possui 12 volumes e não tem previsão de término.

  • Koisuru Asteroide:

Anime moe de toda temporada da Doga Kobo batendo ponto. Opinião pessoal: é um anime legalzinho, mas assim como vários outros do estilo, ele deve permanecer assim, inédito no Brasil.

Veredito final: mantenho minhas palavras. Se “Umaru-chan” que é famoso demais, mesmo após tantos anos desde o anime, não veio para cá, quem dirá esse, rs.

“Koisuru Asteroide” é uma obra de Quro. O título é publicado desde 2017 na revista Manga Time Kirara Carat (Blend S), da editora Houbunsha. Atualmente possui apenas 2 volumes, com o terceiro tomo previsto para 27 de fevereiro. O título não tem previsão de término.

  • Kyochuu Rettou;

Filme da Passione que me faz perguntar que tipo de pessoas trabalham lá dentro… Opinião pessoal: Why?????

Veredito final: WHY???????

“Kyochuu Rettou” é um mangá de Shuu Hirose (roteiro) e Yasutaka Fujime (arte). Publicado entre 2014 e 2019 na revista Manga Cross, da editora Akita Shoten, o título foi completo em 6 volumes.

  • Kyokou Suiri (In/Spectre):

Coprodução da Crunchyroll, o anime está muito divertido de assistir (a melhor personagem feminina da temporada está nesse anime!). Opinião pessoal: a obra original é da mesma autora de “Zetsuen no Tempest”, publicado no Brasil pela JBC. Ou seja, a editora já trabalhou com a autora, o que pode ajudar no interesse deles com o título. O que pode atrapalhar é a extensão da obra, que já passa dos 10 volumes. Mas se “Zetsuen” foi bem em vendas, pode ser que eles acabem anunciando a obra. Assim espero, porque eu quero ler ^^.

Veredito final: com relação à “In/Spectre”, eu acredito que possa vir, mas as chances não são muito boas. O anime acabou não sendo um dos mais famosos da temporada e talvez uma segunda temporada da animação ajude no futuro. Acho que nem mesmo o nome da autora vai ajudar nesse caso, ainda mais que a adaptação em mangá já se aproxima dos 15 volumes :/.

“Kyokou Suiri” ou “In Spectre” é originalmente uma Light Novel escrita por Kyou Shirodaira e ilustrada por Chasiba Katase. Ela é publicada desde 2011 pela editora Kodansha e possui 3 volumes atualmente. A adaptação em mangá é feita pela mesma dupla, sendo publicado desde 2015 na revista Shonen Magazine R, porém, em outubro de 2019 o mangá migrou para a revista Gekkan Shonen Magazine, também da editora Kodansha e possui 11 volumes atualmente, sem previsão de término no Japão.

  • Magia Record: Puella Magi Madoka Magica Side Sorry:

Spin-off de Madoka. Opinião pessoal: é Madoka gente e Madoka é = a NewPOP. Simples assim. Com essa adaptação em anime, eu acredito muito que a NewPOP vai anunciar o mangá disso daqui. Inclusive, acredito que não deve demorar muito. A editora nesse começo de ano deve fazer o NewPOP Day (evento da editora), então acho que pode ser anunciado agora nesse começo de ano ^^.

Veredito final: ainda acredito na vinda. A segunda temporada ainda vai estrear, então deve ajudar a manter a obra em alta e sendo pedida ^^.

Com o nome de “Magia Record: Mahou Shoujo Madoka☆Magica Gaiden” é uma adaptação em mangá de um jogo de smartphone que faz bastante sucesso. A adaptação está sendo feita por Fujino Fugi e ela é publicada desde 2018 na revista Manga Time Kirara Forward (Gakkou Gurashi), da editora Houbunsha. Atualmente possui 2 volumes, com seu terceiro volume previsto para 4 de fevereiro e não tem previsão de término.

  • Majutsushi Orphen Hagure Tabi:

Anime esquecível. Opinião pessoal: Light Novel completa em 20 volumes. Adaptação em anime muito ruim, dentre outros aspectos. Resultado: impossível vir para cá. Próximo.

Veredito final: alguém aguentou ver isso até o final e ainda gostou? Próximo!

“Majutsushi Orphen” é uma Light Novel escrita por Yoshinobu Akita e ilustrada por Yuuya Kusaka. Publicada pela editora Fujime Shobou entre 1994 e 2003, a obra é completa em 20 volumes. A adaptação em mangá feita pelo próprio autor e com desenhos de Hajime Sawada, foi publicada entre 1998 e 2001, sendo concluída em 6 volumes.

  • Murenase! Seton Gakuen:

Anime divertido, mas que infelizmente vai para um lado que eu não gosto… Opinião pessoal: se acompanham meus comentários aqui no blog sobre esse anime, já sabem que a história daqui não vai do meu agrado. Meu palpite seria pela Panini.

Veredito final: Meu Deus, eu espero que essa bomba de preconceito não venha para cá. Não ficou tão conhecido assim e o mangá já está longuinho. Então não deve vir para cá.

“Murenase! Seton Gakuen” é um mangá de Bungo Yamashita, é publicado desde 2016 na revista Cygames, da editora Kodansha. Atualmente possui 6 volumes publicados e não tem previsão de término.

  • Oda Shinnamon Nobunaga:

Mais um anime desenterrando Oda Nobunaga… Opinião pessoal: não deve chegar ao Brasil. Não é o tipo de obra que é publicada no Brasil.

Veredito final: não mudou nada do começo da temporada para cá. Quem se lembra dele?!

“Oda Shinnamon Nobunaga” é um mangá de autoria de Una Megurogawa e é publicado desde 2014 na revista Monthly Comic Zenon (mesma de “Arte”, que terá anime na próxima temporada), da editora Tokuma Shoten. Atualmente possui 7 volumes e não tem previsão de término.

  • Oshi ga Budoukan Itte Kuretara Shinu:

Tem potencial e ESPERO que não seja um yuribait. O que me deixa mais tranquilo nesse quesito é que a autora já fez alguns GLs (Girls Love), então já fico mais aliviado. Opinião pessoal: pelo estilo da obra, a NewPop é a editora que mais provável publicaria o material. As chances não são boas, porém fico na esperança de sua vinda para cá.

Veredito final: esse ficou popular com uma parcela do público. Não foi um grande destaque, mas tem seus fãs. Só não sei se é o bastante para acabar chegando por aqui. Não tenham muitas expectativas quanto a sua vinda para o Brasil.

“Oshi ga Budoukan Itte Kuretara Shinu” é de autoria de Auri Hirao, o mangá é publicado desde 2015, nas páginas da revista Comic Ryu, da editora Tokuma Shoten. Atualmente a obra possui 6 volumes e não tem previsão de término.

  • PET:

PET é um anime de suspense que me deixa animado para o que vai acontecer a cada momento. Opinião pessoal: é um tanto cedo para dizer se ele virá, mas quero ressaltar aqui que o mangá tem um ponto à seu favor, este sendo a sua extensão. PET é um mangá bem curto. Talvez alguma editora se arrisque. Não consigo apontar uma editora para anunciar o mangá, porém, eu acho que quem têm mais chances de acabar anunciando a obra é na seguinte ordem: Panini em primeiro, depois a NewPOP e por fim a JBC em terceiro.

Veredito final: no fim das contas, quem acompanhou até o final ou não entendeu, ou ficou decepcionado (eu). E esse público que continuou acompanhando parece não ter sido muito grande. Sobre a editora que eu acho que pode vir a lançar a obra no país, eu passei a acreditar mais na JBC. Não aponto nada para a editora, até ter uma noção do estado que eles vão sair dessa pandemia.

PET é escrito e ilustrado por Ranjou Miyake e foi publicado em 2002 e 2003 na revista Big Comic Spirits (20th Century Boys), da editora Shogakukan, sendo concluído em 5 volumes. Em 2009, a obra ganhou uma nova edição, também de 5 volumes (publicada entre outubro de 2009 e janeiro de 2010), entretanto, esta versão foi publicada pela editora Enterbrain.

  • Plunderer:

Anime que me ofende em muitos sentidos. Opinião pessoal: eu gostaria que isso nunca chegasse no Brasil, mas como não sou eu que dito as regras, acredito que ele deva ser anunciado (gritos internos). Acredito que seja pela Panini. É a cara dela lançar esse tipo de obra ¬_¬.

Veredito final: olha só, a obra é publicada na Itália e no México pela Panini. O acréscimo no México é que os mangás da Panini MX são editados aqui no Brasil. EU só não boto tanta fé na vinda, porque o mangá já está com 15 volumes e a adaptação em anime foi tenebrosa. Se tivesse sido um pouco mais decente, provavelmente essas chances aumentariam consideravelmente.

“Plunderer” é de autoria de Suu Minazuki (autor de Sora no Otoshimono). Está em publicação desde 2014 na revista Shonen Ace (Coin Laundry Lady) da editora Kadokawa Shoten, estando atualmente com 14 volumes e sem previsão de término.

  • Rikei ga Koi ni Ochita no Shoumei Shitemita:

Comédia romântica muito divertida ^^. Opinião pessoal: um anime divertido de ver. Meu palpite seria pela Panini sua vinda por aqui graças ao histórico da editora em publicar muitas comédias românticas ultimamente.

Veredito final: depois de a Panini anunciar e estar publicando “Wotakoi” e este ser um grande sucesso (pelo que parece), eu acho “Rikei ga Koi” uma ótima aposta. Ainda mais que o título tem poucos volumes ainda e “Wotakoi” acabou de encostar com a publicação japonesa. Mas ao contrário de Wotakoi, a animação de Rikei não foi um grande sucesso, então não acredito tanto na vinda :'(.

“Rikei ga Koi ni Ochita no Shoumei Shitemita” é um mangá escrito e desenhado por Alfred Yamamoto. O título está em publicação desde 2016 na revista Comic Meteor (Renai Boukun), da editora Holp Shuppan. Atualmente têm 7 volumes e não possui previsão de término.

  • Runway de Waratte:

Meu anime favorito da temporada! Opinião pessoal: QUERO MUITO NO BRASIL, mas novamente, não sou eu que dito as regras e ter “Runway” no Brasil, aparenta ser uma realidade distante. O mangá está em publicação em uma revista semanal. Ou seja, os volumes acabam sendo publicados muito rapidamente, e no caso aqui, ele já possui 14 volumes. Para fechar o combo da má sorte, o anime não está disponível de forma oficial no Brasil, o que atrapalha na popularidade do mesmo. Já disse isso em outras situações acima, mas não custa repetir. A NewPOP não costuma pegar obras acima de 10 volumes, ainda mais se estiver em andamento. A JBC está fugindo de mangás muito longos e/ou em andamento. O que nos resta, novamente, é a Panini e “Runway de Waratte” não é muito a cara da editora. Quem sabe, com algum milagre, o mangá acabe chegando ao Brasil. Mas pelo menos por hora, eu não acredito nessa possibilidade (chorando)…

Veredito final: Não ficou popular, sofro. O volume 17 será lançado esse mês no Japão, e estamos em quase 20 volumes. Lançar uma obra que não é tão popular com essa quantidade de volumes, é MUUUITO arriscado. Só a Panini para fazer algo assim (por exemplo, fizeram isso com “Sem Saída”, que é completo em 21 volumes). Mesmo assim, não vejo sendo lançado aqui. O jeito é torcer por uma nova temporada ou um filme.

“Runway de Waratte” é um (maravilhoso) mangá escrito e ilustrado por Kotoba Inoya. Está em publicação desde 2017 na revista Shonen Magazine (revista de Go-Toubun no Hanayome ou “As Quintuplas”, como será chamado no Brasil), da editora Kodansha. Atualmente a obra possui 14 volumes e não possui previsão de término.

  • Saezuru Tori wa Habatakanai;

Sinto cheiro de filme aclamado… Opinião pessoal: quem conhece um pouco do nosso mercado, sabe que a única editora que investe em BL e GL atualmente é a editora NewPOP. Se sabem disso, também devem saber que até hoje não temos nenhuma série BL sendo publicada no Brasil. E assim, eu acredito que não vai ser por “Saezuru” que a NewPOP possa começar. “Saezuru Tori wa Habatakanai” é uma obra muito pesada e não acho que a NewPOP investiria nesse daqui. Apesar de ser relativamente curto por enquanto, porém, ao menos por hora, acredito que “Saezuru” deve permanecer inédito em nosso país.

Veredito final: do lançamento dessa postagem em janeiro para cá, a NewPOP anunciou “Given” e o cenário mudou. Porque agora temos a primeira série BL longa no país, porém, como já disse em algumas vezes e até já abordei o assunto em uma postagem recente, não adianta querer mais séries BLs no país se não comprar Given. TEM QUE COMPRAR GIVEN!!! Isso incentiva o mercado a ver que tem público e, consequentemente, alerta a editora para novos possíveis sucesso como é “Saezuru”, como será com “Umibe no Étranger”, etc. E ainda continuo não sabendo se a obra será bem aceita. O público pode reconhecer a obra como “problemática” por falta de interpretação (porque não tem outra explicação rs). Então tenho que esperar termos acesso ao filme, para só então ver como o pessoal vai reagir a ele. Além do quê, não corre o risco de cair no esquecimento, porque será uma trilogia de filmes. Teremos Saezuru sendo lembrado por um bom tempo.

“Saezuru Tori wa Habatakanai” é um mangá escrito e desenhado por Yoneda Kou (que é conhecida no meio BL). Está em publicação desde 2011 na revista ihr HertZ (Last Friday, mangá da Etsuko. NewPOP fica a dica ;)), da editira Tayo Tosho. Atualmente a obra conta com 6 volumes publicados e não possui previsão de término.

  • Sekaiichi Hatsukoi:

Mais um filme para reviver obras de um passado obscuro… Opinião pessoal: o que eu disse para “Saezuru”, está valendo para “Sekaiichi”. Ressaltando ainda que a obra passa dos 10 volumes. Já é um mangá beeem antiguinho. E se a NewPOP começar a investir em séries BLs com obras desse naipe….. Olha NewPOP, a senhora escolha bem (começa com Given).

Veredito final: mesmo com “Given” sendo publicado aqui, não acho que venha para cá. O pessoal tem que desapegar com urgência de material velho e olhar para os mais atuais. Tanto Sekaiichi como Junjou tem um estilo narrativo completamente desatualizado. A história e o relacionamento dos personagens é ruim e o desenho é tenebroso no começo. Além de ser longo DEMAIS! Pensem em mangás mais curtos, com capas menos sugestivas e que algum personagem não seja estuprado, ou abusado de alguma forma. Minha sanidade agradece ^^.

“Sekaiichi Hatsukoi” é um mangá escrito e ilustrado por Shingiku Nakamura e está em publicação desde 2006. Já passou por três revistas, sendo que foi publicado na revista The Ruby (2006-2009), na Asuka Ciel (2009-2014) e por fim na Emerald (2014-presente), todas da editora Kadokawa Shoten. Atualmente possui 14 volumes e parece que a obra está rumando para o final (tomara).

  • Somali to Mori no Kamisama:

Anime divertido e gostoso de assistir ^^. Opinião pessoal: vejo possibilidade por duas editoras: NewPOP ou Panini. A obra ainda é curta e tem um pouco da carinha da NewPOP. Por outro lado, a Panini Itália publica o mangá por lá, então é bem possível pela Panini daqui também pegue ele. Uma parte interna minha sussurra: “vai vir pela Devir”, por algum motivo que desconheço, no entanto a obra deve acabar sendo anunciado pela NewPOP ou Panini mesmo.

Veredito final: não sei… Algo me diz que o “tempo” de Somali já passou. O bom é que aparentemente a obra não irá durar muito mais. Talvez acabe com uns 10 volumes, mas não vejo a obra tendo mais que isso, o que é muito bom! Nos tempos atuais, obras mais curtas devem ter uma tendência a chamar cada vez mais atenção das editoras. Continuo apostando mais na Panini trazendo, mas agora também volto meus olhos para a NewPOP. De toda forma, não criem muita expectativa para a vinda do título :).

Somali to Mori no Kamisama” é de autoria de Yako Gureishi. O título é serializado na revista online Web Comic Zenyon, da editora Tokuma Shoten. O mangá está atualmente com 6 volumes, sem previsão de término.

  • Toaru Kagaku no Railgun:

Spin-off de “Index”. Opinião pessoal: para o spin-off ter alguma chance de ser publicado no Brasil, primeiro a sua série principal tem que ser publicada. Por enquanto, sem chances.

Veredito final: continua a mesma coisa. E as chances de “Index” vir para cá são beeeeeem baixas.

“Toaru Kagaku no Railgun” é um mangá spin-off da série de “Toaru Majutsu no Index”. Este mangá é feito por Kazuma Kamachi e ilustrado por Motoi Fuyukawa. É publicado desde 2007 na revista Dengeki Daioh, da editora ASCII Media Works. Atualmente conta com 15 volumes publicados e não tem previsão de término.

  • Yatogame-chan Kansatsu Nikki:

Segunda temporada e ninguém se importa. Opinião pessoal: eu literalmente NUNCA vi ninguém pedindo por esse mangá. Eu duvido que seja publicado por aqui.

Veredito final: mantenho o que já havia dito.

“Yatogame-chan Kansatsu Nikki” é de autoria de Masaki Andou e está em publicação desde 2016 na revista Comic Rex, da editora Ichijinsha. Atualmente têm 7 volumes e não tem previsão de término.


Postagem atualizada no dia 11 de agosto para a inclusão das opiniões finais de cada título. Com isso, essa postagem está devidamente concluída ^^. Em breve irei atualizar a postagem comentando as obras da Temporada de Primavera :).

5 comentários em “Títulos que estão tendo adaptação em anime na Temporada de Inverno 2020 e que podem (ou não) serem publicados no Brasil

  1. Adorei o post! A ideia é muito boa, espero que vocês continuem trazendo esse “quadro” (é assim que chama? k) pro blog ^^ acho a cara do LD.
    Quero muito que Eizouken venha pra cá, é um dos meus favoritos da temporada. (Mas me pergunto se caso ele viesse algum youtuber estimule flood na página da editora…)

    Curtido por 1 pessoa

    1. Fico muito feliz que tenha gostado (Alex falando). A ideia é trazer um desse por temporada, acho que é uma ideia diferente e que nenhum blog já pensou em fazer. Pode ser chamado de quadro sim, já que vai ser frequente hahaha.
      A temporada ainda está no começo, então é um tanto cedo para “afirmar” alguma coisa, mas acho possível que acabe vindo mesmo, muito por causa de sua extensão que ainda é bem curta.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s